A verdade por detrás de Red Dead Redemption

Funcionário queixa-se de abusos e mentiras.

Red Dead Redemption é certamente um jogo espectacular a todos os níveis, mas isso não significa que a sua produção tenha sido fácil.

Um produtor que trabalhou na Rockstar durante o desenvolvimento do jogo escreveu uma entrada no seu blog queixando-se de abusos e manipulação.

O perfil de Zero Dean (o autor do blog) no linkedin prova que este trabalhou realmente na Rockstar durante aquele período.

"Não foi até ao meu primeiro ano na companhia que as pessoas começaram a assustar-se com o tempo de produção do projecto, o quanto dinheiro tinha sido desperdiçado, e - esta é maior delas todas - datas de lançamento," escreveu Zero Dean.

"E foi aí que o aumento no engano e manipulação pela administração começou - lentamente no princípio - e depois com o tempo ficou tudo completamente maluco (pelas minhas normas)."

"A sério, se o que estava a acontecer no escritório fosse filmado, teria dado uma grande comédia na perspectiva do espectador, estou certo. Lamentavelmente, era a vida real e um inferno para muitas pessoas - as pessoas falavam sobre querer sair, mas não podiam porque tinham filhos, ou uma hipoteca, ou a economia estava mal e ninguém estava a contratar."

À medida que as coisas foram piorando, Dean teve que começar a trabalhar 12 horas por dia durante 6 dias por semana.

"A moral continuava a deteriorar-se e as mentiras a aumentar. Todos estavam no limite. E falavam para nós nas reuniões como se fossemos uns incompetentes com 10 anos de idade," queixou-se ele.

Passado algum tempo, Dean recebeu a responsabilidade de criar a parte do México para Red Dead Redemption. As coisas pioraram ainda mais quando enviou um e-mail à sua equipa de três pessoas a dizer que a data limite era irrealista.

"Alguns minutos depois fui chamado para uma reunião e submetido a juramentos e gritos durante cerca de 10-15 minutos por um 'Eu obviamente mando aqui' que era, vamos dizer, não muito popular entre alguns - ou talvez a maioria - dos funcionários com quem contactava."

"Senti que de alguma forma tinha sido transportado para o exercito naquele momento."

Dean continuou a escrever sobre o que se passava na Rockstar. Mais a baixo disse:

"Era normal mentirem-nos e ser manipulado no local de trabalho. Era normal a administração falar para nós como se fossemos crianças. Era normal se a administração gritasse e abusasse das pessoas enquanto os seus colegas olhavam (eu não era o único). Era normal que a vida real estivesse a fugir como um resultado de tudo isto."

"Não foi até o meu patrão ficar com os créditos do meu trabalho - e argumentado educadamente acerca de quem o tinha criado (tinha os documentos originais no meu ambiente de trabalho) - que voltei para a minha secretária e comecei a limpá-la- Depois apercebi-me que não estava a limpar, mas a empacotar as coisas."

Zero Dean terminou dizendo "Obrigado Rockstar. Ensinaste-me como exactamente eu nunca quero gerir um negócio ou tratar os empregados (ou seres humanos)."

Salta para os comentários (36)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (36)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários