Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

O que esperar da Temporada 14 de Apex Legends?

Há mais alterações do que esperado.

Artigo com a colaboração de João Marques (RankSpot)

Todas as temporadas trazem novidades e esta, sem dúvida alguma, não poderia ser excepção, começando pelo mapa King's Canyon que faz um regresso à rotação de partidas ranqueadas.

O mapa que está cá desde que tudo começou torna a receber uma atenção por parte da Respawn. Houve uma atualização enorme no que diz respeito à palete de cores e tudo está mais claro e vivo. Contudo, as maiores agitações não foram na parte visual, mas sim no conteúdo que está presente no campo de batalha.

Caso joguem desde as primeiras temporadas, são capazes de recordar que o mapa já arrecadou diversas modificações. Uma das mais controversas foi a destruição de Thunderdome e Skull Town na temporada 5, às mãos de Loba. Avançando agora no tempo, a operação do Sindicato para reconstruir King’s Canyon está finalizada, deixando o terreno pronto para os Apex Games com a inclusão do novo ponto de interesse Relic e aumentando a quantidade de massa terrestre.

Cage sofreu uma redução da área jogável, pois dominava demasiado aquela parte do mapa, originando batalhas demasiado prolongadas. Broken Relay não estava a dar os resultados esperados como ponto de interesse e recebeu novos edifícios, dando-lhe uma nova cara e mais loot.

Os produtores de Apex Legends asseguraram que o foco, quando se trata de trabalhar num mapa, passa por ter em conta a saúde do mesmo, promovendo um bom ritmo de jogo, aterragens balanceadas e uma boa dispersão dos itens no chão. Estes aprimoramentos em King’s Canyon têm também como objetivo incentivar os jogadores a tomarem decisões de rotação mais pró-ativas em vez de reativas.

Finalmente chega a ampliação do limite de nível

Não é a primeira vez que isto acontece. Quando o jogo foi lançado, o nível máximo era 100, com cerca de 30 packs gratuitos.

No primeiro ano, a meta subiu para nível 500 e permitia às pessoas adquirirem cerca de 200 packs sem custos. Agora, com a chegada da temporada 14, vem uma adição de novos níveis para subir numa espécie de Prestígio onde teremos a chance de escalar até ao nível 500 mais três vezes, essencialmente subindo a barreira para os 2000 níveis, algo que facultará nada mais, nada menos do que 544 packs no total.

Caso estejam familiarizados com o sistema de Heranças, sabem que isto significa que cada jogador terá acesso garantido a uma Herança apenas jogando (isto é, sem gastar dinheiro), o que é muito antecipado pela comunidade.

Novas armas disponíveis no chão?

Desde já devo começar por dizer que, da parte da Respawn, já foi confirmado que não estão a pensar em colocar no jogo nenhuma arma nova apenas porque sim ou para ter novo conteúdo. Inserir uma arma nova passará sempre por uma necessidade na meta do jogo, para se encaixar com o que há disponível ao momento. Ainda assim, pode-se dizer que as mudanças no que inclui as armas não foram assim tão básicas.

ara começar, a controversa Wingman deixa de ser uma arma com balas pesadas e passa a utilizar balas de sniper. Esta alteração vem trazer um balanceamento à quantidade de munição que o jogador possui no inventário Mas não é tudo, a Wingman volta a receber o ilustre Skullpiercer, um dos itens preferidos dos fãs. Como sabem este hop-up funciona na Longbow e será também suportado na 30-30 Repeater a partir desta temporada.

A Eva-8 que estava a cair um pouco em desuso foi alvo de transformações com grande impacto, começando pela sua cadência de disparo que foi aumentada, mas também recebendo agora a oportunidade de envergar stocks melhorando assim o seu manuseamento e velocidade de recarregamento. Para ajudar a situação, o item Double Tap volta a estar disponível no chão, o que funciona não só na Eva-8 mas também na G7 Scout.

É verdade, a G7 Scout está agora fora da caixa, bem como a Volt, entrando para os seus lugares o Bowcek e a Rampage. Sem dúvida que isto vai agitar a forma de jogar e o que os jogadores têm em mente quando estão a procurar armas.

Outra mudança inesperada é a passagem da Spitfire para as balas leves, oferecendo mais uma opção de fim de jogo a estas, que estavam desfavorecidas nesse aspecto em comparação com as balas pesadas.

Mais uma adição que vem inquietar a forma de jogar são as novas Miras Laser, um item que vai encaixar no barril das submetralhadoras e das pistolas. Serve para reduzir drasticamente a dispersão das balas quando disparadas sem mirar, distanciando assim o uso de uma SMG em comparação com um fuzil de assalto. Tal como as miras, os jogadores poderão escolher a cor do laser, facilitando a acessibilidade a pessoas com daltonismo.

Para finalizar o tópico das armas, não poderíamos deixar de falar na infame Charge Rifle, que não será removida como muitos pediam, nem mesmo ajustada. Eric Canavese (Diretor Principal de Armas) afirma que estão atentos ao feedback e que estão ativamente a pensar no que podem fazer sobre esta situação, mas não há planos para o futuro próximo.

Mas nem tudo são más notícias para quem gosta de mudanças.

O Escudo Knockdown dourado era um dos itens mais discutidos pela comunidade e a Respawn decidiu tomar ação. Este item perde assim a sua famosa habilidade de permitir ao jogador que se reviva a si assim que morre e passa a ter a habilidade da mochila dourada, que concede ao jogador a oportunidade de reviver um colega de equipa com mais 100 de vida que o habitual. A nova habilidade para a mochila dourada chama-se Bolsos Fundos e proporciona ao jogador a aptidão para carregar mais itens de cura grandes consigo, seja Kits Médicos, Baterias e Kits Fénix.

O que nos reserva o futuro?

A equipa comunicou que continua a trabalhar árduo para trazer a progressão entre plataformas, mas é um problema bastante complexo devido à maneira como o jogo foi construído inicialmente sem ter em conta essa possibilidade.

Outra opção que os jogadores querem ver tornada realidade é a oferta de prendas a amigos, seja moedas ou skins, algo que Evan Nikolich (Diretor de Design) confirmou que estão ativamente a procurar soluções para viabilizar esta mesma oportunidade.

Quanto a missões PVE como vimos anteriormente, por exemplo a do Bloodhound na temporada 10, a Respawn deixou claro que não há grandes probabilidades de voltarem pois estão focados na vertente competitiva e multijogador. Mas não deixaram de aludir ao facto que estas mesmas missões poderão ser apresentadas através de outros meios ou produtos.

Os mais atentos sabem que está neste momento na fase de desenvolvimento um jogo no mundo de Apex Legends, que já foi confirmado que não se trata de Titanfall 3.

No que diz respeito a esta temporada 14 ainda haverá mais mudanças que não foram mencionadas, mas que estarão disponíveis nos detalhes da actualização, portanto fiquem atentos. Pelo que aparenta, vai haver mais alterações tanto no mapa como nas armas e provavelmente nas personagens, incluindo claro a nova lenda que já podemos ver nos trailers e que terá um artigo dedicado a si disponível no dia 4 de Agosto.

Comentários