Unreal Tournament 3

Versão testada: PlayStation 3

Unreal Tournament está de volta após alguns anos na calha. Pela primeira vez os utilizadores da Playstation 3 poderão sentir a verdadeira experiência online deste que é para muitos o primeiro grande FPS de sempre.

Não se pode dizer que Unreal Tournament inova, pois dentro daquilo que o jogo é, continua simplesmente a ser o que sempre foi. Por outras palavras, equipa que ganha não se mexe, e é este o lema principal da maioria das produtoras. Este ano a Epic, que é agora a detentora dos direitos do jogo, procurou implementar um modo Single Player mais dedicado e criativo, com uma historia organizada e que prenda o jogador. Basicamente, o ataque de uma raça maligna serve de mote para toda a história do jogo, assim prosseguimos com a árdua missão de ajudar o nosso herói a salvar a sua raça.

Em primeiro lugar não há nada como congratular a Epic pelo excelente trabalho que tem feito. Numa altura em que estão na moda os conteúdos pagos, esta produtora simplesmente virou a cara a esse facto e disponibilizou kits de desenvolvimento de mapas, modos de jogos e personagens aos próprios utilizadores para que possamos transferir todos os conteúdos que quisermos para o jogo de forma simples e gratuita. Bastando assim fazer o download dos mesmos, colocá-los num dispositivo de armazenamento e transferi-los para o jogo. Desta forma garantem que teremos novos conteúdos durante um longo espaço de tempo.

O modo online é louco e frenético, com os clássicos modos de captura de bandeira, captura de bandeira com veículos, todos contra todos, todos contra todos equipas, duelo (batalhas entre duas pessoas) e o modo Warfare que consiste em destruir a base do adversário, só uma coisa podemos garantir, diversão não faltará. Para além destes modos de jogos, já existem alguns novos modos disponíveis para download que permitem expandir toda a experiência de jogo. O mais famoso é sem dúvida o modo elimination, no qual os jogadores serão eliminados conforme atingem um determinado número de mortes estipulado pelo jogador. De uma forma geral não é difícil encontrar uma sala de jogo disponível, é fácil e cómodo.

Existe ainda uma enorme lista de estatísticas que marca todos os feitos atingidos pelo jogador e a sua posição no ranking mundial de jogadores. Ainda assim temos que ter em conta um factor importante nos dias que correm, se procuram um jogo com muitos desbloqueáveis no modo online, UT não vos poderá satisfazer nesse sentido pois nem sequer existe classificação por patentes. Não existe portanto lá grande motivo pelo qual lutar o que poderá torna-lo um jogo pouco gratificante, prejudicando-o a nível de longevidade. Ainda assim a diversão também conta muito.

Certamente não é pelo do modo campanha que nos lembramos de Unreal Tournament pois este não é de longe o seu ponto forte. Embora a Epic queira fazer transparecer que este é um modo história que quase chega aos calcanhares de Gears of War, podemos já adiantar que isso não é necessariamente verdade pois se assim fosse Gears nunca teria tido tanto sucesso.

A campanha não é nada mais, nada menos do que um modo de treino ou até mesmo um tutorial para quem se inicia do modo online. Os jogos do modo história em nada são diferentes daqueles que fazemos em online e as semelhanças são evidentes até mesmo na estruturação pouco trabalhada dos menus e todas as opções. Existem algumas (poucas) animações que por vezes são apresentadas depois de realizarmos algumas missões.

Estas animações são de facto muito belas, só é pena que sejam tão poucas que se tornam quase uma recompensa e não uma parte da história propriamente dita, pois até mesmo as missões pouca relação têm com a historia em si. Ao realizarmos as missões adquirimos também uma espécie de cartas que ao serem utilizadas no modo história em determinadas missões fazem com que estas se tornem mais fáceis de completar. A título de exemplo, podemos fazer com que os inimigos joguem em condições que lhes são desfavoráveis.

Foi a nível de grafismo que o jogo realmente inovou. É de esperar que o melhor grafismo proveniente do Unreal Engine apareça neste mesmo jogo e realmente se não for o melhor, então anda lá perto. Existem pormenores gráficos deliciosos. Alguns mapas podiam ser melhor desenhados e talvez mais trabalhados, existem outros que são obras primas gráficas. A cada jogo que se inicia é necessário esperar um curto espaço de tempo para fazer o loading das texturas, mas é algo que é benéfico pois o jogo a nível de texturas ficou muito bem conseguido. A única sensação negativa que tivemos é a de que o jogo carece de alguma falta de interactividade com os cenários, existe por vezes alguma falta de animação e vivacidade durante os jogos, pois à parte das explosões poucos efeitos existem.

Comentários (2)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!