Seed Studios - O antes e depois de Under Siege

Qual o futuro do estúdio?

Portugal viu no início de 2011 ser reconhecido internacionalmente no mundo dos videojogos com o lançamento de Under Siege para a PlayStation 3, via PlayStation Network.

Under Siege foi em geral bem recebido, estando neste momento com nota média de 69 no Metacritic, onde consta a nota da Eurogamer Portugal, um 8/10.

Under Siege não é certamente o último jogo dos estúdios Seed Studios, muito menos de outros estúdios em Portugal, que estão também eles a produzir jogos para as máquinas de última geração.

A produção de Under Siege teve alguns altos e baixos, se assim podemos chamar. Onde foi adiado pelo menos por duas vezes, a última sem qualquer culpa do estúdio, durante o infortúnio do ataque à PlayStation Network por hackers.

Mas tudo isso é passado. Agora Under Siege já corre na consola de milhares de jogadores e sendo um jogo para a comunidade, qual será o seu futuro? DLCs? Expansões?

Melhor ainda, o que fará agora o estúdio de Under Siege, o Seed Studios? Um novo jogo? Ou sequela de Under Siege?

Saibam todas as respostas na entrevista em baixo, onde tivemos a oportunidade de conversar com Filipe Pina, produtor do jogo e Jeffrey Ferreira, diretor artístico do jogo.

Eurogamer Portugal:

Como receberam as críticas dos meios e dos jogadores sobre Under Siege?

Filipe Pina: No geral estamos satisfeitos. Houve pessoas que não gostaram, outras gostaram. O IGN não gostou nada do jogo, por exemplo. Houve outros que deram 92 porcento. Fizemos uma comparação engraçada, onde por exemplo a maior parte dos alemães gostaram do jogo, mas os franceses não gostaram tanto. Se fizeres assim uma média, é engraçado que varia um pouco de acordo com a nacionalidade.

Eurogamer Portugal: Para vocês quais foram os pontos em destaque no jogo e que foi realçado nas críticas?

Filipe Pina: Gostaram dos comandos e por termos passado bem para a consola os controlos de um jogo de estratégia em tempo real. Gostaram de todas as funcionalidades e de termos aproveitado tudo aquilo que a PlayStation 3 tem. Muitos gostam de colocar a música a tocar enquanto jogam, ou até mesmo o vídeo chat. Só por termos trazido um jogo genericamente PC, com os conteúdos online, a possibilidade de poderem jogar em ecrã dividido, já em si foi algo aprovado. Ficaram logo agradados.

Eurogamer Portugal: Uma das críticas foi o grau de dificuldade empregue no jogo. Como comentam isso? Estamos a ficar simples demais?

Filipe Pina: Existem realmente pessoas que não gostaram da dificuldade do jogo.

Jeffrey Ferreira: Penso que esse foi o ponto mais negativo que se falou sobre o jogo. É um jogo realmente algo difícil. Mas difícil de propósito. Era suposto ser assim. De qualquer forma, e tendo em conta as enumeras críticas que recebemos, quer dos jogadores quer dos meios especializados, na nova atualização iremos corrigir a curva de dificuldade do jogo, assim mais no seu início. Assim as pessoas não sentem que o jogo é muito difícil no arranque e iremos suavizar isso. Mas consideramos que o jogo a partir de uma altura está bem em termos de dificuldade.

Filipe Pina: Como tivemos tanto tempo no jogo, para nós já parecia tudo tão fácil (risos). Houve alturas que começamos afinar a dificuldade e se calhar ficou difícil demais. Estes parâmetros eram tão fáceis de serem mudados que dávamos por nós a colocar mais inimigos, e a criar um pico de dificuldade que será corrigido.

Eurogamer Portugal: Essa nova atualização, o que trará também de novo?

Jeffrey Ferreira: Para além de corrigir essas situações de dificuldade ainda melhora o jogo. Levamos em atenção algumas críticas da comunidade e até tivemos alguns jogadores nos nossos fóruns a explicar como poderíamos corrigir certos bugs do jogo.

Filipe Pina: Estamos também a adicionar suporte para quatro jogadores em ecrã dividido online. Houve alguns problemas com o online, que também serão corrigidos. Chegámos até a receber críticas de amigos e familiares que apontaram aquilo que viram de mal, como pequenos erros de português.

É claro que houve críticas e pedidos que não iremos levar em conta. Coisas como X inimigo deveria ter outra opção, coisas dessas. O que fizemos foi colocar o modo Casual ainda mais fácil, pois havia pessoal que apenas queria jogar com o filho no modo mais fácil, e que é ainda um pouco complicado.

Vê lá que tivemos até que mudar os nomes. Antes tínhamos o Normal, todos querem ser "normais", ninguém quer ser "casual". Por isso temos agora, "Casual", "Avançado" e "Difícil".

Vêm também novos mapas multijogador novos. O pacote ainda não está fechado porque ainda temos que afinar os mapas, principalmente os de quatro jogadores. É no fundo um novo update para puxar novamente o jogo.

Jeffrey Ferreira: Não esquecer que temos também o jogo na Ásia e depois do Brasil.

Publicidade

Salta para os comentários (12)

Sobre o Autor

Jorge Soares

Jorge Soares

EG.pt Master of Puppets

Sempre ocupado e cheio de trabalho, é ele quem comanda e gere a Eurogamer Portugal. Queixa-se que raramente arranja tempo para jogar, mas quando está mesmo interessado num jogo, lá consegue arranjar uns minutos. Tem mau perder e arranja sempre alguma desculpa para a sua derrota, mas no fundo, é o que todos fazemos.

Conteúdos relacionados

Lista dos Pokémon que NÃO estão em Sword e Shield

Chikorita, Cyndaquil e Totodile são alguns deles.

Anthem será remodelado e relançado, diz rumor

Bioware prepara ainda novo Mass Effect.

Days Gone distinguido pela sua narrativa nos Golden Joystick Awards

Actualização: Resident Evil 2 eleito Jogo do Ano.

Star Wars Jedi: Fallen Order corre a 1440p na Xbox One X

Podes optar por modo 1080p com rácio de fotogramas variável.

Também no site...

Comentários (12)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários