Em entrevista com a Game Informer, Fumito Ueda falou sobre o desenvolvimento de The Last Guardian e sobre as razões que levaram o jogo a largar a PlayStation 3 para ser trabalhado na PlayStation 4.

Segundo Ueda, o jogo foi adiado para a PS3 devido a várias razões. "Existem sempre atrasos na produção. A parte técnica pode ser uma delas mas existem outras foram do meu controlo. A boa notícia é que as coisas deram a volta - estamos em plena produção na PS4 agora. O jogo corre nesta consola, como viram em directo, e penso que estamos num bom momento."

Questionado se o jogo poderia ter sido lançado na PS3 num estado que deixasse Ueda feliz, este respondeu que em termos especulativos sim.

"Agora isto é tudo imaginado mas obviamente que sim. Provavelmente teria ficado confortável com o resultado final - originalmente foi desenhado para a PS3. Presumindo que toda a arquitectura e design estavam preparados para oferecer a experiência que visionei, se isso estivesse certo, penso que teria sido um bom produto."

Ueda esclareceu ainda que as limitações técnicas existiram até à geração PS2 e que a partir daí tanto a PS3 como a PS4 consegue entregar o tipo de expressão e movimento que ambiciona. "É uma questão de como o jogo está desenhado mas não são limitações técnicas actualmente. A PS3 não me impedia de fazer seja o que fosse."

O director de The Last Guardian confirmou ainda que a decisão de passar para a PS4 partiu da Sony.

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Mais artigos pelo Bruno Galvão