Quando Keiji Inafune disse que o novo Devil May Cry iria ser mais "ocidentalizado" nunca pensei que iria acontecer o que aconteceu. Não fiquei preocupado com estas declarações, pensei que iriam apenas alterar pequenas coisas sem grande importância, o importante é que um novo Devil May Cry estava a chegar.

Depois de uma longa espera, o anúncio que tanto esperava foi oficializado durante a Tokyo Games Show 2010 sendo acompanhado por um vídeo. Naquela altura entrei em delírio, finalmente Dante iria regressar com a sua atitude badass e com uma nova aventura em que teriamos de exterminar hordas de demónios. Isto até ver o vídeo. A minha reacção ao ver a nova versão de Dante foi "Será uma nova personagem?". Claro que a minha dúvida terminou rapidamente, depois de ouvir "My name is Dante" tudo ficou esclarecido.

O entusiasmo transformou-se instantaneamente em desilusão. Um novo Devil May Cry tinha sido anunciado mas não trazia uma das peças fundamentais da série, o Dante que todos conheciamos. Consigo compreender que DMC é um reiniciar da série (ou uma história de origem, ainda não é claro), mas sejamos sinceros, este novo Dante não tem nada a ver com o antigo, seja no visual ou atitude.

Deparamo-nos aqui com um grande problema. Devil May Cry nunca foi um título com um sucesso comercial extraordinário, mas os fãs que acompanham a série são verdadeiramente fieis, e esses mesmos fãs sentiram-se traídos pela Capcom com este novo visual de Dante. Mas com certeza que a intenção da Capcom com este novo Devil May Cry não era agradar aos fãs de longa data, o objectivo é atrair novos jogadores para série. Agora as palavras vindas de Inafune fazem sentido: "É provável que no quinto capítulo se incorporem certos toques ocidentais para o tornar mais atractivo para os jogadores americanos e europeus."

Isto está a fazer um pouco de confusão na minha cabeça. Uns meses antes de dizer o que está em cima, Inafune tinha dito algo diferente:

"Existem muitos fãs da série Devil May Cry. Precisamos de olhar para eles e analisar o que eles querem num jogo, e o que eles não querem num jogo, e depois levar isso em conta se produzirmos um futuro título"

"Vamos fazer uma sequela que irá ser personalizada com aquilo que os fãs querem, e em cima disso, provar outra vez que é um jogo grande e divertido, que têm longevidade, e que vai agradar particularmente aos media."

Agora eu pergunto, DMC é realmente aquilo que os fãs querem? Obviamente que não, quem é no seu perfeito juízo iria trocar umas das personagens mais fixes e com mais estilo dos videojogos por a personagem que temos agora? Como prova temos a reacção ao vídeo que foi revelado na Tokyo Games Show. Se há coisa que uma produtora deve saber é que a opinião dos fãs deve ser sempre levada em conta, afinal eles são os potenciais compradores do jogo. Durante este ano houve uma situação semelhante com inFamous 2. A Sucker Punch tinha mudado o visual de Cole na sequela, mas os fãs deixaram bem claro que não gostaram disso nem um pouco. Resultado, a Sucker Punch voltou atrás na sua decisão e decidiu não mexer naquilo que os fãs não queriam.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro