Microsoft quer que a Xbox One seja a número um

E está empenhada para que isso aconteça.

Apesar da Xbox One ter vindo a perder terreno para a PS4, a Microsoft parece estar determinada para que a sua nova consola dê a volta por cima.

Em entrevista com o CVG, Harvey Eagle, responsável pelo marketing da Xbox no Reino Unido, contou a visão que tem para a Xbox One, que inclui em trazer cada vez mais pessoas para o mundo dos jogos e ganhar a luta pelo primeiro lugar nesta geração.

"Existem algumas coisas que eu gostaria que conseguíssemos. Numa visão a longo prazo, quero que a Xbox tenha o papel de trazer mais pessoas para os jogos. Penso que compete àqueles que fabricam as consolas aumentarem o mercado. Caso contrário estamos apenas a trocar os mesmos consumidores entre si," disse Eagle.

"Existem outras medidas de sucesso, e a fatia de mercado é certamente uma medida muito importante. A Microsoft é uma companhia muito ambiciosa, e nós queremos ser a número um," acrescentou ele. "Estamos nisto a longo prazo e a companhia está empenhada em fazer com que isso aconteça."

Eagle contou que o papel da Microsoft é oferecer às pessoas divertimento e garantir de que elas estejam felizes. "Quando o feedback é positivo, obviamente que nós somos humanos e sentimo-nos bem com isso," disse ele.

Eagle aproveitou a ocasião para elogiar o novo responsável pela divisão Xbox, Phil Spencer, que segundo ele, trouxe mais consistência e foco ao negócio Xbox. "Nós sabemos onde precisamos de chegar, o que precisamos de fazer, e estamos completamente focados em trazer grandes jogos," disse Eagle.

Foi discutido também o lançamento de Titanfall, que para Eagle foi o momento em que a Xbox One começou a ter mais destaque. E apesar do sucesso do jogo, ele referiu que ainda há muito trabalho a fazer para que as vendas da consola consigam atingir outro patamar.

"A mudança começou quando Titanfall foi lançado em março, o jogo tem tido um enorme sucesso e penso que foi o começo daquilo que acredito que seja uma verdadeira mudança de ritmo, um momento de impulso," disse Eagle.

Além de Titanfall, houve algumas mudanças na estratégia como o lançamento da Xbox One sem o Kinect, que influenciou directamente no preço da consola, assim como a expansão do programa Games with Gold e as várias actualizações do sistema.

"É o efeito acumulativo de todas essas coisas durante um período em que temos vindo a ter este momento de impulso para nós," acrescentou Eagle. "Ainda há trabalho a ser feito para aumentar as vendas. O momento de impulso é algo encorajador, mas certamente que há mais trabalho por fazer. Precisamos de ver este aumento e continuar durante um longo período de tempo. Com um forte alinhamento de jogos a serem lançados nos próximos seis meses, penso que isso irá aumentar ainda mais esse impulso."

Eagle acrescentou também que a Microsoft vai continuar a ouvir os seus utilizadores e que irão acontecer mudanças baseadas naquilo que eles mais desejarem.

Salta para os comentários (13)

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (13)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários