A grande notícia do dia foi a confirmação por parte da Mojang de que foi adquirida pela Microsoft pela quantia astronómica de 2.5 mil milhões de dólares, tal como tinha referido a Reuters neste fim-de-semana. Markus "Notch" Persson, criador de Minecraft, saiu da Mojang e explicou, numa carta aberta, porque deixou a companhia para dedicar-se a pequenos projectos e experiências.

"Não me vejo como um verdadeiro produtor de jogos. Crio jogos porque é divertido, e porque adoro jogos e adoro programar, mas não quero fazer jogos com a intenção de se tornarem em grandes sucessos, e não tento mudar o mundo”, explicou Persson."Minecraft tornou-se num enorme sucesso, e as pessoas dizem-me que mudou os jogos. Nunca tive intenção de alcançar ambos", acrescentou.

"Há um certo tempo que deixei o desenvolvimento de Minecraft. Jens era a pessoa perfeita para passar o testemunho, e tentei fazer coisas novas. Ao início falhei ao tentar fazer algo grande novamente, mas desde que decidir dedicar-me a projectos pequenos em forma de protótipo e a desafios interessantes, tenho divertido-me muito com o meu trabalho," continuou.

"Assim que o negócio for finalizado, sairei da Mojang e regressarei a criar jogos no Ludum Dare e pequenas experiência na web. Se acidentalmente criar algo que ganhe alguma tracção, provavelmente irei abandoná-lo imediatamente".

"Considerando que a imagem que o público tem de mim já é um pouco deturpada, não espero escapar dos comentários a fazer isto, mas pelo menos agora não tenho a responsabilidade de os ler."

"Tenho noção que isto vai contra muito daquilo que disse em público. Não tenho um boa resposta para isso. Também tenho noção que muitos de vocês estavam-me a usar como símbolo de uma luta. Mas eu não sou um símbolo, sou uma pessoa, e estou aqui a sofrer como vocês".

"Adoro-vos a todos. Obrigado por tornarem Minecraft naquilo que se tornou, mas vocês são muitos, e não posso ser responsável por algo deste tamanho. De uma certa maneira agora pertence à Microsoft. De uma maneira mais geral, há muito que pertenceu a todos vocês, e isso nunca irá mudar".

"Não é pelo dinheiro. É pela minha sanidade", concluiu.

Publicidade

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Mais artigos pelo Luís Alves