Final Fantasy XV poderá ser o último Final Fantasy lançado nas consolas?

Square Enix sente-se pressionada em fazer um RPG de sucesso.

Em entrevista com o Kotaku, Hajime Tabata, co-director de Final Fantasy XV, falou sobre o jogo que foi anunciado originalmente em 2006 sob um nome diferente e para uma velha geração de consolas.

Desde que foi anunciado, o mercado japonês evoluiu e seguiu outras tendências onde agora domina o mercado mobile e o das portáteis. Os jogos de grande orçamento começam a ser para um pequeno nicho de mercado, e alguns dos grandes produtores japoneses de RPG que tinham por hábito estar nas consolas de sala estão agora voltados para os dispositivos móveis. Final Fantasy XV é um dos grandes RPG a marcar presença nas consolas domésticas e o destino da série parece depender muito do sucesso deste jogo.

"Existe provavelmente uma explicação cultural para explicar o motivo do mercado japonês estar voltado para as portáteis ou para os smartphones. Penso que seja algo único no Japão, onde toda a gente se transporta para o trabalho com longas viagens de comboio e autocarro, eles têm tempo para jogar nos dispositivos móveis."

"Existe este tipo de tendência para ter algo mais acessível. Mas desde que eu era muito novo, jogava durante muitas horas, passava muito tempo em frente à TV, aprofundado-me nos jogos. Por isso eu gosto desse tipo de jogos, e naturalmente que quero criar esse tipo de jogos para a actual geração e para as gerações vindouras."

"Como tal em termos de saber se os jogos de consolas vão continuar a ser bem recebidos, não posso dizer que não tenho quaisquer tipo de preocupações, mas eu acredito que isso vai depender do desempenho de Final Fantasy XV. Porque eu quero que as pessoas divirtam-se com jogos nas salas de estar, no grande ecrã. Se Final Fantasy XV não se sair bem, provavelmente não haverá muito futuro para os jogos de consola. Vai depender muito de como o jogo se vai portar," explicou Tabata em relação ao panorama actual dos RPG e dos videojogos em geral no Japão.

Apesar da opinião de Tabata não ser um indicativo da opinião da Square Enix no geral, não deixa de ser preocupante pensar na hipótese de outros membros da equipa, ou até de outras produtoras japonesas, desistirem de desenvolver jogos nas consolas domésticas se Final Fantasy XV falhar.

Salta para os comentários (66)

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (66)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários