5 minutos com Mark Henry - Superstar da WWE

Estivemos frente-a-frente com o "World's Strongest Man".

Já fui completamente fanático por Wrestling. Estive no Pavilhão Atlântico da primeira vez que a Smackdown visitou Portugal. Acompanhava religiosamente todos os programas semanais da WWE e tinha discussões acesas com amigos sobre quem era o melhor lutador. Isto passou durante o "Boom!" do wrestling em Portugal, quando parecia que toda a gente apreciava este tipo de entretenimento. Com o passar do tempo a minha febre e a de Portugal inteiro passou. Pessoalmente, estava farto de ver o John Cena a ganhar. Mas continuo a apreciar Wrestling, e quando estou a fazer zapping e dou de caras com o resumo semanal que passa na TV, não escapa.

Portanto, estar frente-a-frente com um wrestler é um enorme privilégio. É um sonho tornado realidade. Mark Henry pode não ser o favorito da grande maioria, mas é um veterano do wrestling, tendo-se estreado em 1996 no Monday Night Raw, quando a WWE ainda se chamava WWF. Como qualquer outro wrestler, a sua carreira tem altos e baixos. Já teve em redor da sua cintura o título de World Heavyweight Champion, ECW Champion e European Champion, desde 2005 até agora que tem sido uma presença regular no universo WWE.

Quando soube que ia entrevistar Mark Henry, não sabia o que esperar. Apenas o conheço do que vejo os programas de wrestling, em que desempenha o papel de uma personagem Heel (para quem não sabe isto equivale a vilão). Da sua vida real, pouco sabia. Como qualquer outra entrevista, comecei por cumprimentá-lo, e para minha surpresa, o que mais me impressionou não foi a sua dimensão (Mark Henry tem 1.93m de altura e pesa 184Kg), mas o tamanho das suas mãos. A minha mão parecia a de um bebé em comparação com as suas mãos gigantes. É algo assustador mesmo.

1
Mark Henry é o da direita. A sério!

Comecei por perguntar qual era a sua mensagem para as pessoas que afirmam que o wrestling não presta porque é a fingir, uma constatação a que já assisti várias vezes em primeira mão. A mensagem de Mark Henry é para essas pessoas "acordarem para a vida e saírem debaixo da pedra onde vivem". Alerta para o facto de Vince McMahon, chairman da WWE, ter anunciado há mais de 10 anos que a WWE é entretenimento, que as pessoas gostam das estórias criadas, e ainda que os atletas da WWE não são apenas grandes atletas, são inteligentes. "A WWE tem um lado psicológico", sublinhou Mark, em que é necessário uma grande força para aguentar a tenção que vem com uma carreira como estas. "Essas pessoas são negativas em todos os aspetos da sua vida," concluiu ele.

Se há desporto que tem crescido em popularidade é certamente o UFC (Ultimate Fighting Championship). Ao contrário da WWE, aqui o objetivo não é entreter. Os combates são a sério, e os lutadores estão preocupados em vencer a todo o custo, e não exibir manobras espetaculares. Resolvi perguntar a Mark Henry se vê alguma ligação entre os dois desportos, levando em conta que Brock Lesnar já participou e deteve um título em ambos. "Não há nenhuma ligação entre os dois desportos," respondeu Mark, salientando as grandes diferenças que existem entre os dois. Sobre Brock Lesnar, Mark Henry não o tem em boa estima. "Não é o melhor dos atletas", disse ele. "Não seria a melhor escolha se quisessem envolver-se numa luta num bar," acrescentou, parecendo por em causa as suas habilidades de lutador.

"A WWE é entretenimento, que as pessoas gostam das estórias criadas, e ainda que os atletas da WWE não são apenas grandes atletas, são inteligentes."

