Skip to main content

A Microsoft comprar a Activision será prejudicial para os jogadores, decidiu a autoridade britânica

Aumento dos preços e menor qualidade.

A autoridade da concorrência no Reino Unido, a Competitions and Markets Authority (CMA), apresentou o seu parecer sobre o negócio entre a Activision Blizzard e a Microsoft, no qual afirma que a compra resultará no inferiorizar da concorrência nas consolas e jogos na nuvem.

A autoridade britânica diz no seu relatório preliminar que a Microsoft teria benefícios comerciais em tornar Call of Duty exclusivo da Xbox ou disponível com regalias nas suas plataformas. Isto poderá ser feito através de aumentos nos preços nas plataformas rivais, disponibilidade reduzida, menor qualidade, pior serviço ou num reduzir da inovação.

A CMA não aplica o seu parecer apenas às consolas pois acredita que jogos como Call of Duty e World of Warcraft seriam transformados em componentes vitais de serviços de streaming, segmento em crescimento, o que motivaria a Microsoft a tornar as séries exclusivas do seu serviço na nuvem.

A autoridade diz que a Microsoft já está numa posição forte nos serviços e jogos na nuvem a nível global, o que em conjunto com a liderança nos sistemas operativos para PC poderá representar em novas vantagens.

Para a CMA, tendo em conta a forte posição da Microsoft nos serviços, nuvem e sistemas operativos, o mais pequeno dos aumentos na sua força já significaria um reduzir da competição num mercado em desenvolvimento.

A Microsoft terá agora de apresentar as suas respostas e convencer a CMA com os seus argumentos ou concessões.

Lê também