Assassin's Creed: Revelations Multijogador

Caças ou és caçado?

Gosto imenso da série Assassin's Creed, na minha opinião não é nenhuma obra-prima dos videojogos de ação, mas tem conseguido ir melhorando com o tempo, tanto em aspetos visuais, como na própria qualidade e variedade de gameplay (algo nada comum nas sequelas). Esta versão beta do modo multijogador de Assassin's Creed: Revelations revela imensas semelhanças com o seu antecessor Brotherhood, assenta nos mesmos conceitos, mas oferece novos modos de jogo, e uma estrutura mais aprimorada.

O jogo começa por apresentar um rápido tutorial que explica tudo o que é preciso saber para sobreviver aos primeiros minutos de jogo. Desde a interface aos comandos do jogo, objetivos, enfim tudo para evitar que levemos uma facada antes de sequer sabermos correr. Depois, ainda na sessão introdutória, o jogo introduz uma das novidades do multijogador de Assassin's Creed: Revelations, o Deathmatch. Este modo de jogo continua a funcionar no tradicional sistema onde somos ao mesmo tempo caçador e presa. O jogo determina um alvo para eliminarmos, e ao mesmo tempo um perseguidor com o objetivo de nos assassinar, e cuja identidade desconhecemos à partida.

O mapa disponível para este modo é algo pequeno, e deixa-nos permanentemente com uma sensação de perigo, com mortes a acontecer a toda a hora pelo mapa. Digamos que promove uma espécie de paranoia constante. Este modo é muito parecido com o clássico Wanted presente também em Assassin's Creed: Brotherhood, mas com a particularidade de não ter o radar que indica a posição do nosso alvo. Ao invés, temos um retrato do nosso alvo no canto superior direito do ecrã, com uma barra à volta que brilha sempre que entramos na sua linha de visão. Assim, somos obrigados a procurar entre a multidão com atenção e cuidado para não sermos detetados. Claro que existe uma forte probabilidade de termos alguns NPCs com o mesmo aspeto do nosso alvo na mesma zona, o que torna as coisas ainda mais interessantes, e nos obriga a ficar atentos a qualquer comportamento suspeito de um deles.

Depois de localizarmos o nosso alvo, temos uma barra que vai aumentando desde o estado discreet até incógnito com a condição de mantermos o alvo no nosso campo de visão. Os assassinatos em incógnito recompensam o jogador com muitos mais pontos do que se estivéssemos em discreet ou silent, o que incentiva a procurar abordagens mais discretas e planeadas para conseguir o melhor resultado. Para nos defendermos dos nossos perseguidores temos que os imobilizar (stun) na altura em que eles decidirem avançar para nós.

Se formos mais rápidos evitamos a morte. No caso de carregarem ao mesmo tempo, o adversário fica com a morte, mas como foi uma morte honrada dividimos os pontos com o inimigo. De uma forma geral o modo Deathmatch está bastante divertido, com um ritmo bastante rápido que promove ação permanente. Promete ser uma boa opção para os novos jogadores aprenderem os detalhes do jogo, e para os experientes aperfeiçoarem a sua técnica.

Salta para os comentários (12)

Sobre o Autor

Aníbal Gonçalves

Aníbal Gonçalves

Redator  |  Darthyo

MMOs e RPG são com o Aníbal. Aliás existe um rumor na redação que a sua primeira casa é o World of Warcraft. Mas às vezes também o vemos a fazer uns exercícios. Não é mau de todo.

Conteúdos relacionados

Também no site...

O que estamos a jogar - 24 Outubro

E tu, a que jogos tens dedicado o teu tempo?

Cole Cassidy é o novo nome de McCree de Overwatch

Efeitos do processo legal que a Activision enfrenta.

Jogos Project Zero poderão receber mais remasters

Koei Tecmo ficou surpresa com as reações.

Comentários (12)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários