Keith Vaz, político britânico conhecido pelas suas declarações sempre contra a violência nos videojogos e que chegou a dizer que o assassinato de uma rapariga de 14 anos em 2004 tinha relação direta com a violência do jogo Manhunt, volta novamente a criticar a indústria.

Desta vez o alvo foi Call of Duty: Modern Warfare 3, mais concretamente a cena polémica dos atentados de Londres. O político apresentou uma moção no Parlamento onde pediu uma maior responsabilidade na classificação das idades nos jogos.

Uma vez que Vaz considera que o que acontece em Londres no jogo é muito semelhante aos atentados reais que tiveram lugar em 2005. Esta moção que dá pelo nome de Early Day Motion destaca que existe uma relação confirmada entre a violência real e os videojogos.

Tom Watson, um dos membros do governo, opôs-se a esta moção onde especificou que as cenas que acontecem no metro de Londres nada têm a ver com os atentados reais e que Call of Duty: Modern Warfare 3 é um jogo para adultos, e como tal só deveria ser jogado por pessoas maiores de idade, que devem ser livres de escolher as suas formas de entretenimento.

Publicidade

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Mais artigos pelo Luís Alves