Ainda faltam duas semanas para o lançamento de Bloodborne, mas a revista Edge lançou um artigo especial na sua edição mais recente onde descreve a sua experiência com o novo jogo de Hidetaka Miyazaki.

As informações contidas no artigo já andam a circular pelo NeoGAF, através das quais ficamos a saber que Bloodborne tem uma longevidade de dezenas de horas. A revista diz que passou 40 horas a jogar mas não conseguiu chegar ao final do jogo. Vale a pena referir que durante as 40 horas, não experimentaram os modos multijogador e Chalice Dungeons, que também vão aumentar a longevidade final.

Durante as 40 horas a revista diz que só encontrou cerca de seis armas e seis armas de fogo. Também é dito que há poucos cofres, mas por outro lado, reservam sempre boas coisas para quem os encontrar.

Sobre os checkpoints, fica o aviso de que não são tão abundantes como as bonfires de Dark Souls II, no entanto, há jogadores ganham acesso a vários atalhos (tipo Firelink Shrine) que ligam as diferentes áreas do jogo.

Também foi confirmado que a estatística Bloodtinge diz respeito ao dano causado pelas balas.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro