Medal of Honor: Warfighter: Militares castigados por darem informações à EA

Receberam cartas de reprimenda e ficam sem metade do salário.

Numa tentativa de oferecer uma experiência militar realista, a Electronic Arts consultou vários militares pertencentes ao exército dos Estados Unidos para obter informações e utilizá-las em Medal of Honor: Warfighter.

Acontece que esses militares, que são na realidade sete SEALs da marinha, ao passarem informações à Electronic Arts estavam, aparentemente, a quebrar um código não escrito dos SEALs e agora estão a ser castigados por esta transgressão.

Segundo o CBSNews, os sete SEALs continuam em serviço militar, e um deles participou até na rusga à casa do terrorista Bin Laden.

As informações que os SEALs deram à Electronic Arts são desconhecidas, mas seja como for, usaram material classificado que lhes tinha sido dado pela marinha. O código não escrito mencionado anteriormente trata-se de que os SEALs são guerreiros silenciosos que evitam ser o centro das atenções.

Todos os sete SEALs em questão receberam cartas de reprimenda. Ademais, os seus salários serão reduzidos em metade durante dois meses.

Salta para os comentários (18)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (18)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários