Gran Turismo

O derradeiro simulador?

Versão testada: PSP

Foi com bastante entusiasmo que vimos Gran Turismo PSP ser anunciado na já longínqua E3 de 2004, tendo sido mostrado um “teaser” com o aspecto que a PolyPhony Digital, produtora, pretendia atingir para este jogo. Passaram cinco anos, e só na última edição do evento, realizado em Junho deste ano, é que tivemos acesso às primeiras informações oficiais, assim como à versão jogável. O entusiasmo estava instalado, GT PSP prometia ser a derradeira experiência de condução para a portátil da Sony. No entanto, devido a uma mecânica de jogo diferente, não podemos dizer que o título tenha preenchido as nossas expectativas.

O menu principal é o ponto de partida para tudo o que o jogo pode oferecer. A equipa de Kazunori Yamauchi resolveu mantê-lo simples, à semelhança de Gran Turismo 5: Prologue, com todas as opções do jogo a manterem-se num simples ecrã. No entanto este foi reformulado para a portátil, e é bastante simples de usar, assim como os sub-menus dentro de cada categoria. Para os que não percebem Inglês, fiquem a saber que o título se encontra completamente traduzido para a língua de Camões.

Comecemos então pelo modo principal do jogo, que, tal como já era sabido, denomina-se de “desafios de condução”. Quando originalmente nos foi dito que o título se ia focar neste modo, em vez do normal sistema de carreira, não ficámos preocupados, pois pensámos que se iria adoptar uma mecânica de jogo semelhante àquela disponível em Gran Turismo Concept 2002 Tokyo-Geneva, onde, por exemplo, era necessário correr contra carros iguais e fazer uma paragem obrigatória nas boxes. Infelizmente, temos de nos contentar com o antigo modo “escola de condução”, que aqui foi reformulado basicamente no nome.

1

Os melhores percursos da série, como Nürburgring, marcam presença.

Desta forma, o que temos de fazer é realizar algumas actividades já conhecidas de todos nós, que passam por travar a 100 metros, percorrer parte de um percurso dentro de um tempo limite, percorrer uma volta num percurso e ultrapassar alguns adversários antes de chegarmos à meta proposta. Estes últimos desafios podem ser bastante frustrantes, numa fase mais avançada do jogo, onde o tempo para efectuarmos as manobras é menor e é necessário arriscar mais. Isto porque, ao batermos no carro de um piloto adversário perdemos a prova, sendo necessário fazê-la outra vez. No entanto, o problema reside no facto de, quando nos dão um toque, embora a culpa não seja nossa, também sermos desqualificados.

Como ajuda, temos um auxílio com presença regular na série, as linhas no chão, que indicam o percurso aconselhado e quando é necessário travar. Em adição, existem ainda os vídeos explicativos, estes totalmente dobrados em Português, que nos demonstram de que forma completar estas mesmas provas.

É, sem sombra de dúvidas, para um modo principal, algo que sabe a pouco, principalmente para os fãs da série, que conseguirão passar todas as missões do título em algo como duas horas. Escusado será dizer que, sendo esta a grande atracção de GT PSP, iremos ganhar créditos. Cada desafio tem, normalmente, três taças (bronze, prata e ouro), cada uma correspondendo a um montante e dificuldade. Se conseguirmos passar o objectivo de forma perfeita, com um tempo bastante bom ou ultrapassar todos os carros em pista, é-nos dado o troféu de ouro e uma avultada quantia, que, posteriormente, serve para comprar bólides no concessionário.

Comentários (49)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!