Entrevista - Soul Calibur Lost Swords

Conversámos com Masaaki Hoshino sobre a passagem a F2P.

Tivemos a oportunidade de conversar com Masaaki Hoshino, produtor da série Soul Calibur, durante o evento Level UP, organizado pela Bandai Namco em Berlim. Hoshino é um dos produtores mais antigos, e portanto mais conhecedores do jogo de luta, tendo trabalhado na série desde o começo.

As questões focaram-se maioritariamente na decisão de passar a série para um modelo free-to-play, como funciona exactamente o financiamento do jogo, e o porquê de ser um exclusivo PlayStation 3. Fiquem com a entrevista completa.

Eurogamer Portugal: Obrigado pelo seu tempo, permita-me começar por lhe perguntar se pensa que o free-to-play representa o futuro dos "fighting games".

Masaaki Hoshino: Pessoalmente, não acho que o free-to-play seja o futuro dos jogos de luta, no entanto, e usando o exemplo de Soul Calibur Lost Swords, descobri que é um modelo que se adequa muito bem, porque o jogo não é apenas um "fighting game", mas um jogo baseado em armas, existe uma multitude de armas que podemos disponibilizar aos utilizadores.

Este modelo funciona bem, mas é apenas mais um, se no futuro aparecerem outras formas de financiamento, adoraríamos experimentar. Esta história não é simples, não é como se nunca fossemos voltar à venda normal da caixa, é apenas uma experiência que fizemos para a franquia.

Eurogamer Portugal: Pode explicar-nos como vai funcionar o modelo de financiamento ao certo?

Masaaki Hoshino: A primeira coisa que gostava de enfatizar, é o facto de poderem aproveitar o jogo sem ter que pagar nada para isso, confia em mim, isto é o jogo, não precisas de pagar por mais nada.

O motivo principal foi o permitir que todos experimentem a franquia Soul Calibur. Existem dois items no jogo que podes comprar, o primeiro é uma caixa do tesouro, durante o jogo podes coleccionar items, armaduras e armas, que também estão incluídos nestas caixas. É uma forma opcional de conseguir os items.

"Isto é o jogo, não precisas de pagar por mais nada."

Outra forma de monetização é o "continuous ticket". Como já disse, à medida que jogas coleccionas recompensas, mas quando morres, perdes tudo que tinhas acumulado. Com este bilhetes podes reviver e recuperar o que perdeste. Estas são as duas principais formas de monetização que temos no jogo.

Eurogamer Portugal: Mas e em relação aos pontos AP, reparei que os vamos gastando ao longo do jogo, o que são exactamente estes pontos?

Masaaki Hoshino: Sim claro, é verdade, temos outra opção que são as poções de pontos de AP (pontos de acção). À medida que vamos jogando, vamos consumindo os nossos pontos de AP, mas estes podem ser recuperados com o tempo. Vamos oferecer bilhetes de pontos de acção todos os dias gratuitamente, para que os utilizadores possam jogar quando quiserem. Claro que se quiseres jogar durante muitas horas, irás consumir os pontos todos, podes comprar poções, ou simplesmente esperar até que recuperem.

Eurogamer Portugal: Num título Free-to-play, a quantidade de utilizadores é fundamental, porque apenas uma pequena percentagem estará disposta a pagar algo. Neste sentido, porquê exclusivo PSN?

Masaaki Hoshino: Então, um dos objectivos para o lançamento de Soul Calibur Lost Swords, era disponibilizá-lo o mais rapidamente possível, aliás, o período de desenvolvimento foi de menos de um ano. Usamos o motor de Soul Calibur V, fizemo-lo rapidamente com a PlayStation 3, então, esta foi uma das maiores razões.

Existia a possibilidade de coloca-lo na Xbox 360, mas se quiseres lançar um free-to-play nesta consola, precisas ter em conta que os jogadores têm que pagar a mensalidade do gold, o que não acontece com o Plus na PS3. Este é um jogo gratuito, e foi por isso que nos decidimos pela PSN.

Eurogamer Portugal: E podemos esperar uma transição para a PlayStation 4 com o passar do tempo?

Masaaki Hoshino: Este Soul Calibur Lost Swords foi um novo desafio com o novo modelo de financiamento. Aparentemente, a equipa da franquia de Soul Calibur gosta de desafios, e isso inclui o momento em que saem novas máquinas no mercado, ou quando trabalhamos num motor de jogo novo.

Se existir alguma consola que esteja a portar-se mesmo bem, penso que a minha resposta é muito clara. Porque não? Se o mercado quiser, nós estaremos lá.

Publicidade

Salta para os comentários (5)

Sobre o Autor

Aníbal Gonçalves

Aníbal Gonçalves

Redator

MMOs e RPG são com o Aníbal. Aliás existe um rumor na redação que a sua primeira casa é o World of Warcraft. Mas às vezes também o vemos a fazer uns exercícios. Não é mau de todo.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários