Resident Evil 5: Desperate Escape

Desesperada luta pela sobrevivência.

Versão testada: PlayStation 3

Depois do brilhante e altamente recomendável Lost in Nightmares, a Capcom volta a propor um novo pacote com conteúdos adicionais. Desperate Escape é o seu nome e o seu objectivo é cativar o jogador para que este se sinta tentado a regressar a 2009 e a viver situações inéditas. Depois do bastante peculiar primeiro episódio adicional, este segundo episódio mesmo sendo ligeiramente diferente do que se pode encontrar na experiência base do jogo, por motivos mais do que óbvios, já não consegue oferecer algo tão distinto quanto Lost in Nightmares. O facto de decorrer no mesmo período de tempo e espaço que Resident Evil 5 força-o a obedecer a determinados parâmetros, que foram livremente moldados no primeiro pacote e reduz o impacto do efeito novidade, mas isso não quer dizer que não ofereça algo novo e diferente.

Desperate Escape chega para fechar uma das poucas pontas soltas deixadas pelo jogo e aqui vamos descobrir como a equipa de salvamento chegou a tornar-se em tal e como conseguiram os meios com que nos ajudam no final do jogo. Após perder a luta com Sheva e Chris, e sair do controlo de Wesker, Jill tem uma última missão, escapar desesperadamente daquele lugar e pelo caminho oferecer uma pista extremamente importante ao seu colega Chris. Para isso vai contar com a ajuda de Josh Stone (não, a cantora é Joss e não Josh) que por várias vezes ajudou o jogador ao longo do jogo. Na boa tradição da série em apresentar duplas improváveis para perigos improváveis, a Capcom cria mais uma que funciona na perfeição.

1

Jill está de volta, com novo parceiro mas com o mesmo objectivo…sobreviver.

Se a missão começa com intenções de fuga, rapidamente assume contornos mais perigosos e não tão simples. Jill tem uma última missão e isso envolve enfrentar centenas de inimigos (existe mesmo um troféu/conquista de jogador relacionado com isso). Debaixo do céu nocturno, Jill começa com uma única arma à sua disposição e para evitar que o jogador tenha a mesma sensação de Resident Evil 5, a Capcom aumentou a dificuldade da experiência elevando e realçando a luta pela sobrevivência. Para isto, limitou ao extremo o número de munições disponíveis e obriga-nos a serpentear por entre mísseis e inimigos que nos perseguem. Aqui não podemos assumir uma postura clara de ataque pois rapidamente ficamos sem munição. A ideia é a de fuga e luta contra o tempo, e isso é o que melhor temos a fazer, correr e tentar evitar ao máximo confrontos para poupar munição. A munição tornasse vital especialmente nos momentos finais, durante os quais a Capcom reservou um desafio especial de sobrevivência que eleva a tensão a níveis assinaláveis.

A forma como a Capcom adaptou a experiência Resident Evil 5, conhecida pela sua nova direcção assente em fortes contornos de acção, aos tradicionais parâmetros da série já não passa pelo ambiente e pelo cenário mas mais pela tensão e na luta pela sobrevivência. O horror fica praticamente de lado mas o survival está bem presente e em quantidades recomendáveis. Durante os momentos de maior tensão, o jogador vê-se forçado a gerir não só o seu inventário extremamente reduzido como também a gerir um espaço que parece pequeno a cada segundo que passa. Em alguns momentos é necessária a cooperação que marca forte presença no jogo e este episódio, talvez por seu mais virado para a acção, faz sentir uma maior necessidade de um parceiro humano que consiga reagir melhor a algumas situações, se bem que a inteligência artificial portou-se sem quaisquer problemas de maior a assinalar.

2

Jill não recua perante as maiores adversidades.

Lost in Nightmares oferecia o modo Mercenaries Reunion e quem comprar Desperate Escape vai receber como personagens adicionais o próprio Josh Stone e ainda Rebecca, protagonista de Resident Evil 0 e membro do elenco do Resident Evil original. Será esta a alternativa para prolongar uma longevidade que presumivelmente já se adivinhava mais baixa que a do anterior. A sua própria natureza assim o deixava antever, e Desperate Escape é relativamente mais curto do que Lost in Nightmares mas mantém ainda um grande valor de repetição pois contém Troféus/Conquistas de jogador para descobrir. Os incentivos para repetir o episódio estão lá e alguns audazes são convidados a tentar desafios mais extremos.

Resident Evil 5: Desperate Escape é um episódio adicional que não conseguindo atingir o patamar do anterior, tem na mesma o mérito de conseguir assumir-se como interessante para os fãs e de conferir novos elementos a toda a trama. Ideal para os mais dedicados à série, e a Resident Evil 5 em particular, mas de forma alguma recomendável e essencial como Lost in Nightmares.

7 / 10

Lê o nosso Sistema de Pontuação Resident Evil 5: Desperate Escape Bruno Galvão Desesperada luta pela sobrevivência. 2010-03-03T15:40:00+00:00 7 10

Comentários (7)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!