Procurar seguir uma carreira no Wrestling em Portugal não é algo prometedor. O Wrestling Portugal é talvez a única opção válida no nosso país. O conselho de Mark Henry, se quiserem uma carreira no wrestling, é viajarem para a América do Norte, onde o wrestling é mais popular e onde existem mais oportunidades para subir na carreira como a OVW (onde ele próprio já competiu), mas avisa que a mensagem "Não tentes isto em casa, na escola ou qualquer outro lugar" (mostrada durante os programas de WWE) é para ser seguida à risca. Se quiserem iniciar-se no wrestling, façam-no num lugar apropriado e seguro.

Durante um dos eventos que a Smackdown organizou em Portugal, Mark Henry teve a oportunidade de visitar o nosso país. O wrestler não comentou muito sobre a sua estadia em Portugal, mas disse que "Gostei de lá estar" e ficou com uma impressão positiva. Mark Henry acrescentou que, tendo a oportunidade de viajar pelo globo inteiro, a América do Sul é outros dos lugares em que Mark gostou de visitar.

O wrestling é a fingir, mas sempre tive curiosidade se quando um fã reconhece um wrestler na rua, este entraria no papel que desempenha dentro do ringue para dar continuidade à fantasia. Sobre isto, Mark Henry revela que quando isto acontece "é apenas ele". "Tenho maus dias e bons dias como toda a gente," disse Mark, querendo dizer que às vezes está pronto para embarcar em brincadeiras com os fãs enquanto que outras vezes nem por isso. Mark diz que o mesmo é válido para as entrevistas, e que por vezes tem más entrevistas, mas que não deixa que isso o afete. Esperemos que esta não tenha sido uma das más entrevistas. Ao menos fiquei isento de levar com um "World's Strongest Slam", e no final da entrevista Mark até esteve disposto a tirar uma fotografia comigo.

Como não poderia deixar de ser, perguntei qual era a sensação de estar num videojogo, um privilégio a que muito poucos têm acesso. Mark afirma que é uma sensação espetacular, e que prova a importância de alguém numa determinada área, e ainda que "estar presente num videojogo é uma marca que perdura no futuro". WWE '13 será mais um jogo da série em que Mark Henry estará disponível como um lutador à vossa escolha, e nesta edição, teve direito a um novo esqueleto (em conjunto com o Big Show) para transmitir melhor a sua enorme dimensão.

O wrestling é a fingir, mas as lesões são bem reais, e Mark Henry está familiarizado com elas. Mark disse-me que ainda há umas semanas teve uma lesão que o levou a considerar deixar o wrestling. O que faria Mark Henry se abandonasse-se o wrestling? Juntar-se-ia a escola de atores. Uma das vantagens da WWE é que poderá ser uma porta para outras áreas, nomeadamente para a área do cinema. São vários os wrestlers da WWE que já participaram num filme. John Cena, Stone Cold Steve Austin, The Rock, Triple H e Kane são alguns deles. Por enquanto, Mark ainda não participou em nenhum filme, mas quem sabe se isso não muda no futuro.

A entrevista com Mark Henry ficou por aqui. Apesar do seu aspeto intimidante e de conseguir pegar em pessoas com o meu peso com uma só mão, revelou-se um tipo simpático. Apenas lhe podemos desejar boa sorte com a sua lesão e que continue a entreter-nos dentro do ringue como tem feito todos estes anos.

Publicidade

Salta para os comentários (3)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

A Juventus é exclusiva do PES 2020

Será o único jogo com o nome do clube, o emblema e estádio.

PES 2020 - Demo chegará a 30 de Julho

Arsenal, FC Barcelona, Palmeiras, Flamengo e mais.

FIFA 18 - As melhores promessas e estrelas escondidas

Os jogadores melhores e com mais potencial com menos de 21 anos.

PES 2020 não terá o Liverpool licenciado

O contracto com a Konami terminou.

PES 2020 - Data de lançamento, Gameplay, Trailer - Tudo o que sabemos

O que esperar do novo simulador de futebol da Konami?

Comentários (3)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários