LittleBigPlanet 2

O mundo ao contrário.

Um dos meus passatempos enquanto adepto veraneio de praias ensolaradas, sempre foi mexer na areia. Não apenas mexer, mas também cavar, elevar e construir coisas, nem que logo a seguir uma enorme onda destruí-se todo o trabalho de um par de horas. Também era o pretexto para o primeiro banho do dia. Mas acima de tudo, essa construção dava um gozo imenso, principalmente se conseguisse fazer algo de jeito.

Este sentimento é partilhado com euforia e um enorme brilho nos olhos pelo pessoal da Media Molecule. Após nos terem trazido o brilhante primeiro jogo, com direito a nota máxima na Eurogamer Portugal, conseguem elevar a fasquia ainda mais, prometendo não só um jogo, mas uma plataforma de criação de jogos. E tudo isto com um aspecto simplesmente delicioso. É correcto dizer que sou um adepto de LittleBigPlanet, não só apenas pelo seu modo de criação, mas também pelo formato e criatividade de todo o universo criado. Num mundo onde os videojogos quase primam na sua maioria pela violência, LittleBigPlanet consegue cativar por uma suposta simplicidade, onde apenas dançar em conjunto ou andar à estalada no torneio, dá para horas de divertimento.

Mas em causa está a segunda incursão pelo universo dos Sackboys, e agora com a companhia de Sackbots, que são os "autónomos" lá do sítio. Tive a oportunidade de jogar pela primeira vez o modo estória, revelada na gamescom. Este modo, diferente do que parecia, tem uma grande importância dentro do pacote completo. Continua com o sistema de podermos desbloquear tudo e mais alguma coisa para podermos usar mais tarde nas nossas criações, mas principalmente diversifica a jogabilidade, prestando de certa forma um serviço púbico dando ideias e exemplos do que poderemos criar em LBP 2.

Está em causa a salvação do mundo, dos Sackboys claro. Essa é a nossa demanda, onde teremos que nos juntar a mais três amigos, onde iremos claro trabalhar em conjunto. Um dos aspectos do anterior e que continua também neste é a diversidade de pequenos puzzles ou coisas para desbloquear usando necessariamente dois ou quatro jogadores. A equipa de produção acredita que agora este aspecto está mais equilibrado, mas que alguns níveis serão realmente quebra-cabeças, e que teremos que jogar de forma correcta e sincronizada com os nossos amigos.

Nada foi deixado ao acaso, e a diversidade dos níveis é representada pelo diferente número de formas de jogar agora. Temos a perspectiva tradicional 2.5D em Side-Scroll, mas também podemos jogar de uma "imitação" perspectiva vista de cima. Esta forma de visualizar o jogo, cria muitas vezes um enorme nó no nosso cérebro, pois a passagem entre as diversas formas de gameplay é seguida, sem paragens. Então se aliarmos ao facto que podemos agora ligar diferentes níveis, saltando de um lado para o outro, já poderão imaginar como ficou o meu cérebro após a apresentação. É sempre bom podermos exercitar os nossos poucos neurónios, e claro nos divertir-nos também.

Salta para os comentários (10)

Sobre o Autor

Jorge Soares

Jorge Soares

EG.pt Master of Puppets

Sempre ocupado e cheio de trabalho, é ele quem comanda e gere a Eurogamer Portugal. Queixa-se que raramente arranja tempo para jogar, mas quando está mesmo interessado num jogo, lá consegue arranjar uns minutos. Tem mau perder e arranja sempre alguma desculpa para a sua derrota, mas no fundo, é o que todos fazemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (10)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários