Project CARS - Análise

Promessa cumprida.

Longa foi a caminhada da Slightly Mad Studios até alcançar o estado considerado definitivo para entregar Project CARS a todo o público-alvo. Este é um bom exemplo do que se pode e deve fazer com o desenvolvimento dum trabalho com acesso antecipado por parte da comunidade, como o nome indica, Community Assisted Racing Simulator. Com esta ajuda financeira foi possível que o sonho se tornasse realidade, e valeu a pena a espera.

Entre avanços e recuos, experimentações que não resultaram, e outras que foram ganhando forma, foi agradável acompanhar este projecto todos estes anos, vendo semana após semana o jogo a ganhar forma, a ser modificado. O feedback da comunidade foi levado em conta pela produtora, onde muitos dos conteúdos finais refletem o que nós jogadores queremos. É verdade que sofreu muitos adiamentos, que não chegava a hora do lançamento e que durante o processo algumas plataformas ficaram pelo caminho, PS3 e Xbox 360. A versão Wii U é aguardada com muita expectativa, mas com data ainda indefinida e sem informações do seu desempenho na consola da Nintendo.

Não esperem nada de revolucionário na fórmula que é utilizada, os modos de jogo são os esperados, as funcionalidades e variadíssimas opções são um dado adquirido há já muito tempo. O que salta à vista é de facto o grafismo, principalmente na versão PC, que possuí muitos momentos onde sustemos a respiração com todas estas emoções visuais. Mas não vive apenas do seu visual, há muito trabalho no campo da física, comportamento dos carros em pista, dos pormenores das imensas possibilidades de afinação para retirar aqueles centésimos de segundo que nos impulsionam para a vitória.

Existe um Modo Carreira, o Multiplayer, Time Trial, Praticar, o que é comum neste género. Podemos importar voltas doutros jogadores e tentar bater os seus recordes. Também existe um modo de desafios temporários, disponíveis em determinadas datas por um período limitado de tempo, com carros e pistas específicas. De referir que todos os carros estão acessíveis logo de início, não existe a necessidade de licenças para se conduzir determinado carro. Está tudo desbloqueado logo à partida, o conteúdo é totalmente de livre acesso.

No Modo Carreira temos acesso todas as competições disponíveis, somos livres de escolher se queremos principiar pelas categorias inferiores ou ir diretamente para competições mais poderosas, como os LPM1. Aqui se nota a já referida liberdade dada aos jogadores. As corridas em modo offline são muito entusiasmantes, muito por culpa da boa IA dos oponentes. No PC, Project CARS é uma das fortes opções para uma abordagem longe das peripécias do mundo multiplayer. Há conteúdo de valia aqui, com muitas categorias para escolher e com oposição refinada.

Olhando de uma outra forma para Project CARS, sem ter em conta o seu grafismo exuberante e focando apenas a parte mais técnica do comportamento das máquinas em pista e a sensação de realismo que nos transmite, há que dizer que não é um perfeito simulador, que não está ao nível de jogos lendários como Live for Speed, a série rFactor, e o muito aclamado na atualidade Assetto Corsa, jogos apenas disponíveis no PC. Mas existe um distanciamento em relação a Gran Turismo, e até da série Forza Motorsport, jogos particulares das consolas Sony e Microsoft respetivamente. Project CARS está entre um puro simulador e outras opções que facilitam um pouco a tarefa do piloto virtual.

No global a física do comportamento em pista está a um bom nível, com a influência direta do estado da pista nos pneus, a presença da chuva a fazer-se sentir em cada curva, e uma simples saída de pista a colocar os nossos pneus com problemas de aderência. Mas existem pormenores que não passam despercebidos, como alguma estranheza na ausência de force feedback produzido pelo volante quando passamos por cima dos corretores menos acentuados. Jogar Assetto Corsa na mesma pista e com o mesmo carro dá para notar as diferenças.

"No global a física do comportamento em pista está a um bom nível, com a influência direta do estado da pista nos pneus, a presença da chuva a fazer-se sentir em cada curva, e uma simples saída de pista a colocar os nossos pneus com problemas de aderência."

No mundo online de Project CARS as corridas existentes são criadas pelos jogadores, sem uma competição previamente elaborada onde podemos aderir. É tudo editável, desde as voltas, pista, carros, sessões. Cabe à comunidade fazer deste modo um verdadeiro sucesso, com um comportamento aceitável para que todos tirem prazer dos momentos aqui passados. Quando se domina um carro e se conhece bem a pista, e com oposição sabedora do que está a fazer, é uma emoção a cada curva.

Ainda no modo online, temos os referidos Eventos da Comunidade, que por vezes premeiam os jogadores com prémios. Estes eventos estão disponíveis por um período de tempo limitado, em determinada pista e com um carro específico. Mas há questões a corrigir, o sistema de votação para se iniciarem as corridas nem sempre funciona, com os jogadores a virarem-se contra o host sem que este tenha a culpa. Os problemas de latência no jogo também estão presentes, com carros a desaparecer, o que perturba muito a estabilidade em pista.

É um pouco triste verificar que o número de carros não é tão elevado como gostaríamos, contamos 74 carros, já com todos os pacotes incluídos. Quem está habituado a centenas de opções certamente que se irá sentir um pouco defraudado. Marcas apetecíveis como a Ferrari ou mesmo a Lamborghini não fazem parte da lista, e mesmo as existentes não possuem muitos dos modelos que tanto apreciamos. Mas mesmo assim há máquinas entusiasmantes, como o McLaren 12C GT3, ou mesmo o Audi R18 TDI.

O mesmo já não se passa com as pistas, que são em grande quantidade, com os circuitos mais conhecidos a marcar a sua presença. Temos Nürburgring Nordschleife, a sempre espetacular Spa Francorchamps, passando por Imola, indo até à fantástica Bathurst na Austrália. Há para todos os gostos, com passagem pelos quatro cantos do mundo. Aqui não há razões para nos queixarmos, e podemos garantir que não há muitos jogos com tanta quantidade de circuitos licenciados.

Project CARS é apresentado no lançamento em três plataformas, com evidente superioridade do PC. Nas consolas, o jogo possui alguns problemas de performance, como é referenciado pela minuciosa análise de performance por parte da DigitalFoundry. A versão que testamos é a do PC, e salientamos que têm que possuir uma boa máquina para o correr no máximo da qualidade visual a uns sólidos 60fps.

Não há duvida que este é um jogo sólido e que merece o nosso investimento. Todos os fãs de desportos motorizados não o podem deixar passar, seja em que plataforma for. Não se entra desde logo na sua mecânica, há que lhe dar algum tempo, temos que ser nós a explorar e fazer com que este retribua a nossa entrega, e quando isso acontece, há uma verdadeira satisfação no tempo que lhe dedicamos.

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (65)

Sobre o Autor

Adolfo Soares

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (65)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários