Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Activision não queria Modern Warfare

Queriam que fosse um jogo da 2ª guerra.

Naquele que poderia ter sido um dos maiores erros na história dos videojogos, a Activision originalmente não queria que Call of Duty 4 fosse um jogo baseado numa guerra moderna.

Em entrevista à revista oficial PlayStation, Vince Zampella, patrão da Infinity Ward, revelou que a produtora já queria fazer há alguns anos um jogo de uma guerra moderna nas consolas, mas que a Activision nunca tinha aprovado.

"Com Call of Duty 2, nós fomos contra ser um jogo baseado na 2ª Guerra Mundial, mas a Activision queria muito isso, e havia o compromisso de termos os kits de desenvolvimento para consolas em troca de fazermos um jogo da 2ª Guerra Mundial."

"Nós sempre quisemos estar nas consolas e a Activision via-nos mais como uma produtora de PC," disse Zampella.

"E há algo que quero acrescentar, a Activision também não queria Modern Warfare. Eles pensavam que trabalhar num jogo de guerra moderna era demasiado arriscado e pensavam, 'Oh meu Deus, vocês não podem fazer isso, isso é uma loucura!' Eles fizeram uma pesquisa de mercado só para nos mostrarem que estávamos errados," confessou ele.

"Tivemos que lutar contra tudo e contra todos. Eles queriam que fosse, novamente, um jogo da 2ª Guerra Mundial," disse Jason West, líder do projecto Call of Duty.

É claro que o risco da editora acabou por dar razão à Infinity Ward e Call of Duty 4: Modern Warfare acabou por ter um sucesso estrondoso marcado pelos 14 milhões de cópias vendidas.

"Ficámos completamente embasbacados, Ainda estou a recuperar disso," disse Zampella sobre o sucesso do jogo.

Sobre o Autor
Luís Alves avatar

Luís Alves

Contributor

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Comentários