Um fiável programador PlayStation 4 com um registo comprovado de confirmações disse ao Digital Foundry que a Sony obriga o Remote Play Vita em todos os jogos PS4 - excepto os que fazem uso da câmara estereoscópica, a PS4 Eye.

A notícia é bombástica para a PlayStation Vita, que falhou em atrair sucesso comercial em linha com as esperanças da Sony para o sistema, e prepara o palco para a portátil providenciar o mesmo tipo de jogo off-TV play que torna o GamePad Wii U num gagdet tão útil para jogos pela casa (e até fora).

O Remote Play funciona ao baixar o framebuffer a 1080 para a resolução nativa de 960x544 da Vita, usando o codificador de vídeo h.264 inserido na PS4 para comprimir a imagem. Depois é enviada via WiFi para a Vita, que descodifica o vídeo e reenvia os comandos inseridos para a PS4. É efetivamente tecnologia de streaming na nuvem OnLive recolocada em casa - a diferença é que os problemas da qualidade de imagem podem ser resolvidos com vídeo de maior largura de banda, enquanto a latência nos comandos pode ser cortada consideravelmente devido à natureza localizada da rede.

"Reduzir a imagem nativa a 1080p para o ecrã Vita perde algum detalhe, mas a seu favor devemos ter uma SSAA 'embutida' do efeito de downsampling."

remoteplay
Knack a correr via Remote Play Vita na revelação PS4. Apesar da natureza off-screen da imagem, a qualidade da imagem transferida da PS4 parece bem decente.

O Remote Play em si não é nada novo claro - a PSP e Vita tiveram suporte sem brilho e cheio de latência para uma mão cheia de jogos PS3 - mas a Vita em si não tem tido praticamente nenhum suporte adicional, apesar da introdução do protocolo 480p de maior qualidade. A sério, aqueles que correm firmwares PS3 pirateados tem acesso à maioria dos jogos. O problema é que o RP PS3 baseia-se num programa de codificação de vídeo via SPUs do Cell, e os programadores não gostam de sacrificar o tempo de processador para suporte RP, enquanto a tecnologia em si tem resposta lenta, com qualidade de imagem fraca.

Tudo muda na PS4, que tem codificação personalizada de vídeo por equipamento para RP, gravação de jogos e suporte para partilha de ecrãs com todos os benefícios da tecnologia de streaming Gaikai. É uma funcionalidade inserida no sistema operativo em si, sem penalidade na performance para os programadores. Até agora, a questão foi até que ponto as editoras queriam a funcionalidade - abrir uma nova biblioteca de jogos para a Vita poderia roubar vendas aos jogos desenhados para o sistema. As notícias que a Sony está a obrigar o suporte para todos os títulos que não precisem da câmara retira a escolha às editoras e assegura que o nível de consistência nas funcionalidades que a maioria dos jogos oferecem.

A falta de suporte a títulos que usam a PS4 Eye não é particularmente surpreendente. Apesar da Vita ter as suas próprias câmaras, não tem a resolução da câmara PS4 (sem mencionar os elementos estereoscópicos), e claro qualquer dado de vídeo adquirido precisaria de ser reenviado para a PS4 para ser processado - nada amigável da perspectiva da plataforma. Não pode ser suportado facilmente sequer, portanto jogos que usam a PS4 Eye - que esperamos serem uma quantidade mínima - estão isentos do novo mandato.

Estamos particularmente ansiosos para testar as funcionalidades RP Vita da PS4 e testar a qualidade de imagem e latência. As notícias que a vasta maioria dos títulos devem suportar RP significa que teremos uma biblioteca invejável de jogos teste disponíveis no primeiro dia que a consola Sony de nova geração chegar no final do ano...

A Sony confirmou agora o nosso artigo exclusivo sobre Remote Play Vita nos jogos PlayStation 4.

"Sim, é verdade a não ser que o jogo precise de equipamento específico como a câmara, escreveu Shuhei Yoshida, chefe dos Sony Computer Entertainment Worldwide Studios, no Twitter em resposta à questão de um seguidor. "Será fantástico jogar jogos PS4 na Vita."

Publicidade

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Mais artigos pelo Richard Leadbetter

Comentários (46)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados