Heroes of the Storm - Análise

Simples, divertido e aliciante.

Durante anos o nome Blizzard foi-nos familiar por trazer franquias como Diablo, Starcraft e Warcraft, porém, este último quando saiu para o público em 2002, trouxe com ele um editor de mapa, unidades especiais denominadas "Heroes" que além de serem controlados no estilo RTS (Real Time Strategy), também conteriam aspectos de RPG, tendo níveis, habilidades especiais e podendo carregar itens que os ajudariam a vencer dificuldades e os tornariam mais fortes. Com todo este novo jogo foi criado pouco tempo depois um mod chamado de Defense of the Ancients, conhecido hoje como DoTA e assim o estilo MOBA nasceu.

Os MOBAs são jogos que à primeira vista e jogada parecem ter um sistema um tanto complexo para principiantes, com itens que específicos para o melhoramento de cada personagem ou equipa, habilidades de uso ocasional, estratégias, posições e pontos chave, mas isso não impediu de se tornar num dos géneros mais populares nos últimos 5 anos, com o reconhecimento e popularidade dos jogos como Dota 2 e League of Legends.

A Blizzard em 2011 na sua própria convenção denominada Blizzcon anunciou que iria também ter um MOBA da sua autoria que chamar-se-ia simplesmente "Blizzard Dota", mas depois de algumas discussões e lutas legais com a Valve por causa do nome e marca registada "Dota", a Blizzard decidiu anular o jogo durante mais uns anos e melhorando-o baseando-se no que faltava nos outros MOBAs, e assim nasceu o jogo hoje conhecido como Heroes of the Storm.

Lembram-se quando referi que os MOBAs são jogos que são um tanto complexos para jogadores principiantes? Bem, então podemos chamar o Heroes of the Storm o MOBA que quebra os baixos dos outros MOBAs, pois o jogo consegue ser simples, divertido e aliciante de se jogar, pois utiliza como Heroes as mais icónicas personagens das franquias da Blizzard como o próprio Diablo, Illidan Stormrage que conhecemos do Warcraft 3 e a Queen, os Blades ou Kerrigan da serie de jogos Starcraft. Todos estão bem elaborados e reconhecíveis, sem dúvida uma autentica dádiva para os fãs das 3 séries ou até mesmo de um dos jogos mais antigos desta empresa, os Lost Vikings do antigo jogo da SNES também são personagens jogáveis.

Neste momento o jogo conta com 40 Heroes jogáveis e continuarão a ser adicionados mais no futuro, todos eles de jogos da Blizzard e com habilidades legitimas para uso. Outra coisa em que este magnifico MOBA introduziu foi sem dúvida o facto de não haver um campo dito como "básico" ou "standart", cada mapa tem o seu próprio modo, visual, easter eggs e nenhum deles é 100% ligado a uma franquia especifica pois assim todos poderão jogar e sentir algo novo com o estilo artístico tão característico da Blizzard.

Tendo cada mapa o seu modo exclusivo de jogo, faz com que cada equipa tenha que cooperar para cumprir o modo da maneira mais correcta e atingir o objectivo que será destruir o "Nexus" do inimigo. Temos como exemplo o mapa "Blackhearts's Bay", onde os jogadores terão que colectar moedas de ouro que podem ser recolhidas matando certos NPCs e destruindo arcas do tesouro que terão que ser entregues ao Capitão Blackheart no centro do campo. Quando o número de moedas requerido for atingido por uma das equipas o pirata desaparecerá durante uns breves instantes não aceitando moedas e o seu barco irá disparar bolas de canhão sobre os edifícios da equipa adversária enfraquecendo as suas defesas. Neste momento existem 8 mapas, mas futuramente virão mais, pois um dos objectivos da Blizzard com o Heroes of the Storm é que cada jogo seja distinto do último e que o jogador não se sinta preso a um mapa principal, tornando a sua experiência mais variada.

Mas os mapas não são todos 100% diferentes uns dos outros, todos têm 3 lanes, mercenários e um Boss dentro deles. Os mercenários são pequenos grupos de NPC's espalhados em pequenos cantos do mapa que ao serem derrotados irão prestar uma ajuda a equipa que os derrotou, podendo dar um grande avanço a equipa destruindo os edifícios e os minions da equipa adversária, os Bosses também funcionam da mesma maneira, porém estes são mais difíceis de derrotar demoram um pouco mais de tempo a serem derrotados e são precisos cumprir alguns passos, como fugir de uma certa zona que o boss vai afectar, mas quando vencido, o Boss torna-se um grande aliado, rapidamente destruindo a lane adversaria.

a
A entrada para uma das aldeias, protegida por duas torres.

