O que tem Anita Sarkeesian a dizer sobre Assassin's Creed: Syndicate?

No ano passado tinha criticado o Unity.

Anita Sarkeesian tem sido uma das feministas mais acérrimas na crítica da sexualização das mulheres nos videojogos. Um dos jogos que caiu na teia da sua crítica no ano passado foi Assassin's Creed: Unity, principalmente por não oferecer a possibilidade de jogar com uma mulher.

Este ano, Sarkeesian colocou à prova o novo jogo da série, Syndicate, e no geral, só teve elogios a fazer. Na vídeo-análise que publicou no seu canal do Youtube, a feminista sublinha como pontos positivos a caracterização forte de Evie (a irmã gémea de Jacob), o facto de não ser sexualizada, e a adição de NPCs do sexo feminino que lutam com tanta confiança como os homens.

Outros pontos salientados foram a inclusão de personagens de etnias diferentes e até de um transexual. Embora Sarkeesian esteja consciente que personagens como estas seriam tratadas muito mal na época do jogo, argumenta que Assassin's Creed quebra várias vezes o realismo, sendo os saltos para os carrinhos de palha um dos exemplos.

Publicidade

Salta para os comentários (23)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (23)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários