Front Mission Evolved

Os mechs precisam de ir ao mecânico.

A série Front Mission é conhecida por ser um RPG táctico, e é por essa razão que quando comecei a jogar Front Mission Evolved fiquei confundido. Por alguma razão o género original foi abandonado e decidiu-se optar por tornar Front Mission num Third-Person Shooter de acção.

Esta mudança não trouxe nada de bom para Front Mission Evolved, deixem-me já adiantar que isto não é mais que um jogo abaixo do mediano, não tem inspiração nenhuma, não há nenhum aspecto que lhe dê destaque, tudo é exageradamente básico, é como se o jogo tivesse sido produzido há anos atrás e lançado nos dias de hoje.

A história até que não é má de todo. Estamos em 2171, o mundo está dividido em facções e cada uma delas é responsável por um continente. Existem uns elevadores gigantes que ligam a superfície do planeta a estações espaciais. O início do jogo começa com célula terrorista a atacar e a destruir um destes elevadores.situados no território da USN (E.U.A). A confusão instala-se por todo o mundo e a USN acusa as outras facções de serem responsáveis.

No meio desta confusão está Dylan Ramsey, a personagem que controlamos. Dylan estava a testar um novo Wanzer (para quem não está familiarizado com a série um Wanzer é um robô conduzido por um humano e em Front Mission é a arma mais utilizada no futuro) durante o ataque ao elevador e acabou por se juntar ao exercito para participar nesta missão para encontrar os responsáveis pelo ataque.

2
Queria meter uns neons no meu Wanzer.

A personalização do nosso Wanzer é o melhor em Front Mission Evolved. É possível alterar todas qualquer parte, seja o torso, pernas ou braços. Quanto às armas, cada Wanzer consegue ter quatro no máximo, duas nas mãos e duas nos ombros. Há que ter cuidado ao apetrechar a nossa máquina com armas até aos dentes, somos aconselhados a manter um equilíbrio entre o peso do Wanzer (quanto mais equipamento maior é o peso) e o poder gerado pelo mesmo. Quando equiparem uma arma ao vosso Wanzer podem optar por lhe adicionar uma Skill para aumentarem por exemplo o número máximo de munições, a velocidade de disparo, entre outras. O estilo visual do nosso Wanzer também pode ser personalizado, embora de uma forma um pouco limitada, existem apenas alguns padrões de pintura.

Antes de iniciarem uma missão vão poder sempre personalizar o vosso Wanzer, mas por vezes têm menos liberdade para o fazer, há missões em que têm de obrigatoriamente escolher certas partes para equipar. Numa das missões finais temos que usar umas pernas quadruplas que limitam imenso a nossa velocidade de deslocação.

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (5)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Back 4 Blood review - Não alertes as Hordas

Divertido com os amigos, mas frustrante em partidas online.

Recomendado | Far Cry 6 Review - Viva la revolución

Ubisoft consegue entregar finalmente a experiência que merecíamos.

Chernobylite - review - Radioatividade

Conceitos interessantes sem a robustez necessária.

Também no site...

The Day Before chega em junho de 2022 e terá versões PS5 e Xbox Series

Revelado gameplay deste The Division com zombies.

FUT 22 recebe as cartas especiais Rumo Às Eliminatórias

A prestação na vida real influencia a melhoria no virtual.

Animal Crossing: New Horizons com actualização gratuita a 5 de Novembro

Nos conteúdos pagos será possível desenhar casas de férias de sonho.

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários