Nordic Games discute a sua aquisição de Darksiders

Deixa claro que não entregará a produção do terceiro jogo a qualquer estúdio.

Ontem soube-se que a Nordic Games é a nova proprietária da série Darksiders, que com a falência da THQ ficou perigosamente perto de não ter um futuro.

Os fãs podem agora respirar de alívio; o próximo jogo Darksiders pode ainda estar longe, contudo, está garantido que a série terá continuidade. Melhor ainda, as intenções da Nordic Games são puras, não tendo intenções de entregar a produção do próximo jogo a qualquer estúdio.

Lars Wingefors, o CEO e dono do grupo Nordic Games, deixou as suas intenções bem claras numa conversa por telefone com o Eurogamer inglês, comentando: "Não somos produtores. Não devemos criar a sequela. Precisamos de encontrar a melhor equipa para investigar a sequela. Vamos olhar para as várias opções no que toca a fazer sequelas."

É claro que, em princípio, não há ninguém melhor para produzir a sequela que o estúdio Crytek USA, que é constituído em grande parte pela equipa do Vigil Games, o estúdio que criou Darksiders, e Wingefors está bem ciente disto.

"Eles são as pessoas mais apropriadas no mundo para fazer a sequela, que eu saiba. Mas se alguém tiver um plano melhor, deviam avançar com uma proposta," disse.

Outra questão diz respeito ao orçamento necessário para produzir um jogo com as dimensões de Darksiders. Sem rodeios, Lars Wingefors disse que não tem $100 milhões para gastar ou "qualquer que tenha sido o valor que a THQ gastou em Darksiders 2". No entanto, não está preocupado.

"Se tens um bom produto e ideia, normalmente sou bom a encontrar uma solução para o tornar real," foi dito em relação ao orçamento, acrescentando a importância de obter uma boa pontuação no Metacritic.

A Nordic Games é principalmente conhecida no mercado do PC; então, nem deve ser colocada a questão se o próximo Darksiders será lançado no PC. Mas se preferem as consolas, haverá potencialmente versões para PlayStation 4 e nova Xbox.

Como reconhecido por Lars Wingefors, o ideal seria arranjar um acordo para que o Crytek USA ficasse responsável pela produção. Porém, se tal não for possível, há vários estúdios interessados na série. O Platinum Games chegou a mostrar interesse na série, e no que toca a criar jogos do género hack and slash, neste momento não há ninguém melhor.

Salta para os comentários (7)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Os grandes lançamentos de Março nos videojogos

Vais comprar alguma coisa este mês?

Sniper: Ghost Warrior Contracts 2 já tem data de lançamento

Podes matar alvos a mais de 1.000 metros de distância.

EA ganha processo relacionado com lootboxes de FIFA

Provou que não usa dificuldade dinâmica para encorajar a compra de packs.

Nintendo Switch continua a bater toda a concorrência

PS5 vende mais que a Xbox Series no Reino Unido em 2020.

Comentários (7)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários