Eurogamer.pt

Análise de desempenho: Modern Warfare 3

A realidade do "bloqueado a 60FPS".

Na minha análise da conferência da Microsoft na E3, abordei as reivindicações da Infinity Ward de que Modern Warfare 3 está "bloqueado" aos 60FPS, isto com base em observações do gameplay que apresentaram no media briefing. A nossa conclusão? O jogo tem quebras de frame-rate, mas faz um bom trabalho em manter uma atualização perceptual a 60Hz.

A pessoa que fez as reivindicações originais, não é nada mais que o estratega criativo, Rob Bowling, que era também a pessoa que estava a jogar no palco. Ele recentemente twittou que o MW3 "estará bloqueado a 60FPS o que significa que nunca descerá abaixo disso... apenas poderá ir acima dos 60FPS."

Haverá certamente aqui alguma confusão. Os jogos Call of Duty estão v-synced (Sincronização vertical) - de forma simples, cada vez que o ecrã é atualizado, um novo frame aparece no ecrã. Se o frame já estiver renderizado antes da atualização do ecrã, o sistema espera para que o teu ecrã acompanhe. Resumindo, o jogo não poderá correr mais rápido que os 60FPS sem produzir screen-tear (Um frame aparece antes que o anterior desapareça criando rasgos no ecrã), e isso é algo que não queremos num jogo de COD nas consolas.

Portanto, quanto suave é o Modern Warfare 3? Conseguimos adquirir um vídeo a 60Hz do evento da Microsoft e processámos as imagens nas nossas ferramentas de análise. O resultado confirma as nossas observações iniciais de que o gameplay é na verdade muito, muito suave, apenas com uma estranha quebra no desempenho - apenas notado pelo olho humano quando as ondas tapam o ponto de vista do jogador. É claro que o jogo ainda está em desenvolvimento, por isso ainda existe oportunidade para serem feitas optimizações futuras, mas agora mesmo, o código da E3 tem um desempenho impressionante.

O trailer de Modern Warfare 3 da conferência da Microsoft revisitado, com o acrescento da análise de desempenho. Kudos para a melhor qualidade de transmissão do evento.

Agora com respeito às minúcias técnicas, começo pela pergunta óbvia de onde obtivemos uma fonte de 60Hz, tendo em conta que todos os vídeos na Internet foram transmitidos apenas a 30FPS. A resposta encontra-se na marca de água - uma gravação a 1080i TV off-air da excelente cobertura do evento E3 pela Gametrailers / SpikeTV, não só forneceu a melhor qualidade de imagem, mas também a resolução temporal necessária.

Ainda assim o vídeo a 1080i corre a 30 frames por segundo, mas devido aos campos entrelaçados, a ação que vale a pena a 60Hz foi incluída em cada frame. Com alguma magia de processamento de vídeo, conseguimos desentrelaçar o vídeo, separar os campos o que nos deu uma fonte necessária de 720p60. Como o vídeo foi obtido a partir de um stream comprimido, em vez da versão intocada de uma captura HDMI direta, a análise foi então verificada pelo olho, numa base de frame-para-frame para garantir a precisão. Este processo consumidor de tempo foi necessário porque os artefatos de compressão de vídeo em cenas de movimento rápido poderão ser vistos pelas nossas ferramentas como frames únicos, distorcendo os resultados.

Sim, isto levou muito tempo mas os resultados valeram a pena. Embora a afirmação de que está bloqueado a 60FPS não tenha passado pela nossa análise, ainda assim é um desempenho estrondoso dos produtores: Um feito técnico que se traduz diretamente numa melhor experiência de jogo para o jogador. Se a Infinity Ward e a Sledgehammer Games conseguirem sustentar este nível de desempenho ao longo do jogo, estaríamos olhando para o jogo Call of Duty mais suave para consolas desde o original Modern Warfare para a Xbox 360. Tendo em conta o quão essencial é o alto frame-rate e a resposta nítida no fundamento da jogabilidade do COD, isto seria uma notícia boa, muito boa.

Publicidade

Comentários (19)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!