Diretor criativo de Assassin's Creed 3 ataca os jogos japoneses

"Prefiro Gears of War a Bayonetta em qualquer altura."

Em entrevista com CVG, Alex Hutchinson, o diretor criativo de Assassin's Creed's 3, não foi brando no seu ataque aos jogos com origem japonesa.

O ataque de Alex Hutchinson não foi direto aos jogos japoneses, mas antes aos jornalistas que os analisam, acusando-os de um "subtil racismo" para com os outros jogos.

"Os produtores japoneses são perdoados por aquilo que fazem. Penso que é condescendente fazer isto," respondeu Hutchinson à pergunta do CVG, que perguntava porque razão é que a Nintendo "acerta sempre" que lança uma nova edição da mesma franquia todos os anos.

De seguida, Hutchinson passou a criticar as estórias dos jogos japoneses.

"Penso na quantidade de jogos japoneses que são lançados e as suas estórias não têm nexo. São literalmente sem nexo. De maneira alguma conseguias escrever aquilo com uma cara séria, e os jornalistas dizem que é brilhante."

"Quando o Gears of War foi lançado, aparentemente tornou-se na pior narrativa já escrita num jogo. Mas prefiro Gears of War a Bayonetta em qualquer altura."

Qual a vossa posição sobre estes comentários? Concordam?

Salta para os comentários (80)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (80)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários