Eurogamer.pt

Resistance 2

Ergue-se a humanidade numa resistência épica.

Se há nome que os jogadores Playstation 3 aprenderam a respeitar desde que a consola foi lançada, esse nome é Insomniac Games. A companhia liderada por Ted Price ameaça chegar a um ponto onde pode ser considerada como sinónimo de Playstation 3, tal é qualidade e o talento revelado nos seus trabalhos. A Insomniac já conta no seu currículo com dois títulos, e um pequeno título, para a Playstation 3 e agora é chegada a hora de recebermos o seu título de terceira geração para a Playstation 3, Resistance 2.

Não é de estranhar que sempre que se ouça o nome Insomniac as cabeças se ergam e os corações palpitem de esperança pois são eles os que mais dotes tem revelado na hora de aproveitar as capacidades da consola e por entre más prestações e maus portes, os seus jogos conseguem ser uma lufada de ar fresco com grande qualidade, fruto de uma boa dose de talento e poucos são os que ainda estão alheios a isso. Desde os primórdios em que a Playstation Network era ainda um serviço pobre e em crescimento, a Insomniac já mostrava alguma compreensão sobre como a usar e isso resultou no imprevisto sucesso de Resistance: Fall of Man. O jogo que deu aos fãs de uma Playstation 3 uma espécie de iniciação ao mundo dos jogos online, aos combates de clãs e ao jogar por divertimento com amigos, até um máximo de 40 numa sala. Desde que Resistance foi lançado muito mudou e evoluiu e agora vamos saber o quanto.

Em Resistance 2 vamos assistir ao intensificar da luta da humanidade contra as quimeras e depois da luta na Europa, começa a invasão da América. Nathan Hale deve proteger a humanidade lutando contra os invasores e pelo meio tem que garantir que não se torna num deles. Não vamos adiantar nada sobre a história que possa estragar a vossa experiência, apenas vamos referir que Resistance 2 tem início exactamente onde o original termina.

2

Nathan Hale tem a missão de salvar a humanidade e tentar garantir que não perca a sua durante o processo

Isto é o ponto de partida para uma campanha arrebatadora e incrível cujo tom épico ergue-se a um nível apenas equiparável à necessidade da humanidade resistir. Vamos percorrer várias cidades Americanas completamente devastadas pela invasão numa tentativa de restituir esperança. Repleto de secções fantásticas e de momentos que nos deixam extasiados, a campanha de Resistance oferece uma experiência para um jogador incrível, é imponente e está repleta de momentos memoráveis. As lutas e os acontecimentos nos quais Nathan se envolve estão entre o melhor que já vimos nesta geração e a palavra épico deverá ser suficiente para o descrever. Um dos focos principais foi a dimensão e escala e tal é notório no decorrer do jogo pois será frequente a sensação de que somos muito pequenos perante o que acontece à nossa volta.

Se a cara pálida de Hale e o tom acastanhado ou acinzentado que prevalecia no primeiro foi algo que pouco impressionou, em Resistance 2 temos um mundo repleto de cor. Mesmo para os membros da polícia dos pixeis - um bem haja ao camarada de armas que me deu a conhecer o termo- será difícil não ficarem impressionados com o visual de Resistance 2. Nem sequer é preciso pertencerem a esse quadro de jogadores para quem a qualidade visual é mais importante que a soma de todos os restantes factores, Resistance 2 torna fácil a tarefa de nos impressionar.

Quer seja pelos cenários e ambientes mais ricos, mais épicos e mais imponentes, quer seja pelas cores e pelos efeitos de iluminação verdadeiramente surpreendentes, quer seja pela construção e design dos níveis ou nos detalhes nos inimigos, é muito difícil oferecer resistência neste aspecto. O tempo investido a trabalhar e a aprender a melhor manusear a consola mostra aqui os frutos desse trabalho e a Insomniac está de parabéns, Resistance 2 graficamente é um dos melhores jogos presentes na Playstation 3 e até nesta geração.

Comentários (272)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!