Rise of the Tomb Raider foi lançado a 13 de Novembro na Europa para Xbox One e Xbox 360, tendo conquistado o quarto lugar na tabela dos jogos mais vendidos no Reino Unido.

Apesar de não serem números avançados oficialmente, o Chart-Track não os disponibiliza, insiders com registo comprovado voltaram a apresentar dados que dizem estar muito aproximados dos valores reais. Estes dados começaram a circular pela internet e a Sony já reagiu.

Segundo estes insiders, em dois dias Rise of the Tomb Raider vendeu cerca de 57,000 unidades nas duas consolas Microsoft, dados actualizados pois inicialmente eram avançadas vendas de 63,000 unidades. Este número, não pintou uma imagem animadora para a estreia do exclusivo Microsoft e o acordo com a Square Enix começa agora a ser questionado pelos fãs.

Chris Brown, gestor de produto na Sony UK, não deixou de lamentar as vendas baixas de Rise of the Tomb Raider e elogiou a prestação de Fallout 4 na PlayStation 4. Questionado sobre a razão pela fraca adesão ao exclusivo temporário Xbox, Brown disse que, "Acima de tudo penso que seja uma questão de timing - muitos jogos GRANDES à procura de espaço na carteira das pessoas."

"Penso que seja isso: lançar na mesma semana que Fallout 4. Mas então quando é que o lanças? É que tens Call of Duty, Star Wars Battlefront e Halo 5 para enfrentar."

Para Brown, Star Wars Battlefront é um nome demasiado sonante e será este o título que irá arrebentar com as carteiras dos jogadores de todo o mundo por isso fica complicada a vida de Rise of the Tomb Raider nas próximas semanas. Com a tendência para as vendas descerem.

A força de Fallout 4, a data de lançamento e o acordo de exclusividade são algumas das causas apontadas por fãs. Ainda assim, em vésperas da Black Friday e com o Natal a chegar, muitos acreditam que as vendas de Rise of the Tomb Raider ainda vão aumentar. A sua estreia no Reino Unido e a ausência na lista dos 40 jogos mais vendidos na Amazon não são bons indicadores.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Mais artigos pelo Bruno Galvão