Saint Seiya: Sanctuary Battle - Análise

Um clássico adaptado aos tempos modernos.

Saint Seiya ou Os Cavaleiros do Zodíaco como o anime ficou conhecido aqui em Portugal representa uma espécie de trauma para mim, motivo pelo qual nunca vou perdoar a RTP ou lá quem foi o responsável pelo fim da transmissão televisiva da série em inícios dos anos noventa. Bem sei que anos depois a série acabou por passar na Sic, mas já não teve a mesma magia para mim. Se a memória não me atraiçoa a interrupção aconteceu pouco antes dos cavaleiros de bronze invadirem Atenas para derrubar o grande papa, que entretanto tinha raptado Saori, amiga dos protagonistas e reincarnação da própria deusa Athena.

Este é basicamente o momento final da primeira "temporada" do anime (resolution), e é precisamente este episódio que está retratado neste Saint Seiya Sanctuary Battle. Concretamente é a altura em que Seiya, Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki decidem ultrapassar as doze casas do zodíaco que os separa do objetivo final de salvar Saori. A defender estas casas está o respetivo cavaleiro de ouro do signo da casa, e o nosso objetivo é derrotar todos estes cavaleiros até atingir o topo onde está o grande papa, o antagonista principal desta história.

Assim logo à partida posso dizer que esta é a melhor adaptação dos cavaleiros do zodíaco para videojogo até à data, e isto é notório logo a nível visual. Vou começar pelas armaduras sagradas que são basicamente o que distingue a série. Os modelos estão excelentes e bastante fieis ao anime. Só fiquei com pena de não podermos ser nós a decidir quando vestir a armadura, desencadeando a "cutscene" característica de cada cavaleiro. Os modelos das personagens animados também estão muito bons, e em particular as animações dos heróis quando se preparam para "queimar" o seu cosmos serão um prazer para quem gosta da série.

A estrutura do modo "story" é tão simples quanto a linha narrativa que retrata. Existem vários "stages", que representam não só as casas de cada signo e o palácio final, mas também as áreas entre cada casa, onde vamos sempre encontrar centenas de soldados menores para defrontar. Durante estas etapas por vezes somos também surpreendidos por outras personagens célebres do anime, caso de Shaina ou dos cavaleiros negros. Utilizando estas personagens o jogo força alguns confrontos clássicos que aconteceram na série a determinada altura. Um exemplo é a luta entre o cavaleiro do dragão e o dragão negro, uma das melhores da "temporada" na minha opinião. No final de cada etapa é atribuída uma pontuação à nossa prestação, baseada em coisas como o número de mortes, os combos realizados e o tempo que demoramos a terminar o objetivo.

A primeira casa (Áries) funciona como tutorial, o que faz todo o sentido já que o cavaleiro de carneiro "Mu", sempre foi um aliado de Seiya e companhia. A ação funciona num estilo "hack and Slash" tradicional, temos acesso a dois poderes especiais (mais tarde um terceiro) retirados diretamente do anime, e com animações bastante fieis e bem conseguidas. O nosso cosmos é representado por uma barra azul, e serve para desencadear as nossas habilidades, para afastar todos os inimigos ao nosso redor, ou até para ativar uma espécie de "bullet time" estilo matrix.

Cada cavaleiro tem o seu próprio conjunto de combos, todos bastante simples, apenas pressionando repetidamente o mesmo botão já conseguimos desencadear uma série de golpes. Podemos bloquear, mas é muito mais vantajoso desviarmo-nos dos ataques adversários utilizando o gatilho direito. Este movimento permite-nos navegar rapidamente pelos espaços, e se executado na altura certa permite-nos ganhar uma posição vantajosa sobre os inimigos.

Não há grande profundidade em relação à jogabilidade das personagens, mas existe bastante variedade entre elas. Cada casa oferece a possibilidade de jogar com um cavaleiro diferente, e os seus poderes e combos são suficientemente variados para que a experiência não se torne aborrecida rapidamente. No final da aventura teremos ainda desbloqueado outras personagens jogáveis, incluindo os cavaleiros de ouro para utilizarmos no modo "missions", todos com os seus combos e poderes particulares.

Publicidade

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (5)

Sobre o Autor

Aníbal Gonçalves

Aníbal Gonçalves

Redator

MMOs e RPG são com o Aníbal. Aliás existe um rumor na redação que a sua primeira casa é o World of Warcraft. Mas às vezes também o vemos a fazer uns exercícios. Não é mau de todo.

Conteúdos relacionados

Remedy desmente Control no Xbox Game Pass

Diz nada ter para anunciar sobre o jogo no serviço.

Brasileiro Rafael Grassetti desenha Kid Buu e Cell de Dragon Ball

Director de Arte em God of War continua a mostrar o seu talento

Também no site...

The Game Awards 2019 contará com 10 anúncios inéditos

"Coisas das quais ainda não ouviste falar".

Remedy desmente Control no Xbox Game Pass

Diz nada ter para anunciar sobre o jogo no serviço.

Brasileiro Rafael Grassetti desenha Kid Buu e Cell de Dragon Ball

Director de Arte em God of War continua a mostrar o seu talento

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários