Entrevista Pokémon ORAS: Nova habilidade Soar, mega-evoluções, longevidade, New 3DS e o futuro

Junichi Masuda e Shigeru Ohmori destacam as novidades dos remakes e muito mais.

A convite da Nintendo, viajamos até à sede da companhia na Europa em Frankfurt para experimentar Pokémon Omega Ruby e Alpha Sapphire em antecipação ao lançamento a 28 de novembro. A ocasião também serviu para entrevistar o produtor, Junichi Masuda, diretor de Pokémon X e Y e que está envolvido na série desde os seus primórdios, e Shigeru Ohmori, diretor dos remakes em questão e que trabalha na GameFreak desde 2001 como designer e responsável pelos mapas dos jogos Pokémon.

A entrevista decorreu no início de outubro, quando a mega-evolução de Rayquaza ainda era segredo (isto para justificar a primeira pergunta que agora se tornou irrelevante). As restantes questões focaram-se em vários aspetos destas novas versões, desde a quantidade de conteúdos existentes depois do fim da história, as trocas de Pokémon com os jogos X e Y, a escolha de Pokémon para as mega-evoluções e as principais diferenças que vamos encontrar nos remakes Omega Ruby e Alpha Sapphire.

É essencial que, se querem ficar a par das novidades de Omega Ruby e Alpha Sapphire, leiam a nossa antevisão onde descrevemos e explicamos as novas mecânicas, como o "Sneaking" e PokéNav Plus. Esta entrevista complementa a antevisão contendo novas informações como a habilidade Soar e quantidade de Pokémon disponíveis.

Eurogamer: Tanto Groundon como Kyogre têm agora uma forma Primal Reversion. O Rayquaza também terá uma forma destas?

Shigeru Ohmori: Desta vez, a Primal Reversion é apenas para Groudon e Kyogre. Contudo, um dos pontos centrais da história é explorar os segredos e mistérios da mega-evolução. E por acaso, o Rayquaza tem uma mega-evolução e um grande papel nesta história sobre a mega-evolução.

Eurogamer: Há quanto tempo estão a desenvolver estes remakes? Estavam a trabalhar neles simultaneamente com Pokémon X e Y?

Shigeru Ohmori: No meu caso, o desenvolvimento começou a 21 de novembro de 2012 quando estava a conversar com o Sr. Masuda e pediu-me para ser o diretor destes remakes de Pokémon Ruby e Sapphire. Claro que, nesse ponto, ainda estávamos muito ocupados com Pokémon X e Y e a trabalhar na versão debug do jogo. Nessa altura, criei sozinho muitas das ideias e conceitos para Omega Ruby e Alpha Sapphire. Quando terminou a produção de X e Y, o pessoal moveu-se para produção de Omega Ruby e Alpha Sapphire, entrando em produção total durante cerca de um ano com 100 membros da equipa.

a
Shigeru Ohmori à direita e Junichi Masuda à esquerda.

Eurogamer: Como funcionará o sistema de trocas de Pokémon entre os jogos Omega Ruby/Alpha Sapphire e X/Y?

Shigeru Ohmori: Quando jogaste deves ter reparado que no ecrã inferior existe a MultiNav. Existem três grandes elementos da MultiNav: a DexNav, que te dá informação sobre os Pokémon à tua volta, a TVNav, e a terceira é a PlayNav. Nesta última tem todas as funcionalidades do ecrã inferior de Pokémon X/Y como o PSS, Pokémon-Amie, Super Training e podes comunicar com os jogadores de X e Y para combater e fazer trocas. E depois tens o Wondertrade que também estará presente em Omega Ruby e Alpha Sapphire.

Eurogamer: Então não vamos precisar do Pokémon Bank?

Shigeru Ohmori: Como podes comunicar com os jogos X e Y poderás realizar trocas diretamente.

"Se as pessoas estão a usar muito um Pokémon específico, é um factor para desenhar uma mega-evolução e tentar talvez mudar os combates contra-atacando um Pokémon popular" - Shigeru Ohmori

Eurogamer: Podem explicar o processo de escolher uma mega-evolução?

Shigeru Ohmori: Existe uma variedade de razões pelas quais decidimos que um Pokémon terá uma mega-evolução. Uma delas é observar os combates nos torneios mundiais e Online para descobrir quais são os Pokémon que as pessoas usam mais. Se as pessoas estão a usar muito um Pokémon específico, é um factor para desenhar uma mega-evolução e tentar talvez mudar os combates contra-atacando um Pokémon popular.

Para além disto, temos a história dos jogos, que são sobre explorar as origens da mega-evolução, portanto, os Pokémon que aparecem durante a história são escolhidos para ter uma mega-evolução. Também consideramos o que os jogadores querem ver e tentamos surpreendê-los. São muitas as razões e maneiras de determinar quais são os Pokémon escolhidos.

Eurogamer: Ainda existem mega-evoluções por revelar?

Shigeru Ohmori: Sim, existem muitos Pokémon com mega-evoluções em Omega Ruby e Alpha Sapphire, e algumas ainda não foram reveladas. Esperamos que os jogadores explorem os jogos e os descubram por si próprios.

Eurogamer: Será que o Dragonite é uma das mega-evoluções por revelar?

Shigeru Ohmori: Gostas muito do Dragonite, não gostas?

Eurogamer: Sim (risos).

Shigeru Ohmori: Quero guardar algumas surpresas para o jogo, por isso terás que jogar para descobrir.

Eurogamer: Por que razão o Pikachu é o único Pokémon com fatos especiais para os concursos de beleza?

Shigeru Ohmori: O Pikachu é um dos Pokémon mais conhecidos e tem o mesmo nome em todas as línguas do mundo. Mesmo as pessoas que não jogam, reconhecem-no pela série animada. Queríamos pegar nesta personagem e encontrar mais possibilidades para explorar e novas formas de o mostrar nos jogos. Foi assim que chegamos à ideia de o juntar aos concursos para dar-lhe fatos únicos que podem ser usados nos concursos. O que é interessante é que também podes usar os fatos no modo aventura. Quando vestes o Pikachu com um destes fatos, pode aprender ataques que normalmente não pode aprender. Por exemplo, se entrares num ginásio em que um ataque seja útil, podes vestir-lhe esse fato.

Junichi Masuda: Mas não é qualquer Pikachu que pode vestir estes fatos. É um Pikachu muito especial. Todos os fatos foram feitos à medida para este Pikachu, é o único que pode vesti-los.

Eurogamer: Acreditam que no futuro, como cada vez mais Pokémon têm mega-evoluções, todos eles terão esta nova forma de evoluir?

Junichi Masuda: Como os Pokémon são tão diferentes, penso que depende do caso. A mega-evolução é causada por esta ligação especial com o treinador. No caso de Groundon e Kyogre, conseguem atingir a Primal Reversion, que é diferente da mega-evolução, sozinhos. Por esta razão, penso que a forma como todos estes Pokémon diferentes vão evoluir depende de cada caso.

Eurogamer: Será possível apanhar o Deoxys? Não tenho a certeza, mas penso que nos originais apenas podíamos apanhá-lo através de um evento especial.

Shigeru Ohmori: Já não me lembro como funcionou esse evento, mas penso que poderá ter sido para os jogos FireRed LeafGreen em que houve um evento especial de distribuição.

Shigeru Ohmori: A única coisa que posso dizer agora é que existem muitas surpresas para quem jogou os originais. Existem definitivamente Pokémon lendários que não aparecerem nos primeiros. Quero que os jogadores explorem por si próprios e descubram como estes Pokémon podem ser apanhados.

Eurogamer: Podem dar-me uma estimativa de quantos Pokémon poderemos apanhar? Talvez sejam mais de metade dos 719 que existem agora?

Shigeru Ohmori: Não te posso dar um número específico, mas posso adiantar que com X/Y e Omega Ruby/Alpha Sapphire poderás apanhar todos os Pokémon e completar a National Dex, só para te dar uma ideia de quantos Pokémon estarão disponíveis.

"Como conseguimos recriar toda a região em 3D, os jogadores vão poder voar com uma nova habilidade chamada Soar e aterrar em qualquer sítio" - Shigeru Ohmori

Eurogamer: Qual é o motivo para não existir um remake do Pokémon Emerald?

Junichi Masuda: Fui o diretor dos originais e foi um projeto muito especial e memorável para mim. A inspiração para a região surgiu-me da terra dos meus avós, a ilha de Kyushu no Japão, que visitava durante o verão para brincar no rio e no oceano. Sendo um projeto tão especial, sabia que queria recriar Ruby e Sapphire nestes remakes. Mas não são simples recriações, adicionamos muitos elementos e, por exemplo, o Rayquaza, que tinha um grande papel no Pokémon Emerald, tem importância nestes novos jogos em adição às novidades que acredito que os jogadores vão gostar.

Eurogamer: Quais são as principais diferenças entre estes remakes e as versões originais?

Shigeru Ohmori: Obviamente, a maior diferença será na parte visual. O Ruby e Sapphire foram os primeiros jogos nos quais trabalhei na GameFreak. Estive envolvido no desenho dos mapas e ambientes, que eram a duas dimensões naquela época. Agora com estes remakes para a 3DS temos mais capacidade gráfica e atualizamos a região para ser apresentada completamente em 3D. Criamos cenários belos que realmente refletem como a região japonesa de Kyushu é durante o verão. O nosso foco foi recriar essa atmosfera. Os Pokémon dos outros jogos também aparecem agora a três dimensões. Inicialmente penso que o visual será a parte de destaque para todos os jogadores.

Shigeru Ohmori: Outra nova funcionalidade tem por base o conceito dos originais de dois grandes temas: a terra e o oceano. A terra era representada por Groundon e o oceano por Kyogre. Em adição a isto, com Omega Ruby e Alpha Sapphire adicionamos o tema do céu, que é de certo modo representando por Rayquaza. Mas como conseguimos recriar toda a região em 3D, os jogadores vão poder voar com uma nova habilidade chamada Soar e aterrar em qualquer sítio. Nos originais havia muitos sítios, incluindo pequenas ilhas, que não podias alcançar mas que agora podes. Nestes sítios vais encontrar Pokémon que originalmente não estavam lá.

Eurogamer: Qual é a diferença entre esta habilidade e o Fly?

Shigeru Ohmori: Com o Fly escolhes um local e podes voar para aí diretamente. Mas o Soar é uma nova habilidade exclusiva para o Mega Latios e Mega Latias. O jogador viaja nas costas destes Pokémon e podes controlar a direção enquanto voas. Estes Pokémon também têm a habilidade de detetar aonde estão certos Pokémon para que possam guiar-te até eles.

Eurogamer: Talvez seja demasiado cedo para perguntar, mas será que podemos contar com remakes de Pokémon Pearl e Diamond? Parece ser um passo lógico já que há remakes do Pokémon Blue e Red, Silver e Gold e agora Ruby e Sapphire.

Junichi Masuda: Da minha perspetiva parece que acabei ainda há pouco esses jogos. Parece-me que precisamos de mais tempo antes de pensarmos em remakes (muitos risos).

Eurogamer: Quanto ao futuro, qual é a vossa visão para Pokémon daqui a dez anos?

Junichi Masuda: Desde o início que Pokémon evoluiu ao par das consolas portáteis da Nintendo. Começamos com o Link Cable no GameBoy, depois avançamos para o Wireless e agora temos o Wi-Fi para a ligação à Internet juntamente com várias funcionalidades novas. Penso que o hardware continuará a evoluir e a esse ritmo vão aparecer novas tecnologias para criar uma jogabilidade e formas de comunicar mais ricas nos jogos Pokémon.

Em simultâneo, criamos sempre os jogos para que possam ser jogados com muitas pessoas e encontrares diversão. Penso que esta continuará a ser a filosofia para os jogos Pokémon no futuro.

"O hardware continuará a evoluir e a esse ritmo vão aparecer novas tecnologias para criar uma jogabilidade e formas de comunicar mais ricas nos jogos Pokémon" - Junichi Masuda

Eurogamer: Dado que disse que o hardware continuará a melhorar, gostou da New 3DS? Está a considerar em criar algum jogo para a nova versão da consola?

Junichi Masuda: É pretendido que Omega Ruby e Alpha Sapphire funcionem ao par de X e Y para que exista compatibilidade. A nossa intenção foi assegurar que a experiência é a mesma em todas as plataformas, a 3DS, New 3DS e 2DS. Por isso não criamos nada especial para a New 3DS nestes jogos. Mas claro que, sempre que é lançado um novo hardware, a tecnologia melhora e é importante que a tecnologia continue a evoluir. Quanto às plataformas para as quais vamos lançar os nossos jogos, queremos manter as pessoas na expectativa. Não temos nada a anunciar por agora.

Com a nova 3DS estou preocupado que demasiados botões possam confundir as crianças, mas penso que funcionará bem.

Eurogamer: Podem falar sobre os conteúdos disponíveis depois de concluirmos a liga dos Pokémon?

Shigeru Ohmori: Dependendo do objetivo do jogador, existe definitivamente muitas coisas para fazer. Por exemplo, alguém que queira apanhar todos os Pokémon precisará de muito tempo para realizar essa tarefa. Mas acredito que temos imensos conteúdos reservados para aqueles que querem continuar a jogar depois do fim da história, por exemplo, os concursos de beleza. Existe uma sub-história que se desenrola à medida que progrides no ranking, penso que será muito divertido explorar isto para além da história. E também temos as bases secretas, que têm novas funcionalidades e podem ser partilhadas com outros jogadores. Estes são apenas alguns exemplos dos conteúdos dos quais os jogadores vão poder desfrutar.

Publicidade

Salta para os comentários (18)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Pokémon Sword & Shield Review - A série precisa de uma mega-evolução

A transição da Gamefreak para a Switch não é suave.

ArtigoTop 10: As melhores animes de sempre

A animação japonesa continua a encantar.

Disney+ regista 10 milhões de contas no primeiro dia

The Simpsons, The Mandalorian e Moana entre os mais vistos.

Promoções PS Store em mais de 100 jogos

Kingdom Hearts 3, Tales of Vesperia e mais.

Também no site...

Comentários (18)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários