Com o Agosto a entrar morno e os Jogos Olímpicos de Londres 2012 em constante fervor na televisão, os amantes desta indústria vão acompanhando este ritmo mais calmo e desfrutando de algumas interessantes notícias. Apesar da época calma temos um novo evento a caminho, Gamescom na Alemanha, e as companhias vão partilhando alguma coisa apesar da maioria estar a desfrutar das suas belas férias. Nós estaremos lá para vos contar tudo.

No entanto arranjam na mesma espaço para nos indicar que os lucros cresceram 300 por cento, como é o caso da Capcom. 13 milhões de euros em lucro, com grande parte a pertencer aos conteúdos vendidos digitalmente, só poder ser bom para a Capcom, especialmente quando está debaixo de constantes críticas. "Muita empresa abaixa qualidade e apela para os lucros de forma desonesta porque os fãs pagam de uma forma ou de outra. Não existe valorização de fã-base existe lucros e só, se em gente que deu lucro a ela pelas DLC's pode apostar que estará pagando para mudar a cor do Ryu no próximo SF." Quem o diz é o Maikonstrife que consegue ser o espelho da reação de todos os participantes.

A Capcom não está bem vista perante as suas comunidades, mas as mesmas parecem reconhecer o talento nos seus jogos e preferem continuar a apoiar a companhia ao invés de lhes virar a cara. Dragon's Dogma também foi referido como um caso de sucesso. Por um lado isto é bom, permite que a companhia continue a apostar em novos jogos, mas por outro temos quase um confirmar que DLC The GAME vai ser feito por um estúdio Capcom.

Se para a Capcom os jogadores gostam de pagar por DLC (downloadable content ou disc-locked content? vocês decidem) já a Electronic Arts acredita que os jogadores não querem pagar pelos jogos. Nick Earl da EA comentou, "O futuro não será sobre um pagamento de uma só vez, o futuro é sobre os freemium. Um número já razoável de pessoas acabam por gastar dinheiro, mas poderão não gastar muito, mas na verdade pagam mais do que pensas".

Robert Nashak da BBC comentou que "gratuito é o que as pessoas querem pagar por jogos", acrescentando, "O que é bonito no modelo freemium é que na verdade favorece os jogos de qualidade, porque todos poderão experimentar antes de comprar e penso que irá fazer com que a qualidade em geral seja melhor".

Omnislash por seu lado comentou que "Por isso é que todos os anos o CoD bate records de vendas e a Summer Sale da Steam cada vez tem mais sucesso. A que estatísticas é que estes gajos vão buscar estas afirmações? Os jogadores querem é pagar e ter o jogo todo nesse pagamento, não ter de pagar depois para ser melhor ou para ter mais conteúdo." Parece ter servido como voz para grande parte dos comentários.

"Por isso é que todos os anos o CoD bate records de vendas e a Summer Sale da Steam cada vez tem mais sucesso. A que estatísticas é que estes gajos vão buscar estas afirmações? Os jogadores querem é pagar e ter o jogo todo nesse pagamento, não ter de pagar depois para ser melhor ou para ter mais conteúdo. - "

Tal como prometido, a Capcom voltou a ressuscitar uma das temáticas mais controversas deste ano nesta indústria quando finalmente Street Fighter x Tekken recebeu 12 novos lutadores, na verdade não os recebeu pois já estavam lá, apenas os desbloqueou a quem pagou um extra.

Por mais 19.99 euros os jogadores tem 12 novas personagens e esta é uma temática bastante sensível que não queremos aprofundar em demasia aqui mas que sem dúvida alguma tem deixado os seus fãs completamente desapontados. Em termos corporativos a Capcom pode ter argumentos e desculpas de peso, menos despesas com tráfego e comissões por transferências de ficheiros em serviços da Microsoft e Sony, mas por outro lado está a poupar dinheiro à custa dos seus consumidores que a apoiam com o seu dinheiro.

Bloquear as personagens no disco é praticamente o mesmo que os deixar guardados lá no escritório no sentido que impede que o jogador tenha acesso a eles e esta forma pode evitar mais despesas para a empresa, mas em termos morais a Capcom colocou-se numa posição muito frágil. "Já por si acho mal estarem sempre com os DLCs quando o conteúdo já podia e devia vir no disco mas a Capcom faz isso e ainda nos "obriga" a pagar para ter acesso a conteúdo que supostamente ja pagamos. Grandes chulos. Esta deve ser a companhia japonesa com menos vergonha, fazer uma coisa tão baixa como isso. Nem a Square-Enix que lançou uma tonelada de DLCs para o Final Fantasy XIII-2 nos "obrigou" a pagar por uma coisa que já está no disco." Esta é a opinião do Colector_Boy e os restantes comentários são um eco destas palavras.

Mas nem só de DLCs se fizeram as novidades da semana, pois chegou a nova versão da mais recente portátil Nintendo e no Japão a 3DS XL vendeu mais que a DSi e DSi XL tendo chegado às 193.000 unidades em dois dias. 'É obra´, ´It Prints Money´, ´Quero uma´, sinceramente que podemos dizer nós? É mais uma prova que atualmente a Nintendo parece ter o toque de midas ou que simplesmente sabe ler e interpretar a sua comunidade, especialmente num mercado tão singular como o do Japão.

O renatomelo acredita que "Olha que teve gente criticou bastante a atitude da Nintendo em relação ao XL. Não adianta, ganhar grana e saber onde e como... Somente a Nintendo. Ela pode desenvolver um 3DS para ser usado debaixo d'água e o povo compra a banheira e o 3DS." Esta última frase da banheira e uma 3DS para ela deixou-nos com ideias.

"Não adianta, ganhar grana e saber onde e como... Somente a Nintendo. - renatomelo"

Nem tudo o que Max Payne faz dá em porcaria, que o diga a Take-Two que anunciou esta semana que teve lucros de 226.1 milhões de dólares. O mais recente jogo da Rockstar foi dado como um dos principais responsáveis e as tão faladas vendas digitais tiveram um aumento de 33%.

Isto pode ser a prova que um número à frente do título ajuda e muito à perceção e promoção do mesmo jogo ou que simplesmente o currículo e cartas dadas de um estúdio convencem e são reconhecidos. O SoapMactavish94 comenta que "O MP3 foi um grande jogo, adorei-o sinceramente repeti o singleplayer 5 vezes, o jogo estava muito bem estruturado e pensado!Espero por um Max Payne 4". Pessoalmente não fiquei grande fã deste jogo mais recente mas é uma série que gostaria de ver regressar e as boas vendas podem significar exatamente isso.

O que fazer senão sorrir quando vemos na mesma frase dois nomes tão espantosos? É o que fizemos quando soubemos que Hideki Kamiya gostava de produzir sequela de Viewtiful Joe. Para perceberem o ponto a que o nosso entusiasmo foi só vamos dizer isto: Viewtiful!

Kamiya comenta que gostaria de fazer uma sequela de Viewtiful Joe, embora não desminta qualquer envolvimento num suposto Bayonetta 2 e até afirma que tem conversado com o produtor do jogo, sempre debaixo de cerveja. "Kamiya manda muito bem e Viewtiful Joe tem tudo a ver com a Platinum Games, assim como era no antigo Clover Studio da Capcom. Se bem que eu quero mesmo é uma sequência para Bayonetta." E que tal virem os dois Andreleonardo?

Resident Evil 6 continuou como figura de destaque esta semana porque ficamos a saber que vai contar com um modo multijogador chamado Agent Hunt no qual somos um dos maus para atacar os bons. De igual forma foi revelado que Ada Wong vai ser jogável e vai ter uma história própria, algo que nos parece bem bom e interessante.

Um novo modo de jogo online com moldes diferentes do tradicional e uma nova personagem jogável são dois pontos bem cativantes para fortalecer o pacote como um todo. Mas mesmo a Capcom dizendo que ficam desbloqueadas após completarmos as campanhas com as restantes personagens, a comunidade acha que é muita água da mesma fonte. "Giro. Se assim for é no mínimo original. Faz-me lembrar demon's souls e dark souls em que jogadores do mesmo nível podiam invadir o nosso mundo." diz o nobodyless (com o seu avatar magnífico) sobre o Agent Hunt. Sobre a campanha da Ada, o MadGamer parece ter escrito o que qualquer fã ficou a pensar, "desde que não seja preciso pagar para jogar com ela é porreiro. mas vindo da capcom, faz-me ficar a pensar.".

"Giro. Se assim for é no mínimo original. Faz-me lembrar demon's souls e dark souls em que jogadores do mesmo nível podiam invadir o nosso mundo. - nobodyless"

Se para a Capcom, SEGA, Nintendo e Take-Two foi semana de apresentar lucros e bons resultados, já a Sony revelou prejuízos na sua divisão dedicada aos videojogos. Segundo revelado, a PSP e a PlayStation Vita em conjunto venderam menos que a PSP em igual período do ano anterior. Algo similar ao que foi registado pelos seus sistemas caseiros.

"Na PS3, têm faltado os exclusivos de grande calibre, os que vendem milhões. Na PSP, é mesmo o seu final de vida. Vão aparecendo alguns jogos, mas nada de impressionante... por falar nisso, para quando o Final Fantasy Type-0, Square? Para quando?! Na PSV, é tudo. São os grandes jogos, o preço... Teve um belo line-up inicial, ao contrário da sua adversária direta, mas os tempos que seguiram não foram assim tão bons. Lá veio o Gravity Rush, que ajudou alguma coisa. Talvez com o Assassin's Creed, com o CoD e com o Persona 4: The Golden, a situação melhore." São estes os pensamentos do Gargles sobre a situação da Sony.

Estamos aqui perante três situações distintas a nosso ver, apesar dos resultados serem similares. Na PSP temos exatamente o tal final de vida e a transição para um novo sistema. Já a PlayStation Vita parece estar a ser alvo de má gestão por parte da própria companhia. As companhias não investem no sistema e o preço continua inalterado não suscitando qualquer mudança de comportamento nos indecisos, que continuam a não ver jogos sonantes a chegar. A própria Sony parece ter-se esquecido que tinha um novo sistema para promover, e isto sem falar na conferência na E3 2012, e a ideia que fica é que o sistema passa meses sem novidades, enquanto o preço permanece igual e não existem bundles.

Quanto à PlayStation 3 o ritmo a abrandar em relação ao anterior ano parece bem espelhar a diferença em lançamentos de destaque entre os dois períodos. Tal como referido pelos nossos leitores, a Sony apresentou grandes títulos no início de 2011 enquanto em 2012 o ritmo foi mais brando e os nomes sonantes estão agendados para 2013.

Para finalizar apenas temos que referir que Os troféus para Metal Gear Solid 4 vão chegar a 6 de Agosto. Não vamos mentir nem prolongar, o disco do jogo já está pronto para voltar a rodar assim que a Konami disponibilizar esta tão saborosa atualização.

Mais do que os troféus, é a possibilidade de instalar o jogo completo no disco e criar uma experiência de ritmo mais fluído e com menos quebras que nos suscita imenso interesse. "clássico não tem idade!" diz o silvano, enquanto o MrGamer diz aquilo que certamente todos os fãs estão a pensar, "Acho que vou pegar novamente na maior pérola desta geração!

Publicidade

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Mais artigos pelo Bruno Galvão