Marvel vs Capcom 2

Is Mahvel baybe!!!

Versão testada: Xbox 360

Dada a extensão do sucesso da edição de Super Street Fighter II Turbo HD Remix a Capcom não tinha como fugir ao apelo dos fãs para voltar à tona dos fighting games clássicos, compactos e de imediato reconhecimento, beneficiando das plataformas em rede como o XBLA e PS Network, com Marvel Vs Capcom 2, um superlativo absoluto em personagens e forjado a combinações de engate desmesurado.

Fighting game de primeira água nas arcadas através da plataforma Naomi no começo deste século com sequência através de versões domésticas para a Dreamcast, Xbox e PS2, digamos que o pleno de exploração do âmbito online redimensionou o valor comercial e adjacente do conceito adquirido de um Marvel vs Capcom, numa fase em que o uso da licença da Marvel por parte da Capcom ficou assegurado por mais alguns anos.

Coube à Backbone erigir a versão para as plataformas virtuais da moderna geração e muito embora tenha dado uso ao código que serviu de base para a versão Dreamcast deixaram praticamente intocada a componente visual do jogo, apesar de alguns abrandamentos no ecrã de selecção e do "upscaling" que limitou algum do brilho bem marcante na versão arcade e Dreamcast. A adaptação para o formato alargado não deixa de ser, porém, uma mais valia para os utilizadores dos modernos televisores, pelo que a SNK devia seguir semelhante iniciativa nas reedições de alguns dos seus clássicos de luta que teimosamente são lançados com as barras laterais, limitando assim o alcance e dimensão do palco de jogo.

Além da adaptação ao formato de grande dimensão, mas sem a preocupação de renovar o design das personagens, os produtores incluíram alguns filtros na forma como são exibidos os sprites. Nesse caso os jogadores poderão escolher uma apresentação clássica dos mesmos ou suavizada.

Embora seja uma reedição a partir de um produto original lançado em 2000 na cena arcade, mantém intacto todo o entusiasmo ao redor dos belos sprites e efeitos dos golpes esmagadores provocados pelas personagens. Um dos seus grandes trunfos acaba por ser a preservação do estatuto sagrado das duas dimensões encorpado em cores muito vivas, exibindo em simultâneo uma dinâmica alucinante à custa dos infindáveis atributos das personagens e sobretudo potencial utilização das mesmas.

1

Os efeitos visuais servem de paródia às personagens. Yeah, Spider Man.

Uma das principais fachadas de Marvel vs Capcom, e que tem sido o veio de exortação do título, é a espectacularidade dos combates ao mesmo tempo que as combinações de golpes encadeados se alargam a um nível praticamente sem precedentes. Talvez seja fácil divisar um jogador casual que consegue comprometer-se ao fim de alguns instantes quando risca uma tripla formada pela banda da Marvel ou Capcom. Imaginem Hulk, Ryu e Mega Man na mesma equipa. As possibilidades são inesgotáveis. 56 personagens, desta vez sem necessidade de tempo extra para desbloquear boa parte delas. Agora mergulhar no ritmo profissional do jogo, do domínio cabal dos ataques acaba por se tornar num permanente desafio complexo, mas estimulante quando chegam os primeiros resultados, principalmente nas batalhas travadas em rede.

Móbil fulcral na reedição de Marvel Vs Capcom 2, a componente para múltiplos jogadores em rede (até um máximo de 6) assenta nos mesmos servidores que promovem os combates de SSF2THDRemix. Geralmente decorrem de forma lesta, pontualmente algum lag ou quebra na ligação, mas no geral o online cumpre bem a finalidade mesmo quando a sala nos player ou ranked match está na sua lotação máxima. Com dois jogadores a pugnarem pela vitória os restantes assistem à partida dos seus camaradas, sendo que o derrotado segue para o fundo da fila, em espera, e os restantes espectadores são encaminhados progressivamente para a arena.

Comentários (16)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!