Outra característica marcante nos mapas do Heroes of the Storm é que o clássico sistema de torres visto em maioria dos jogos deste género foi substituído por um sistema de aldeias, onde cada equipa tem uma aldeia em cada lane que consiste em duas torres na sua entrada, um portão por onde apenas a própria equipa pode passar até ser destruída, uma fonte que quando usada por um jogador da própria equipa concede a este uma porção de vida e mana que resultaram no seu mais rápido retorno ao campo de batalha, uma grande torre perto do centro da aldeia e um "Town Center" que também irá disparar para qualquer inimigo que se tente aproximar, ao destruir uma dessas aldeias o jogador estará então mais próximo da Aldeia principal do adversário, onde se encontrará o seu Nexus.

Em outros aspectos de gameplay este jogo causou muitas mudanças extremas no estilo MOBA, como a experiência de cada equipa ser partilhada e sendo assim todos os membros da equipa terão o mesmo nível, o que é bom quando um jogador requer estar constantemente a mudar de lane e não consegue receber experiência o suficiente. Assim não fica para trás, porém, este aspecto também tem o seu ponto fraco onde um bom jogador numa equipa menos boa irá obrigatoriamente ficar no mesmo nível que a sua equipa e não podendo executar golpes que poderiam ajudar a sua equipa a dar a volta ao resultado. Outro coisa que podemos ver dentro do próprio jogo é que não existe dinheiro (gold) nem itens, com isto evitam-se problemas como últimos golpes para receber uma quantia maior de dinheiro e os problemas de um jogador menos informado comprar inadvertidamente itens errados para o seu personagem. Abolindo o sistema de dinheiro e itens, o jogo contem o sistema de talentos que tornarão o personagem mais forte, mais eficiente e sobretudo mais fácil de compreender. Os jogos duram a metade do tempo dos outros MOBAs que conhecemos, em vez de cada jogo demorar entre os 40 e os 60 minutos, um jogo no Heroes of the Storm dura em média entre os seus 25 e os 30 minutos, sendo bom para quem tem pouco tempo no seu dia e quer apreciar um jogo no seu tempo livre.

O sistema de níveis para a conta do jogador também está presente no Heroes of the Storm, assim como um sistema próprio para cada hero que se joga, sendo 40 o nível máximo para a conta e 10 o máximo para o hero, e cada nível alcançado uma nova recompensa é dada ao jogador como a habilidade de ter um segundo "Ultimate" ou como é chamada no Heroes of the Storm Habilidade Heroica (Heroic Hability) para escolha, desbloquear mais talents para serem escolhidos ou até mesmo gold.

"Este jogo está feito para correr na maior parte dos computadores"

O jogo também dispõe de uma loja com todas as personagens, as respectivas skins e mounts com variações de cor para todos os gostos, desde temas festivos a versões mais evoluídas da própria personagem. O gold neste jogo é adquirido através de vitórias, níveis da própria conta, níveis do próprio hero ou cumprindo o sistema denominado de "daily quest" que são missões diárias que o jogo dá para cumprir como ganhar 3 jogos para receber 600 de gold, jogar com 3 heroes do Warcraft, jogar 3 vezes de suporte e muitas outras combinações que aos poucos vão sendo introduzidas no jogo.

No que toca à capacidade gráfica este jogo está com uma óptima construção, é bem colorido e vivo, os efeitos são bem visíveis e distinguíveis uns dos outros, os modelos dos personagens estão perfeitamente representados e todas as suas animações são únicas, sem esquecer de mencionar que este jogo está feito para correr na maior parte dos computadores pois contem muitas escolhas de alteração de gráficos que poderá ajudar a melhorar tanto o desempenho como a qualidade. A nível de música, temos direito a uma banda sonora própria, ao "estilo Blizzard", que é a indicada para o ambiente e às vezes memorável. Todas as vozes dos heroes são legitimas e as suas falas relacionadas com os mesmos e os efeitos sonoros estão presentes.

No geral o jogo é uma óptima adição ao universo do género MOBA, seja para quem quer jogar competitivamente ou para quem quer jogar casualmente. É um jogo visualmente lindo, fácil de pegar, aprender e jogar, e sobretudo um jogo com um bom futuro pela frente e que esperamos que todos possam experimentar.

Publicidade

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (10)

Sobre o Autor

Sérgio Luz

Sérgio Luz

Redator

Um grande aficionado por RPGs e por todo o tipo de jogos que o PC abrange sejam MMOs ou MOBAs. Adora jogos que tenham histórias complexas e bem construídas, não deixando de lado jogos tais como Kingdom Hearts, Final Fantasy e Persona.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (10)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários