Disney Epic Mickey

Intruso curioso!

"Long time no see!" é a expressão que nos vem à cabeça logo que nos é dado o segmento introdutório , quando vemos Mickey, uma das maiores e incontestadas personagens do universo Disney, tomar o lugar de personagem principal. A descansar no quarto, com um livro em mãos, subitamente ergue-se num ímpeto de curiosidade motivado por um encantamento que o chama a partir do espelho. Com curiosidade de rato e como já se lhe conhece a feição, decide passar para outra dimensão, atravessando o espelho "mágico" e entra numa espécie de "twilight zone".

A curiosidade leva-o até uma mesa de trabalhos onde Yen Sid presta os últimos retoques daquilo que é parque temático para personagens esquecidas e pouco utilizadas da Disney. Mickey é atraído pelo fascínio das pinturas depois de Sid recolher aos aposentos, mas acaba por borrar a pintura ao entornar tinta sobre o parque. Ainda procura corrigir o erro lançando diluente sobre a mesa, mas nesse instante, Yen Sid topa que algo não vai bem e decide voltar atrás. Mickey consegue escapar. Aparentemente tudo se resolve, até que, mais tarde, acabará engolido e atirado para a "wasteland".

1
Gremlin Gus, poderoso aliado de Mickey.

Wasteland é um mundo composto por desperdícios, essencialmente por personagens do universo Disney que, apesar de aparecerem em curtos segmentos animados, nunca conquistaram a adesão do público e da audiência. Em muitos casos, foram construídas personagens, com nome e identidade, mas que em virtude de um processo de evolução até à versão definitiva acabaram na lata de reciclagem. É nesse mundo, desconcertado, obscuro e semi-colorido que Mickey terá de activar as suas funções enquanto pintor, repondo o aspecto inicialmente previsto por Yen Sid, numa demanda intensa contra Oswald, o "lucky rabbit", que o levará a percorrer imensos espaços e parques temáticos da Disney, revisitar vetustas películas animadas sob um efeito 2D de plataformas e muitas "quests" ao bom estilo das plataformas.

Porém, a peculiaridade e um dos maiores ganhos da obra, reside também na construção e recuperação das animações da Disney, sem cair no facilitismo e na nota "cliché". Aliás, este é um jogo que também acrescenta um tom humorístico à peça. Por exemplo, numa perseguição a Oswald, irão passar por uma localidade onde Mickey tem a sua casa. Num dos jardins Mickey encontra a cara do Pateta dentro de uma redoma, desfigurado, sem um olho, e que lhe revela ter sido vítima de um cientista louco que o desfez em pedaços (o mesmo que ia desfazendo Mickey) e o distribuiu por diferentes parques e áreas da "wasteland". São imensos os momentos deste género e é desta forma que se formam "side quests", como seja recuperar as diferentes partes de Pateta e devolver-lhe a forma original.

"Wasteland" é um mundo soturno e imprevisível. Numa montanha onde se acumulam resíduos e sobras, como caixas, pins que flutuam e outros objectos com Mickey estampado, encontrarão dois cartuchos de jogos; um da NES e outro da SNES, abandonados e desgastados. Pedaços de memórias e últimos exercícios do rato enquanto principal protagonista.

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (12)

Sobre o Autor

Vítor Alexandre

Vítor Alexandre

Redator

Adepto de automóveis é assim por direito o nosso piloto de serviço. Mas o Vítor é outro que não falha um bom old school e é adepto ferrenho das novas produções criativas. Para além de que é corredor de Maratona. Mas não esquece os pastéis de Fão.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (12)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários