Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Análise ao HTC 8X

Pode o Windows Phone 8 oferecer uma alternativa viável ao iOS e Android, e como se integra com o Xbox Live? O Digital Foundry descobre.

Se estás cansado do iOS e não consegues aturar a natureza fragmentada do Android, as alternativas são escassas. O padrão BlackBerry oferece uma opção viável para uso focado nos negócios, mas até isso se está lentamente a transformar em algo mais próximo de um smartphone tradicional, com o recente BlackBerry Z10 a largar as técnicas e a fazer a sua melhor imitação do iPhone da Apple.

É então chamada a plataforma Windows Phone da Microsoft para dar à Google e Apple um pouco de competição, apesar de desde o lançamento inicial em 2010 ter tido dificuldades em conquistar uma quantidade significativa de quota de mercado. A recente atualização Windows Phone 8 é um esforço concertado para rectificar isso; a Microsoft levantou as restrições de equipamento nas construtoras, aumentou a resolução do ecrã e convenceu as parceiras de equipamento - tais como a HTC, Nokia e Samsung - para se juntarem. O resultado é definitivamente uma melhoria sobre o que se passou, mas depois de testar o principal telemóvel WP8 - o HTC 8X - não estamos completamente convencidos que vai dar ao Android e iOS noites sem dormir.

Antes de entrarmos no que o WP8 pode ou não fazer, vale a pena olhar para o equipamento em aqui em oferta. O HTC 8X é um exemplo bem típico de um moderno smartphone; é um pedaço relativamente sem funcionalidades de policarbonato dominado num lado por um ecrã tátil capacitativo de 4.3 polegadas a 720p Super LCD 2, enquanto a traseira tem uma capa estilo borracha para melhorar o agarrar do próprio.

A traseira do telemóvel curva-se para as arestas tornando-o mais confortável de segurar, enquanto o perímetro do ecrã emprega uma técnica similar - tudo para evitar que o aparelho tenha a natureza 'em caixa' dos aparelhos rivais. A nossa única queixa genuína de uma perspetiva física é a natureza dos botões Power, volume e câmara que correm pelas arestas do telemóvel; sentam-se demasiado em concerto com a carnagem e são frustrantes e difíceis de localizar à pressa.

Se já usaste um WP no passado, o aumento na resolução do ecrã é algo que verificarás de imediato. Apesar da IU MEtro não ser o SO smartphone mais intenso graficamente, o aumento na luminosidade torna o sistema de azulejos realmente vivo, detalhes tais como fotos de contactos e outras imagens contem detalhe adicional, e todos os elementos habituais - tais como fotos, páginas web e vídeos - beneficiam imenso. Garantido, a resolução de 1280x720 é dificilmente de topo atualmente, mas se já juraste fidelidade ao WP, vais apreciar os pixeis extra. Aquele painel Super LCD 2 também merece apreço - é muito claro e oferece uma sumptuosa reprodução de cor.

O WP8 pode não parecer muito diferente do WP7 à superfície, mas por debaixo é toda uma besta diferente; os engenheiros da Microsoft rasgaram a arquitetura baseada em Windows CE que estava presente na versão 7 e instalaram uma baseada no Windows NT Kernel, que em teoria permite aos programadores facilmente transportar aplicações do Windows 8.

"À superfície este novo SO parece muito similar ao WP7, mas as bases do velho WinCE são rasgadas em prol de um mais moderno Windows NT kernel."

Multitarefas também é suportado, permitindo que congeles aplicações e voltes a elas sem ter que as recomeçar do início e também tens muito mais controlo sobre a aparência dos azulejos no ecrã inicial, com a capacidade de os encolher ou alargar. Isto significa essencialmente que se quiseres, podes encolher todos os azulejos para um estilo de arranjo iOS, mas claro que isto significa que perdes todo o elemento "live" da IU Metro, na qual a informação visual - tais como fotos de contactos - é apresentada no próprio azulejo.

Quando estás a competir com dois ecossistemas smartphone como Android e iOS - ambos com milhares de aplicações e jogos, assim como o suporte a longo prazo de programadores e editoras - vai ser previsivelmente bem difícil crescer toda uma nova frente. A Microsoft certamente descobriu este facto, como a bem escassa natureza do mercado WP atesta. Os suspeitos do costume estão presentes e correctos - Facebook, Netflix, WhatsApp, Skype, Twitter - mas a profundidade e variedade tão presente nas lojas Google e Apple está perceptivelmente ausente.

A mesma história aplica-se aos jogos. Angry Birds, Final Fantasy, Where's My Perry? e Sonic CD estão disponíveis, mas não existe Temple Run, Super Hexagon ou Jetpack Joyride. Os títulos oferecidos são de um padrão bem baixo comparado com o que é atualmente oferecido no iPhone e iPad, o que nos faz perguntar: no mundo de hoje centrado nas descargas, onde loja de aplicações significa a diferença entre sucesso e falhanço, existe realmente qualquer hipótese de fãs que investiram em smartphones mudar da sua atual plataforma para o WP? É improvável, a não ser que fiquem particularmente apaixonados pelo equipamento, ou a natureza limpa da IU Metro.

"A marca Xbox Live oferece a perspetiva de algum potencial sério para jogos, mas o triste facto é que atualmente o leque de títulos oferecidos é muito pobre comparado com o alinhamento iOS e Android."

Um elemento que o WP8 tem a seu favor nos jogos é a capacidade de conectar às contas Xbox Live. Assim que inicias a sessão podes ver as tuas Conquistas e olhar para o que os amigos estão a jogar. Existem também alguns jogos disponíveis que têm conectividade com a tua conta Xbox Live, apesar de valer a pena lembrar que os jogos em si não são melhores que os de outro smartphone. Tememos pensar quando iniciaram um WP à espera de jogar Gears of War puramente pela força de ler "Xbox Live" no ecrã principal. As fundações estão lá certamente, mas o sonho de ter a Xbox no teu telemóvel ainda está longe.

É pena que não existam mais jogos para tirar vantagem do poder do HTX 8X, porque dentro daquela carnagem de policarbonato está um leque formidável de especificações. O Qualcomm Snapdragon S4 SoC apoiado por 1GB de RAM, uma melhoria sobre os anteriores limites impostos pela Microsoft nos aparelhos WP7 (um só núcleo com apenas 512MB de RAM era o padrão). Avaliado com o AnTuTu, o HTC 8X regista 11639 - nada mal. O teste web Sunspider oferece uma nota de 934, que se compara muito favoravelmente com os melhores aparelhos Android disponíveis. Claro, é difícil - e possivelmente sem sentido - comparar diretamente a performance deste telemóveis com outros que correm um SO completamente diferente, mas vale a pena apontar que o 8X arrebenta confortavelmente anteriores modelos WP.

O telemóvel tem 16GB de espaço interno - padrão para os smarpthones de topo atualmente . mas não há forma de adicionar mais espaço com cartões MicroSD. É uma escolha da HTC e não um contra-tempo do WP8; a adição de memória amovível é outra das grandes melhorias que a Microsoft introduziu nesta atualização. Uma célula de poder 1800mAh significa que o HTC 8X está à altura da tarefa de durar um dia antes de precisar ser recarregado - não é de forma algum espantoso, mas uma consideração principal para a maioria dos utilizadores de smartphones. Finalmente, a câmara de 8-megapixeis está em linha com aquelas encontradas nos Android HTC, oferecendo gravação de vídeo a 1080p e excelente captura de imagem. O 8X vem com o seu próprio botão no equipamento para tirar fotos - algo que desejamos que todos os telemóveis tivessem.

"O WP8 é um belo SO e o HTC 8X um bom telemóvel, mas com as plataformas concorrentes tão estabelecidas, é difícil ver esta nova oferta como algo mais do que um outsider."

HTC 8X: o veredicto Digital Foundry

O WP8 é um belo sistema operativo que carrega muitas boas ideias e uma interface intuitiva, que até mesmo os menos percebidos tecnologicamente podem navegar, mas não deixas de sentir que chega numa altura completamente errada. Tivesse a Microsoft lançado o SO antes do Android ganhar raízes e durante a inicial ascendência do iPhone, poderia estar a lutar pelo topo. Atualmente, o WP8 sente-se agradável o suficiente para usar e tem uma simplicidade que é genuinamente apelativa - especialmente num aparelho que frequentemente precisa ser usado em curtos espaços de tempo - mas nesta fase do jogo não pode ser visto como outra coisa que um outsider.

Também tens que ter alguma simpatia pelo HTC; a construtora de g foi outrora a querida do Android e até foi escolhida pela Google como companhia para criar o seu primeiro telemóvel, o Nexus One. No entanto, o crescer da Samsung fez a HTC descer na ordem e é fácil ver porque a companhia vê o WP com potencial para regressar à sua velha glória. Infelizmente, apesar do atrativo design do HTC 8X, a sua popularidade vai ser limitada pela pequena natureza do mercado WP, e a presença da Nokia no sector - certamente a companhia padrão da plataforma vai provavelmente ser a primeira escolha dos que decidirem mudar do iOS, Android e BlackBerry.

Obrigado à Vodafone por fornecer o aparelho para esta análise.

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

Sobre o Autor

Damien McFerran avatar

Damien McFerran

Colaborador

Retro fanatic and tech bore Damien has been writing words for professional publication since 2006, but has yet to fulfill his lifelong ambition of being commissioned by Your Kitten Magazine.

Comentários

More Análises

Artigos mais recentes