Político critica Call of Duty: Modern Warfare 3

Atentados de Londres no jogo no centro da polémica.  

Keith Vaz, político britânico conhecido pelas suas declarações sempre contra a violência nos videojogos e que chegou a dizer que o assassinato de uma rapariga de 14 anos em 2004 tinha relação direta com a violência do jogo Manhunt, volta novamente a criticar a indústria.

Desta vez o alvo foi Call of Duty: Modern Warfare 3, mais concretamente a cena polémica dos atentados de Londres. O político apresentou uma moção no Parlamento onde pediu uma maior responsabilidade na classificação das idades nos jogos.

Uma vez que Vaz considera que o que acontece em Londres no jogo é muito semelhante aos atentados reais que tiveram lugar em 2005. Esta moção que dá pelo nome de Early Day Motion destaca que existe uma relação confirmada entre a violência real e os videojogos.

Tom Watson, um dos membros do governo, opôs-se a esta moção onde especificou que as cenas que acontecem no metro de Londres nada têm a ver com os atentados reais e que Call of Duty: Modern Warfare 3 é um jogo para adultos, e como tal só deveria ser jogado por pessoas maiores de idade, que devem ser livres de escolher as suas formas de entretenimento.

Cena polémica em Modern Warfare 3.

Salta para os comentários (10)

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Conteúdos relacionados

Vídeo compara Halo Infinite em todas as consolas

Adicionado 1440p 60fps na Xbox One X e retirado 120fps na Series S

O que estamos a jogar - 26 Setembro

E tu, a que jogos tens dedicado o teu tempo?

Também no site...

Comentários (10)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários