Confronto: Resident Evil: Revelations

Nintendo 3DS vs. PC e consolas actuais.

Xbox 360 PlayStation 3 PC
Tamanho do disco 7.8GB 11.5GB Transferência Steam
Instalação 7.8GB (opcional) - 7.96GB
Suporte Surround Dolby Digital (estéreo) Dolby Digital (estéreo) Stereo

E que tal algo diferente? Um Confronto do Digital Foundry que nos serve as habituais plataformas HD com a presença extra da Wii U - e tudo alinhado e comparado com o original 3DS. É uma comparação única e fascinante que nos deve dar uma portátil compreensivelmente ultrapassada, e geralmente batida em todas as formas. Ainda assim, apesar do enorme fosso no poder de processamento (pensem na 3DS como equipamento do nível Dreamcast com algumas funcionalidades gráficas mais modernas) e ficamos bem impressionados com o jogo portátil e permanece como uma das amostras tecnológicas mais impressionantes no sistema portátil da Nintendo.

Desenhado especificamente para a 3DS e concebido em redor das suas forças e fraquezas, Resident Evil: Revelations é mais comedido do que jogos recentes e oferece os ambientes claustrofóbicos e gameplay survival horror tradicionalmente esperado da série. Os ambientes fechados permitem à Capcom criar personagens e locais detalhados, deixando suficiente poder gráfico para um impressionante esquema de iluminação por pixel e um leque de efeitos visuais que demonstram as capacidades da portátil Nintendo de baixas especificações sem comprometer demasiado a performance.

Lançado na altura em que a adoção da 3DS ainda era muito baixa, o jogo não teve o tipo de sucesso esperado de uma das maiores séries dos videojogos. Com a desilusão de Resident Evil 6 ainda presente, Revelations tem uma segunda oportunidade para impressionar numa edição HD retrabalhada, com gráficos melhorados e modos de jogo aumentados. Para um jogo construído em redor de equipamento modesto, o quão bem se converte para consolas caseiras vastamente mais poderosas? Estamos perante pouco mais que o jogo 3DS a correr em maior resolução, ou as melhorias gráficas fazem justiça ao que é o primeiro Resident Evil tradicional a chegar aos sistemas caseiros em anos?

Começamos por olhar para as versões de consola e PC, com uma gigantesca galeria de comparação em quatro formatos e mais vídeos frente a frente do que possas imaginar (bem, OK, seis).

Resident Evil : Revelations - Wii U vs. Xbox 360. Escolham 720p HD e ecrã completo para resolução completa.

Comparações alternativas:

Qualidade de imagem está claramente acima da de RE6. Nas consolas temos uma apresentação 720p nativa juntamente com anti-aliasing providenciado pela implementação da popular solução FXAA. Isto dá ao jogo um aspecto nítido que é na maioria livre de quaisquer artefactos óbvios nas arestas, e surpreendentemente o blur nas texturas é mínimo. O trabalho de arte parece claro e intocado - melhor, pelo menos quanto a resolução variável para as texturas permite.

No PC podem optar por versões de maior qualidade do efeito anti-aliasing que providencia ainda melhor cobertura sem penalidade adicional na clareza do trabalho de arte - a definição maior é FXAA3 HQ, pela qual rapidamente optamos. O resultado final é uma imagem suave que parece mesmo limpa ao correr em resoluções muito altas, e o uso de FXAA realmente tem destaque a 1080p e resoluções maiores, onde o problema do crawling sub-pixel é inerente à maioria da AA pós-processamento e um problema bem menor.

Além do reforço no anti-aliasing, o nível de consistência gráfica mantém-se estável em todas as consolas e até no PC. No geral, diferenças significantes são poucas, limitadas a um bias derivado no qual as sombras estão posicionadas em locais ligeiramente diferentes na PS3 e Wii U (360 e PC são iguais) e o uso de elementos de maior qualidade no PC (texturas de maior resolução e mapas normais podem ser vistos nalgumas superfícies, mas as suas aparências são pouco frequentes no mínimo).

Wii UX360PS3PC
O uso da implementação FXAA de alta qualidade resulta numa apresentação limpa em todas as consolas sem qualquer esborratar de texturas perceptível. Isto vai mais além no PC com FXAA3, que quase totalmente cuida do aliasing em resoluções altas, como 1080p.
Wii UX360PS3PC
Na maioria, a qualidade do trabalho de arte é geralmente idêntica em todas as versões, apear da versão PC beneficiar da inclusão de texturas de marginal maior resolução e mapas normais de melhor qualidade nalgumas superfícies.
Wii UX360PS3PC
Vídeos são usados para CGI e sequências geradas offline que usam elementos in-engine de maior qualidade. Artefatos de compressão são mais proeminentes na 360 e PC em cenas que usam FMVs com CG, enquanto a qualidade de vídeo é igual nas compostas por elementos in-engine.

Apesar da sua herança portátil de especificações baixas, Revelations no geral aguenta-se bem quando convertido para consolas caseiras e PC. A correr em resoluções muito maiores que as do original 3DS, os ambientes fechados não parecem muito quadrados, enquanto os personagens tem complexidade geométrica e mapas normais para os manter com aspecto arredondado e com detalhe razoável. Revelations certamente não passará como jogo de atual geração, mas está numa classe à parte do tipo de resultados que vimos na anterior geração de consolas.

Fora da jogabilidade, o aspecto das cutscenes mostra alguns problemas de compressão ligeiramente mais visíveis na 360 e PC (PS3 e Wii U são idênticas) mas isto parece principalmente restrito às sequências de vídeo CG. No entanto, a maioria das cinemáticas do jogo são geradas offline com elementos in-engine de maior qualidade antes de codificadas para FMVs. Tanto a qualidade de vídeo como a criação offline de elementos é igual nas consolas e PC nestas cenas.

Plataformas HD vs. Original 3DS

Apesar de correr em equipamento tecnologicamente arcaico comparado com a PS3 e 360, é particularmente impressionante ver o quão bem a versão 3DS se aguenta compara com as versões de consola melhoradas. Dadas as modestas especificações da 3DS, a Capcom trabalhou cuidadosamente em redor das limitações de largura de banda, memória e processamento do equipamento e ainda conseguiu um jogo polido com aparência de atual geração. E é uma abordagem que funciona mesmo muito bem - algo que tem a ajuda do pequeno ecrã estereoscópico - dando à portátil Nintendo um dos jogos mais impressionantes graficamente até hoje.

"É particularmente impressionante ver o quão bem a versão 3DS de Revelations se aguenta comparada com as versões HD das consolas."

Resident Evil : Revelations - Nintendo 3DS vs. Wii U. Provavelmente melhor visualizado a 480p, é espantoso o quão aproximado o original está dos parceiros HD.

Apesar de ter contagem reduzida de polígonos e texturas de menor resolução, o nível de detalhe nos ambientes é muito similar ao das consolas, a vasta maioria dos objetos aparece em todas as versões, apesar de algumas não terem alguns toques extra encontrados nas consolas - goma escorre pelas paredes nas consolas e PC, mas aparece simplesmente em poças no chão na 3DS.

Em termos dos ambientes e personagens, mapas normais são usados para ajudar superfícies suaves enquanto trabalham com as capacidades limitadas da portátil Nintendo para criar polígonos, enquanto nas outras plataformas estas são usadas em combinação com modelos geometricamente mais complicados para melhorar ainda mais detalhes subtis.

Igualmente, efeitos de superfície - tais como reflexos especulares e difusos de maior qualidade - são gerados em muito maior precisão com pixel-shaders nas consolas e PC, onde mais objetos beneficiam do efeito aplicado. Adicionalmente, efeitos de fumo volumétrico estão presentes nas consolas e PC, dando a estes efeitos considerável profundidade e realismo. Comparativamente sprites alfa achatados sem volume são usados na 3DS, com menos camadas sem profundidade.

3DSPC
A qualidade de vídeo em Revelations é consideravelmente pior na 3DS comparado com outros formatos, pesados artefatos de compressão criam FMVs de aspeto sujo sem o detalhe nítido encontrado nas cenas de jogo em tempo real.
3DSPC
Fumo volumétrico de várias camadas está presente nas consolas e PC, que adiciona grande profundidade a estes elementos. Mas na 3DS sprites alfa achatados que não tem profundidade são usados e são construídos de menos camadas.
3DSPC
Blur de objeto adiciona um toque de refinamento às versões HD, mas talvez não surpreendente o efeito está completamente ausente do original 3DS.
3DSPC
Complexidade da geometria é menor nos personagens e ambientes na 3DS, são usados mapas e shading normais para ajudar a suavizar os modelos de polígonos menos refinados.
3DSPC
Efeitos, tais como especulares e reflexos, parecem ser geridos usando pixel-shaders nas consolas e PC, comparado com camadas de texturas de função fixa na 3DS - verifiquem o brilho no sinal à esquerda e a superfície nos personagens.

Noutras áreas, o uso de iluminação por pixel e um efeito HDR na 3DS é bem impressionante, fontes dinâmicas de luz iluminam os personagens e o ambiente em redor, apesar de realces especulares e outros efeitos de superfície serem gerados via camadas de textura de função fixa ao invés de usar pixel-shaders, que a 3DS simplesmente não tem. As sombras também são geradas numa resolução menor que a das consolas, e apresentam filtro PCF de menor qualidade.

Olhando para a qualidade geral de imagem, Revelations corre a 800x240 no modo 3D (fornece imagens 400x240 por olho) e faz isso sem anti-aliasing - padrão encontrado nos jogos 3DS. As imagens são nítidas e o nível de profundidade oferecido é impressionante sem recorrer à exploração de paralaxe negativo para fazer com que os objetos voem do ecrã para ti.

Ao contrário doutros títulos, nunca sentimos a necessidade de desligar o 3D - o efeito torna a experiência mais imersiva - mas os que preferem jogar em 2D, o jogo tem um aumento na qualidade de imagem ao correr neste modo. O jogo beneficia de 2xAA, com cobertura por toda a cena e faz um trabalho muito bom para corrigir os jaggies, criando assim uma apresentação mais clara como resultado. Dito isto, o jogo não parece tão nítido a 2D quando visto no ecrã 3D.

3DS 2D3DS 3D
Alternar entre modos 2D e 3D não ajuda a performance, mas o anti-aliasing é ativado quando o modo estereoscópico é desligado.
3DS 2D3DS 3D
Alternar entre modos 2D e 3D não ajuda a performance, mas o anti-aliasing é ativado quando o modo estereoscópico é desligado.
3DS 2D3DS 3D
Alternar entre modos 2D e 3D não ajuda a performance, mas o anti-aliasing é ativado quando o modo estereoscópico é desligado.
3DS 2D3DS 3D
Alternar entre modos 2D e 3D não ajuda a performance, mas o anti-aliasing é ativado quando o modo estereoscópico é desligado.

Resident Evil: Revelations - análise à performance

Comparado com os recentes jogos RE HD com ambientes mais complexos e o puro número de inimigos no ecrã, os locais mais pequenos e mais restritivos em Revelations devem permitir à Capcom manter melhor um rácio de fotogramas mais suave quando o motor está sob stress comparado com os títulos graficamente mais exigentes dos dias de hoje.

No todo esse é certamente o caso na edição HD. Na maior parte vemos firmes 30FPS na 360 e PS3, os rácios de fotogramas descem apenas brevemente para o vinte durante batalhas contra grandes bosses com um grande número de inimigos no ecrã. Vemos pequenas quedas para altos vinte na PS3 de tempo a tempo, mas isto nunca se destaca fora de comparações lado a lado.

Pelo outro lado, a versão Wii U parece ser visivelmente menos refinada nesta área, com pequenas mas frequentes flutuações na suavidade que adicional perceptível trepidação à experiência. Mais ainda, os rácios de fotogramas são mais afetados quando o moto está sob carga e isto tem maior impacto nos controlos comparado com a 360 e PS3. Apontar e caminhar no geral sente-se mais pesado e com menor resposta na Wii U - parece haver uma zona-morta muito maior que cria um atraso entre mover os analógicos e o surgir da ação no ecrã. Comparativamente, não tivemos problemas com o pressionar de botões, portanto a forma como os controlos foram programados para os analógicos parece ser o problema.

"A Wii U é visivelmente menos refinada que na 360 e PS3, com pequenas mas frequentes flutuações na suavidade adicionando perceptível trepidação à experiência geral."

As versões Xbox 360, PlayStation 3 e Wii U de Resident Evil: Revelations avaliado pelas ferramentas de análise do Digital Foundry - vemos uma maior aproximação entre as consolas Microsoft e Sony, mas a Wii U é uma desilusão.

Isto em forte contraste com o PC, onde não tivemos nenhum problema em correr o jogo a 1080p60 no nosso Lynnfield Core i5 750 com uma Radeon 7870, dando a esta versão uma distinta vantagem sobre as consolas. É interessante todas as versões sofrerem de frequentes pausas de meio segundo ao carregar novas áreas ou a gravar durante o jogo, mas estas pausas tem um impacto bem maior no PC, fazendo com que os rácios de fotogramas desçam perceptivelmente por alguns segundos (entre 10-15FPS) - algo que não acontece nas outras versões. Os tempos podem mudar aqui, dependendo do equipamento.

Como poderiam esperar, a performance 3DS não é tão suave quanto a 360 e PS3 quando o motor está sob pesada carga, mas de resto temos uma atualização suave a 30FPS que é dificilmente comprometida sequer fora do combate. Batalhas contra grandes bosses causam sustentadas quedas para 20FPS, enquanto exclusões mais pequenas com menos inimigos fazem com que os rácios de fotogramas rondem os meios vinte.

Igualmente, o uso de luz dinâmica e um maior número de efeitos de função fixa também fazem com que a atualização 30FPS inicialmente sólida seja comprometida durante cenas de combate intenso. No entanto, fora destas situações, a versão 3DS oferece uma experiência de jogo mais fluída que a versão Wii U - situação que custa a acreditar.

"A performance 3DS não é tão suave quanto na 360 ou PS3 quando o motor está sob carga, mas de resto vemos a mesma suave atualização a 30FPS que dificilmente é comprometida sequer fora do combate."

Análise à performance da versão 3D de Revelations. Combate intenso claramente causa problemas, mas no resto a experiência sente-se mais suave que o jogo Wii U.

Resident Evil: Revelations - veredicto Digital Foundry

Apesar de 'apenas' ser uma conversão de um jogo portátil tecnicamente impressionante, Revelations nunca se sente como um título 3DS melhorado para as atuais consolas. A tradução de portátil para consolas é no geral excelente, com o uso de elementos de maior qualidade e a implementação de efeitos visuais mais refinados que permitem ao jogo uma boa apresentação nos sistemas caseiros comparado com o equipamento 3DS bem mais fraco. Como resultado, a combinação de um design de níveis claustrofóbico, modelo de iluminação e atmosfera combinam para formar uma experiência rica que oferece mais sustos e cenas tensas do que outros jogos recentes na série.

No geral, Revelations é altamente recomendado para fãs da série que querem uma abordagem mais tradicional à série. As versões 360 e PS3 merecem igual consideração, enquanto o jogo PC, apesar de alguns soluços, providencia a experiência mais fluída e com melhor resposta disponível devido aos rácios de fotogramas muito maiores sem precisar de equipamento poderoso para tal. Revelations merece a compra na Wii U se não tens as outras consolas - é na mesma um jogo excelente. Mas a performance mais variável e controlos menos precisos significam que não é tão divertido de jogar.

Publicidade

Conteúdos relacionados

The Game Awards - Todas as novidades numa página

A Xbox Series X, os vencedores, jogos PS5 e mais.

Em P.T. controlas sempre Norman Reedus

Nova descoberta confirma mais uma curiosidade.

Resident Evil 2 R.P.D. Demo surge na Microsoft Store

Actualização: É a mesma demo, mas sem cronómetro.

Também no site...

Comentários (8)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários