Para os fãs de Resident Evil, a série começou a afastar-se das suas raízes Survival Horror a partir de Resident Evil 4, que está mais virado para ação do que propriamente para o terror. Esta transição não se passou apenas com Resident Evil, Dead Space também renunciou lentamente as raízes de jogo para jogo.

Comummente, pensa-se que o abraçar do género da ação deve-se à intenção das editoras em aumentar o público alvo. Shinji Mikami, o criador de Resident Evil, discorda.

"Se queres manter uma grande série de terror, tens que trabalhar com pessoas que adoram o género. Se trouxeres produtores de outros géneros, vais acabar com um jogo mais virado para a ação. Com Resident Evil 4 tinha a intenção de criar um jogo mais virado para a ação - o quinto e o sexto jogo não foram da minha responsabilidade, claro - mas em Resident Evil 2 e Resident Evil 3 não foi essa a minha intenção," disse Mikami ao IGN.

"Tornou-se naturalmente um jogo de ação" continuou Mikami a explicar o que sucedeu com Resident Evil. "Suspeito que Dead Space seguiu o mesmo caminho. Naturalmente tornou-se virado para ação. Quando os produtores pensam sobre os seus jogadores... penso que não dizem 'Ok, se queremos passar de 2 milhões de unidades para 4 milhões temos que introduzir mais ação', é um processo mais intuitivo".

Originalmente, Resident Evil 4 era para ser mais aterrador, mas as vendas fracas do Remake do primeiro jogo para a GameCube levaram Mikami a mudar de ideias.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.