Prince of Persia HD Trilogy

Voltar atrás no tempo.

Prince of Persia é uma das trilogias mais populares da anterior geração de consolas e durante muito tempo foi a grande coqueluche da Ubisoft. Gozou de um estatuto singular e fundou os alicerces de alguns dos mais conceituados franchises da actual geração de consolas. Numa altura em que a criatividade era muito mais valorizada do que qualquer contagem de polígonos no ecrã e que nem tudo o que chegava às lojas se inseria de alguma forma dentro do género shooter, a Ubisoft deu-nos uma versão, na altura, actual de um clássico.

O sucesso de Sands of Time despoletou o que viria a tornar-se numa trilogia principal que conta ainda com várias ramificações nas mais variadas consolas mas que infelizmente não conseguiu manter a elevada qualidade do primeiro ao longo dos anos e cujo estatuto se foi perdendo.

A oportunidade de ter num só disco os três jogos representa-se como única pois de uma só vez temos toda a história deste príncipe que nos conquistou, a alguns pelo menos. Desde a magia e até inocência do primeiro, que por vezes no parecia querer dizer que estávamos num filme Disney, ao tom mais negro e adulto do segundo até ao terceiro e final jogo da trilogia, esta é uma história que certamente vale a pena conhecer, ou recuperar, mas não sem algumas máculas. Isto porque a origem de todo um fenómeno e de toda uma máquina inspiradora foi como que vítima de si mesma. Desde a trilogia original, que começou em 2003 e foi saindo anualmente até 2005, que muito já foi feito com base na inspiração e mais do que isso, foi altamente evoluído.

1
O início de todo um fenómeno.

A qualidade da remasterização está intimamente ligada à qualidade do produto original. E se em God of War, a única comparação remasterizada existente, o produto remasterizado atesta que a série tinha dos melhores visuais e jogabilidade da sua época, já Prince of Persia nos relembra que nem tudo correu pelo melhor. Enquanto God of War I e II quase que poderiam passar por jogos actuais, imaginem se fosse tecnologicamente possível remasterizar ambos os jogos usando o motor de God of War III mas mantendo na mesma a jogabilidade e mecânicas inalteradas, ambos se iriam transparecer com uma sensação actual, o atestar de toda uma qualidade. Prince of Persia enquanto série já não o consegue.

Voltar à trilogia original serviu mais como uma lição sobre como as bases de algumas das maiores referências da actualidade surgiram, ao invés de ressuscitar o sentimento que na altura nos invadiu. Sands of Time é um dos meus jogos favoritos da anterior geração e apesar de agradável de revisitar, o passar do tempo deixou bem patentes as suas marcas. O que antes era uma jogabilidade de referência é agora algo preso e pouco intuitivo. Uma das provas mais evidentes, diria eu, de como Uncharted, o Prince of Persia de 2008 e Assassin's Creed levaram as coisas para novos e muito maiores patamares.

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (21)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (21)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários