O novo jogo de Devil May Cry, a ser desenvolvido pela Ninja Theory em cooperação com a Capcom, é talvez um dos assuntos que mais controversa gera atualmente. Há quem defenda a nova direção, como há quem a critique.

Mas a Capcom tinha as suas razões para tomar esta decisão. O produtor de DmC, Motohide Eshiro, esclareceu em entrevista com o Siliconera que "não queriam esperar que a série acabasse um fracasso."

"Fizemos Devil May Cry 1-4 e cada jogo estava cada vez melhor, mas em vez de esperar que as coisas corressem mal e tentar reiniciar a série, decidimos que seria um desafio interessante fazer algo novo enquanto a série ainda é viável," foram as palavras ditas por Eshiro.

Eshiro admite que a Capcom aproveitou esta oportunidade para investir numa direção artística mais atrativa para os fãs ocidentais, e a razão pela qual escolheram a Ninja Theory como produtora.

Sobre as pessoas que criticam o jogo, Eshiro está confiante que quando estas jogarem, vão perceber que este novo Devil May Cry mantém-se fiel aos originais em jogabilidade, um dos pontos mais fortes da série.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro