Os jogos mais aguardados de 2015 da redação

Este é um ano muito promissor.

Agora que estão escolhidos os melhores jogos de 2014 para a equipa do Eurogamer Portugal, eis que chegou o momento de revelarmos que jogos aguardamos com mais ansiedade em 2015. Com tantos jogos com imenso potencial escolher apenas um não é fácil, mas depois de alguma reflexão sobre a questão, a nossa lista é a seguinte:

Jorge Soares - Metal Gear Solid V: The Phantom Pain

Quem me conhece, quase adivinharia qual seria o meu jogo mais esperado para 2015. Metal Gear Solid 5: The Phantom Pain é O projeto para este ano. Joguei todos os MGS, e é uma das séries que mais me marcou nos videojogos.

A forma como Hideo Kojima e a sua brilhante equipa no Kojima Productions criou este universo de Metal Gear é de outro mundo. Sempre fui fascinado por este universo, onde vemos conflitos geopolíticos, forças governamentais secretas, personagens fortes, onde lutam pela supremacia mundial. É claro que MGS não vive apenas da sua história, pois sempre foi uma série que trouxe inovação na forma como encaramos os videojogos, colocando em nós a admiração em certas cenas e, claro, uma gargalhada profunda na forma que o humor é colocado em cima da mesa.

Não esquecer que espero batalhas intensas com os bosses do jogo, algo mítico em toda a série. MGS 5: The Phantom Pain promete elevar a série para um novo patamar, recorrendo à nova geração, onde os limites apenas estão na imaginação desta equipa.

Jorge Loureiro - No Man's Sky

Adeus 2014, olá 2015. O novo ano tem tudo para ser muito melhor do que o anterior, que honestamente, foi uma nódoa na história dos videojogos. Foram vários os títulos que falharam em cumprir as promessas enquanto outros chegaram às lojas num estado lastimável. Mas chegou o momento para sorrir, os próximos meses são promissores…

São muitos os jogos que quero jogar este ano, mas se há um que me deixa em pulgas é No Man's Sky. Nunca antes houve um jogo assim, isto é, com a premissa de permitir explorar livremente uma galáxia inteira. Ultimamente tem havido um número crescente de jogos em mundo aberto, mas nenhum deles está próximo de ter esta dimensão.

Para mim a parte mais cativante é a descoberta. É fascinante pensar que poderei ser o primeiro a descobrir um dos muitos planetas. Que belezas naturais estarão escondidas entre a escuridão do espaço? Que tipos de animais vão encontrar? Quão diferentes serão os ecossistemas de cada planeta? Mal posso esperar para jogar No Man's Sky e encontrar a resposta a estas questões.

No Man's Sky promete ser uma viagem épica entre as estrelas.

Bruno Galvão - Bloodborne

Há já algum tempo que decidi entregar-me a novas propriedades intelectuais. Dou por mim mais ansioso por conhecer novas experiências do que propriamente desejoso de voltar a conhecer a nova entrada numa série que já vai na sua quinta fornada. Jogos como Destiny fizeram-me perceber que aprender com o passado e utilizar o poder e mentalidade da nova geração pode fazer muito bem a géneros que conhecemos e assim o espero para 2015.

Agora com Bloodborne, produto dos Japoneses do From Software em conjunto com o SCE JAPAN Studio e que poderá ser um dos grandes jogos da PlayStation 4 para este novo ano de 2015. A chegada em Março poderá oferecer-lhe o espaço que precisa para respirar e a ideia de ser um sucessor de Demons Souls mas com um gameplay melhorado é aliciante.

O ambiente, os visuais e toda a estética do jogo deixam imensa curiosidade e espero que seja mais um produto que alia com harmonia a vertente tecnológica com o foco social que esta nova geração apresenta. É imperativo o jogo ostentar um visual e estilo de luxo combinado com mecânicas de jogo repletas de astúcia em sintonia com um mundo de jogadores em conjunto.

