Scene it? Box Office Smash

Let's look at the trailer!

Versão testada: Xbox 360

Um “pop quiz” é quase sempre irresistível e poucos são aqueles que depois de elegerem uma resposta não deixam de ir imediatamente à folha das soluções apurar se a opção que escolheram está correcta. Perguntas rápidas, sobre áreas tão díspares, são sempre um apelo a respostas encontradas na ponta da língua, ou não, e na diversidade de opções sugeridas, para os mais duvidosos, pode encontrar-se uma boa questão. Porque ninguém sabe tudo, facto comprovado nas centenas de perguntas que compõem jogos da marca Trivial Pursuit (os mais conhecidos dentro deste segmento), certo é que esta vaga de entretenimento mantém a utilidade enquanto as questões não se repetirem e as respostas não ficarem conhecidas.

Não tardou até que o formato de tabuleiro do género “trivia” transitasse para dentro do DVD, destacando-se a marca Scene it? pela mão da Screenlife detentora dos direitos e com bastantes títulos já distribuídos. Coube porém à Krome Studios agarrar a marca e lançar o jogo em exclusivo para a Xbox 360. Com Scene it? Lights, Câmara, Action a Microsoft contemplou os seus utilizadores com o primeiro rival de Buzz para a Playstation 2, o jogo de perguntas rápidas que em pouco tempo se adaptou a Portugal através da voz emprestada de Jorge Gabriel, apresentador de concursos baseados no género como Quem Quer Ser Milionário.

Para este ano a Krome Studios fez chegar a sequela, sob o nome Box Office Smash e que traduz uma considerável expansão e amplitude perante a incursão passada, pondo à prova os mais fiéis seguidores de cinema pipoca, mas em parte os seguidores dos “moves”, na forma do cinema mais tradicional, quiçá menos conhecido, e que por isso deixará alguns jogadores menos preparados à beira de renovadas dificuldades. Comparado com Buzz este Scene it acaba por ser mais expedito e dinâmico na forma como transita pelas rodadas de questões; nunca se sabe ao certo o que vem a seguir. De qualquer modo é possível estabelecer uma ordem antes de começar a jogar, como definir o tempo estimado de jogo, com amplas possibilidades para todos os participantes responderem até à mega final, sobrando o aliciante das partidas em rede, com amigos da lista ou outros, para as situações em que faltem participantes por casa.

Quanto às partidas com os amigos em casa é possível definir alguns parâmetros nomeadamente as penalizações por cada resposta falhada. Isto significa que não respondendo acertadamente o tempo dispendido será deduzido em pontos ao montante total, mas felizmente o bónus de multiplicador de pontos por respostas certas consecutivas não é aplicado neste caso. Sendo deveras penalizador para os jogadores menos à vontade com o cinema, faz sentido activar esta opção para as situações em que os participantes mantêm conhecimentos similares sob pena de existirem resultados díspares no fim da primeira rodada de puzzles.

1

Este desafio exige uma disponibilidade especial para com aquelas letras descobrir o nome do filme.

Outra hipótese para criar mais alguma tensão na passagem dos puzzles passa por seleccionar a opção em que todos podem responder ao mesmo tempo dentro de um determinado limite de tempo e noutros puzzles o primeiro a pressionar o botão maior (Buzz in) fica com a possibilidade de escolher a resposta e reclamar todo o tempo sobrante em pontos. A alternativa a esta opção, particularmente entusiasmante pelos cinéfilos, passa por deixar que todos sejam admitidos a responder à totalidade dos puzzles. O tempo de jogo também pode ser configurado, entre partidas mais curtas (15 a 20 minutos) ou partidas longas (25 a 30 minutos). Em ambos os casos mantém-se o número de rounds e apenas se alargam os puzzles, de três para cinco em cada round, permanecendo ainda o Final Cut com as quatro implacáveis e definitivas perguntas. Sem ninguém por casa e sem acesso à rede qualquer jogador poderá optar pelo modo individual havendo um multiplicador a funcionar cada vez que se faz uma parelha de respostas certas.

Em alternativa aos modos anteriores e com um máximo de quatro jogadores é possível jogar de forma ininterrupta, puzzle após puzzle, sendo que para esta opção todos os jogadores podem responder. Com o lançamento de Box Office Smash no final deste ano, o jogo chegou mesmo a tempo de aproveitar em grande a experiência NXE e com toda a vitalidade que é emprestada pelos avatares individuais e caracterizadores dos jogadores. Apesar de lhes ser dado um papel automático e predefinido, é interessante ver como os participantes se acomodam num belo sofá amplo para ver cinema e regozijam mediante as prestações, tomando reacções diversas, desde entusiasmo, pulos de contentamento até alguma frustração pelo parco resultado. Através de bastantes cenas animadas e com uma apresentação apetecível com os condimentos da sétima arte, que deverá apelar ao paladar do senhor que habitualmente conta sobre o cinema na Sic, Box Office Smash tem uma apresentação muito mais entusiasmante que o título anterior, sobretudo na forma como são dados a conhecer os diversificadíssimos 21 géneros de puzzles.

Comentários (21)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!