A Sledgehammer Games, parceiros da Infinity Ward no desenvolvimento de Call of Duty: Modern Warfare 3, defenderam os momentos chocantes do seu novo jogo de ação na primeira pessoa, em antecipação às criticas que possam surgir devido ao seu impacto.

Em entrevista com o VentureBeat, Bret Robbins, diretor criativo do jogo, disse que as cenas não foram pensadas para criar polémica de forma gratuita, mas sim para " nos ultrapassarmos a nós mesmos", e para fazer com que o enredo do jogo evolua e se pareça autêntico.

Nos jogos anteriores algumas cenas provocaram polémica entre os meios de comunicação generalistas, e os jornalistas que jogaram à versão final de Modern Warfare 3 avisam que provavelmente o mesmo acontecerá com este jogo.

Segundo Robbins, "Temos momentos no jogo que penso que são bastante chocantes, que elevam um pouco a fasquia. Mas como disse antes, não é uma questão de tentar sermos gratuitos, mas sim de chocar pelo fato de chocar. Queres sempre superar-te e ver se podes expandir os limites do meio na forma de contar uma história. Temos tanto público para este jogo que queremos oferecer algo que seja memorável."

Call of Duty: Modern Warfare 3 rebenta já amanhã nas lojas.

Publicidade

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Mais artigos pelo Luís Alves