Pure

Pura adrenalina!

Versão testada: PlayStation 3

De repente, do nada, acompanhados por um barulho ensurdecedor, vários ATV rasgam caminho por entre os trilhos lamacentos esculpidos pela mãe-natureza. Um truque mal calculado faz com que um dos concorrentes prove o sabor do lodo, fazendo com que um dos adversários que vinha atrás embata numa barreira de protecção quando se tentava desviar de todo o aparato. Nós, na última rampa antes da meta, acabamos a nossa “combo” com um “Ruler”, cortando-a a alta velocidade com uma descarga de “boost”.

Assim é Pure, o novo título da Black Rock com o selo da Disney. Não muito conhecido entre alguns, este foi um dos jogos que nos despertou grande interesse no decorrer da Games Convention, onde tivemos a oportunidade de o experimentar por breves momentos. Agora que já explorámos tudo o que havia por explorar temos de confessar que o jogo nos surpreendeu pela positiva, apresentando-se como um dos melhores do seu género.

Como acontece com a maioria dos jogos deste estilo, existe um modo carreira, designado por World Tour. O objectivo é simples; passar os vários eventos e chegar a número um, arrecadando o título de melhor do mundo. Mas antes disto tudo existe o tutorial de Pure, que nos dá a conhecer os controlos e a mecânica de jogo. Este é bastante simples, e não demora mais de 5 minutos a completar. Além disso, mais tarde vão agradecer as dicas que aprenderam, pois estas são essenciais para vencer as corridas.

Quando entramos no modo World Tour somos convidados a escolher uma das várias personagens disponíveis, e em seguida a construir a nossa moto de raiz. Podemos alterar basicamente tudo, desde as peças mecânicas, passando pelo aspecto físico. São bastantes as componentes editáveis, e cada peça apresenta várias marcas, o que quer dizer que podemos fazer milhares de combinações diferentes. O aspecto gráfico também não foi esquecido, e além de podermos escolher as cores de cada componente, podemos aplicar decalques à carcaça do ATV.

1

Truques deste gabarito só podem ser feitos em saltos gigantes

Mas mais importante que o aspecto físico é as variáveis de performance, ou seja, cada peça que metemos na nossa mota vai alterar o comportamento desta. No modo carreira temos à disposição vários eventos. Cada um deles contém várias provas divididas em 3 categorias, sendo estas as corridas, “sprint” e “free-style”.

Quando implementamos uma peça temos de ter em atenção se esta não nos vai prejudicar na prova que vamos fazer. Por exemplo, se inserirmos um componente que faça aumentar a velocidade do ATV, muito provavelmente este também vai acabar por reduzir a capacidade de truques, portanto, também existem aqui elementos de estratégia.

Além das peças mecânicas, outro factor que pode ditar a vitória ou a derrota é o “boost”. Para encher a nossa barra temos de fazer os mais variados truques, mas ao contrário de muitos jogos, aqui somos limitados a fazê-lo por fases. E não pensem que isto é algo mau, antes pelo contrário. Para iniciarmos uma manobra acrobática temos de ter a certeza que a rampa onde a vamos fazer tem a altura certa, caso contrário o mais certo é sofrermos um acidente.

Comentários (11)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!