Super Street Fighter II Turbo HD Remix

Saudar um clássico numa digna homenagem.

Não vou perder tempo com devaneios e saudosismos para explicar o quão marcante foi o original Super Street Fighter II, se bem que não é qualquer jogo que pode ser considerado como um dos responsáveis por nos definir enquanto jogadores. Se hoje em dia nomes como Tekken, Soulcalibur, Virtua Fighter, King of Fighters, Samurai Shodown ou Fatal Fury entre outros, fazem parte do meu vocabulário de jogador, tal deve-se unicamente a este clássico que incutiu em mim um enorme fascínio pelos jogos de luta. Para mim, e para muitos outros, o clássico original foi o “pai” dos jogos de luta e agora chega-nos esta nova versão preparada para a alta definição e sem rodeios e papas na língua vou directo ao assunto, Super Street Fighter II Turbo HD Remix é bom, muito bom. O requinte e a elegância que consagraram o original são as bases desta nova versão e de outra forma não poderia ser, a sua qualidade está garantida e a época de Street Fighter oficialmente aberta.

Se alguma vez houve jogo de luta que conseguiu incutir a palavra equilíbrio na sua jogabilidade, antes de aparecer já Street Fighter II o tinha feito. No entanto aqui o equilíbrio não se remete apenas ao “simples” proveito que se pode tirar de um jogo consoante o investimento que nele é feito. Sim, é certo que os novatos que pegam no jogo conseguem tirar partido imediato do jogo e a diversão é instantânea, em muito devido aos vários personagens que entretanto já se consagraram no mundo dos videojogos, e todos os que se dedicarem vão ter a vantagem. Mas Street Fighter II vai para além disso, quase como se fosse uma ciência ou uma fórmula matemática, Street Fighter II quase que pode ser considerado como a encarnação num jogo de luta de um jogo de acção rítmica, tudo parece ter um tempo, tudo parece ter uma forma de abordar e tudo se parece encadear, é o prevalecer e realçar da destreza e habilidade sobre a sorte e o acaso. É esta profundidade que conquistou os fãs e muitos deles já estavam conquistados mesmo antes de reparar que o estavam a ser.

1

A grande rivalidade de sempre continua mas agora em gloriosa alta definição

Mesmo com algumas pequenas alterações, a jogabilidade mantém-se e todos os que nunca perderam o contacto com ela vão conseguir jogar como se já o fizessem há anos, até talvez o façam mesmo. A Capcom optou por abordar o jogo de uma forma purista o mais possível, tão purista que nem vibração temos, e nós aqui estamos para a saudar. Os menos precavidos podem ficar chocados com a simplicidade dos menus e das opções até porque apenas temos o modo arcade presente no original e um modo versus local, mas também temos o modo online que promete recriar as delícias de outrora mas agora de forma adaptada ás tendências da nova geração. Enquanto jogava o original Super Street Fighter II chegava a ter medo de mim mesmo, isto porque adorava por os meus amigos a arder, sim, era absolutamente fenomenal aplicar um soco do dragão nos seus queixos e vê-los a arder, revela-se aqui um fã de Ken, e agora saber que o posso fazer a desconhecidos dá outro gosto.

À nossa disposição temos três modos diferentes, player match, ranked match e tournament. Como podem adivinhar pelos nomes, o primeiro deixa-nos combater simplesmente por diversão, no segundo combatemos com a nossa prestação a contar para um ranking e no terceiro entramos num torneio dividido por vários combates até que o lutador de rua supremo seja coroado. Durante a experiência online os combates decorreram de forma fluída e sem grandes problemas, umas ocasionais quebras de fluidez e um lag mínimo não conseguem retirar qualquer mérito ao grande trabalho executado pela Capcom.

Se a jogabilidade era um dado adquirido, já o visual despertou enorme curiosidade e por entre amostras altamente satisfatórias, ficavam as promessas de uns impressionantes 1080p. Prometido e cumprido, Super Street Fighter II Turbo HD Remix trás o clássico para a alta definição e mantém toda uma fluidez impressionante. O clássico foi completamente redesenhado visualmente, estando as alterações a cargo da Udon, companhia responsável pelos comics Americanos da série, e todos os que estão familiarizados com os comics vão facilmente reconhecer o traço que nos dá um visual que usufrui de toda a experiência da companhia. Não propriamente um desenho animado em movimento, olhar para este jogo é quase como ver uma banda desenhada ganhar vida e desenrolar-se à nossa frente. Os cenários são coloridos e cheios de vida e trazem para a alta definição os clássicos que conhecemos e os personagens são maiores e mais detalhados.

Mas o Remix no nome não se refere apenas ao visual melhorado e adaptado para a nova geração, pois também a jogabilidade e a música do jogo foram melhorados e modificados. Enquanto que a jogabilidade mantém-se na sua essência completamente igual, ao escolherem o modo Remix ao invés do Classic, vão estar a aceder a alguns golpes novos, como o Instant Hell Muderer de Akuma, e a algumas alterações efectuadas na jogabilidade. A música, mesmo que para os puristas a original esteja presente, a qualidade dos temas novos, ou remisturas, é enorme e oferecem uma grande companhia ao renovado visual. São muito agradáveis e encaixam na perfeição pois na verdade estão também eles a prestar uma homenagem ao originais.

2

Como sempre a Chun-Li continua tão bela quanto forte, toma lá seu malvado

Por fim temos que referir dois problemas relacionados com a versão Playstation 3, pois estão ausentes duas funcionalidades que até se poderiam considerar já básicas para esta altura, muitos podem argumentar que não são importantes para a experiência mas o certo é que a sua inclusão em nada o iria prejudicar, só melhorar. Na versão Playstation 3, os jogadores encontrados não ficam registados e caso queiram voltar a enfrentar um desconhecido cujos combates vos foram agradáveis, ou escrevem o nome num papel ou então nada feito. A versão Playstation 3 também não apresenta troféus, algo cujo interesse varia de jogador para jogador mas a sua inclusão seria sempre bem vinda.

Resumindo e concluindo, acabamos como começamos, Super Street Fighter II Turbo HD Remix é bom, muito bom. É uma homenagem e um serviço que a Capcom presta a si, ao seu clássico e a todos os fãs que o adoram e que jamais o esquecerão. O fervilhar de recordações para os fãs antigos mistura-se sem problemas com a curiosidade dos novatos que aqui tem uma bela forma de entrar no mundo de Street Fighter, pelo menos até Street Fighter IV chegar.

9 / 10

Lê o nosso Sistema de Pontuação Super Street Fighter II Turbo HD Remix Bruno Galvão Saudar um clássico numa digna homenagem. 2008-11-29T12:56:00+00:00 9 10

Comentários (10)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!