Os puzzles de Rise of the Tomb Raider não serão mais difíceis que os puzzles do jogo de 2013, no entanto, vão demorar mais tempo a resolver, sugeriu a Crystal Dynamics.

Desde os seus primórdios que Tomb Raider ficou conhecido pelos seus puzzles, mas no reboot de há dois anos os fãs mais acérrimos não ficaram contentes com a dificuldade dos puzzles oferecidos, que podiam ser resolvidos sem grande dificuldade.

Sobre a dificuldade dos puzzles, a Noah Hughes, diretor criativo de Rise of the Tomb Raider, disse à Game Informer que a dificuldade dos puzzles será variada, apesar de que "algumas das tumbas secretas têm puzzles maiores e, em alguns casos, mas difíceis."

Contudo, Hughes parece relutante à inclusão de puzzles muito difíceis pois "a nossa intenção é desafiar o jogador e não bloquear os jogadores medianos."

"O que estamos a fazer para que haja mérito na execução destas tumbas é algo a que chamamos puzzles encaixados, que eram comuns nos jogos Tomb Raider clássicos."

Basicamente, estes puzzles requerem que o jogador cumpra várias etapas antes de resolver o puzzle final. Desta forma "podes pensar ativamente nos diferentes elementos em vez de ficar parado a olhar para um puzzle e a coçar a cabeça."

"Estas tumbas vão demorar mais a resolver mas ainda é uma combinação interessante de física e de sistemas de causa-efeito que elevam o grande final de passar pela porta no fim da sala."

Rise of the Tomb Raider terá lugar na Sibéria e será lançado este ano para Xbox One e Xbox 360.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.