Skip to main content

A retrocompatibilidade é um benefício, mas não é vista como obrigatória, diz Take-Two

Strauss Zelnick não a considera como essencial.

Image credit: Rockstar Games

Strauss Zelnick, diretor executivo da Take-Two Interactive, dona da Rockstar Games que anunciou o port PS4 e Nintendo Switch de Red Dead Redemption que tanto está a dar que falar, acredita que a retrocompatibilidade nas consolas é um benefício para os consumidores, mas não é considerada obrigatória.

Na mesma conversa onde defendeu o preço destas novas versões do clássico de 2010, Zelnick foi questionado se acredita que a retrocompatibilidade é uma funcionalidade importante para as novas consolas que estão a caminho e nem duvida que esteja presente, mas não sente que seja algo obrigatório.

Zelnick diz que a retrocompatibilidade "é um benefício para os consumidores e ficaria surpreendido se as plataformas não oferecessem isso com a melhoria que surge a meio do ciclo, no entanto, não tenho a certeza que seja algo obrigatório".

Questionado se inclui na lista de consolas de meio geração inclui a sucessora da Nintendo Switch, Zelnick respondeu que "ainda não sabemos", e tendo em conta o quão importante é para a comunidade Nintendo Switch a retrocompatibilidade, algo que promete tornar-se num dos temas de destaque quando a Nintendo anunciar a nova máquina, a resposta de Zelnick é curiosa.

Lê também