Espero que Bloodborne não seja mais um, ou um simples passo natural numa sucessão de jogos. Espero que Bloodborne envergue todo um ADN fruto de quem nele trabalha mas que seja algo único e brilhante.

Vítor Alexandre - Star Fox (Wii U)

O ano em curso vai ser um dos mais entusiasmantes para a industria dos videojogos. Qualquer que seja a plataforma, PC e consolas portáteis incluídas, dificilmente não haverá um jogo capaz de nos impressionar e envolver por completo.

Se no campo das confirmações, o próximo Legend of Zelda para a Nintendo Wii U é talvez um dos jogos cimeiros nesta altura, eleger a próxima obra de Aonuma como o jogo que mais aguardo para 2015 seria uma opção óbvia que, por uma questão de desafio, vou deixar um segundo plano. Pelo potencial, novidade, incerteza e por serem ainda escassas as informações, dou por mim a aguardar, com disfarçável impaciência, pelo novo Star Fox, também para a Wii U.

Sendo uma série algo fora da órbita da Nintendo por algum tempo (embora não tanto como F-Zero) o envolvimento completo de Miyamoto (que ainda há pouco nos forneceu Pikmin 3) e o seu empenho em fazer da articulação entre o Gamepad e o televisor uma mecânica decisiva na manobra do Airwing, deixam antever a especialidade desta produção, no regresso de um shooter 3D com velocidade, muita acção e naves espaciais. Se Miyamoto nos brindar com uma produção ao nível da que conseguiu com Star Fox para a Super Nintendo, a Wii U vai ganhar mais um clássico imediato.

Adolfo Soares - Bloodborne

Seja pelo ambiente gótico, aterrador, ou apenas pela mecânica de jogo aperfeiçoada, Bloodborne conseguiu a minha atenção. Aqui Hidetaka Miyazaki dá um novo rumo à fórmula criada em Dark Souls, as capacidades do hardware desta geração são um impulsionador da sua visão criativa.

O que foi mostrado e permitido experimentar deixou antever que estamos perante uma séria determinação em criar algo evolutivo na arte da jogabilidade e criação de mundos virtuais de elevada excelência. Como jogador que sou, quero ser surpreendido, ter satisfação no tempo que irei passar em determinada obra. Bloodborne é desta forma o meu jogo mais antecipado para este ano.

Luís Almeida - Uncharted 4: A Thief's End

As aventuras de Nathan Drake foram sempre épicas do princípio ao fim, tendo sempre uma grande história a acompanhar bem como muita ação, sendo uma série que também se destaca pelo enorme divertimento que proporciona. Nathan Drake, Elena Fisher, Chloe Frazer e Victor Sullivan são personagens carismáticos com que qualquer jogador pode ficar “ligado”, querendo ver e saber mais sobre o que aconteceu no seu passado, mas também querer ver o que serão capazes de fazer nas suas futuras aventuras.

É uma série que sempre se destacou pela sua enorme qualidade em praticamente todos os pontos técnicos e Uncharted 4: A Thief's End promete seguir o mesmo caminho. No vídeo que revelaram na PlayStation Experience nota-se as diversas melhorias nas animações, na mudança do sistema de combate corpo-a-corpo que agora parece mais natural do que nunca e na inclusão de novos elementos na jogabilidade que pelo mostrado no vídeo parecem bastante interessantes.

A inteligência artificial do Uncharted 4 sofreu uma enorme mudança em comparação com os jogos anteriores, notando-se imediatamente que os inimigos reagem de forma mais real e natural aos diversos acontecimentos e isso também é algo que melhora a experiência de jogo.

Muitos são os jogos de várias companhias que aguardo, mas no final de tudo o jogo que mais anseio jogar é Uncharted 4, logo a minha escolha não poderia ser outra. Uncharted 4: A Thief's End tem um tremendo potencial e tem tudo para ser um dos melhores jogos de 2015.

Publicidade

Salta para os comentários (146)

Sobre o Autor

Eurogamer staff

Eurogamer staff

Colaborador

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (146)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários