LittleBigPlanet

Em busca de um novo mundo.

Versão testada: PlayStation 3

Todos nós precisamos de heróis. Heróis que atribuem um certo significado à nossa vida, que sejam na verdade exemplos a seguir. Podem ser pessoas, ou imagens meramente estilizadas na nossa mente. Para uma indústria necessitada de sopros de originalidade, é com o rosto levantado ao vento que recebemos LittleBigPlanet.

Mas onde está o herói em LittleBigPlanet? Numa simples e directa expressão, “está dentro de cada um de nós”. Mas antes mesmo de nos atirarmos de cabeça para este novo mundo do país das maravilhas, falemos do conceito, porque afinal, LittleBigPlanet é mais que um jogo, que um simples divertimento, é um novo mundo a descobrir.

LittleBigPlanet, apenas LBP para os amigos, nasce das mentes criativas da Media Molecule, uma auto-intitulada equipa de criadores de jogos. Esta pequena mas genial equipa - em parte proveniente da Lionhead Studios - tem consigo um background de trabalhos relacionados com a temática criação. Criação no sentido de sermos nós próprios os donos e possuidores de poderes criativos. Por isso não espanta ver os nomes Black & White, Fable ou Dungeon Keeper no seu portfólio. É de certa forma nesta mistura de ideias, que se baseia LittleBigPlanet.

LBP assenta sobre três ideias base, “Play”, “Create” e “Share” - representados como três planetas distintos, vistos da nave do nosso Sackboy (ou Sackgirl) ou conforme Leo Corbin, produtor do jogo afirma, Sackperson. Estas três ideias base permeiam todo o jogo, criando três mundos distintos, mas interligados de uma forma estupidamente intuitiva e simples. Colocando estas três características na nossa mente, esse novo mundo que dá o mote a esta análise é criado.

Irei abordar esta análise em duas perspectivas, uma na perspectiva de quem apenas quer comprar um jogo, para jogar, e a outra em que iremos aproveitar todo o seu potencial.

4

Esta nave é o nosso ponto de partida... e também pode ser decorada ao nosso gosto!

Na primeira perspectiva, o “Play” é o sumo do jogo. Aqui temos mais do que um simples jogo de plataformas, onde progredimos em scroll horizontal da esquerda para a direita. Os criadores de LBP quiseram trazer um valor acrescentado a quem apenas o compra para jogar, ou mesmo quem não tem acesso à internet para o uso do online. É realmente notória a preocupação que tiveram para que o valor gasto na compra fosse bastante recompensado. De uma forma linear e sem nos alongarmos muito sobre o conteúdo jogável de raiz, podemos contar com mais de 12 horas de jogo, ou mais até se quisermos ser persistentes e obter a pontuação de 100% em cada nível.

Iremos percorrer todo um planeta, que representa o nosso belo planeta Terra, mas desta feita, em formato de pano. Esta viagem pelo planeta é feita de nível em nível, e só serão desbloqueados os sucessivos níveis quando completarmos os anteriores, e isto é assim até ao final. Em todos os níveis encontram-se sub-níveis que são na verdade, pequenos jogos de puzzles, corrida, de saltos, ou mesmo de queda livre, trazendo um pouco de variedade à jogabilidade.

A nossa caminhada leva-nos por diversos palcos, onde imperam a cultura e a decoração local. Cada nível principal é uma zona do planeta, com todos os pormenores, música e cores que a caracterizam.

Por exemplo, a zona citadina, onde estão presentes pormenores de cidades conhecidas. É difícil ficar indiferente à beleza do nível oriental. Simplesmente fantástico. Mas em todos eles, é notória a originalidade das criações e arquitecturas dos níveis. É um deslumbre para os olhos ver pormenores deliciosos, como o arrebentar das bolhas provocando um fumo colorido, pétalas a voar ou a recriação do fogo e fumo. A palete de cores é imensamente rica, criando uma ilusão de realismo. Parece que se formos ao ecrã conseguimos apanhar as almofadas ou rochas existentes.

Comentários (79)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!