Far Cry 4 é um significativo passo em frente sobre Far Cry 3

Estranhamente o vilão quer ser amigo do herói.

Alex Hutchinson, director criativo de Far Cry 4, disse numa recente entrevista que o novo jogo da série representa um significativo passo em frente em relação a Far Cry 3.

"O trabalho começou quase após termos terminado Far Cry 3, e eu juntei-me um pouco depois disso," disse Hutchinson à RedBull. "A ideia foi sempre construir sobre os melhores e mais bem sucedidos elementos do jogo anterior e integrar novas características e ideias para termos a certeza de que é algo refrescante e de que o jogo dá um significativo passo em frente. Para mim, as coisas mais importantes é permitir uma maior liberdade de acção ao jogador, construir melhores ferramentas e acrescentar um modo cooperativo de modo a permitir que as pessoas criem mais histórias interessantes para o jogador, e tentar criar uma experiência perfeita."

A produção de Far Cry 4 está a ser liderada pela Ubisoft Montreal, que está a criar as missões principais para o jogo e a maior parte do mundo aberto, enquanto que os outros estúdios estão a trabalhar noutras vertentes. Por exemplo, a Red Storm Entertainment está a trabalhar no modo multijogador competitivo, enquanto que a Ubisoft Shanghai e a Ubisoft Toronto estão a desenvolver uma série de missões com novos ambientes fora do mundo de Far Cry 4. Hutchinson disse que a Ubisoft irá mostrar em breve essas missões.

Durante a entrevista Hutchinson explicou a escolha de Kyrat nos Himalaias como o local onde se passa Far Cry 4. Ele disse que a Ubisoft queria encontrar um local que "desafiasse a jogabilidade de uma nova forma", e parece que os Himalaias encaixam-se nessa descrição graças à verticalidade do ambiente montanhoso.

Colocar a acção nos Himalaias também oferece a oportunidade de introduzirem novas características de jogabilidade como o gancho e o girocóptero, que mudam radicalmente a forma de como as pessoas podem experimentar o mundo.

Quanto ao Vilão, Pagan Min, Hutchinson descartou a ideia dele ser maluco. "Ele é tão rico e poderoso em Kyrat que ele não vive no mesmo mundo que o resto de nós." Uma vez que ele pôde fazer aquilo que sempre quis durante anos, ele vê o mundo de uma forma diferente e não ouve as pessoas quando elas lhe dizem não. Hutchinson disse que Min e Ajay Ghale, o herói do jogo, têm uma dinâmica pouco tradicional. Ou seja, Min não quer matar Ghale.

"Ele quer ser amigo dele, e vais descobrir porquê durante o jogo," disse Hutchinson. "Nós não queríamos outro vilão que ameaçasse o jogador e que o jogador soubesse que teria de derrotá-lo no fim, penso que isso não é emocionante."

Salta para os comentários (9)

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (9)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários