Eurogamer.pt

Switch: Teste aos tempos de carregamento - MicroSD vs cartões e memória interna

Resultados inesperados: memória flash bate os cartuchos.

É o confronto do armazenamento na Switch - interno vs externo vs cartucho.

Com apenas 32Gb de memória flash, podemos dizer que o armazenamento - ou a sua capacidade - não foi a prioridade da Nintendo ao desenhar a Switch. No entanto, o sistrma chegou com uma entrada MicroSD, permitindo cartões até 2TB. Mas numa era de tempos de carregamento cada vez maiores, ficamos a pensar: será que a escolha de MicroSD afecta os tempos de carregamento? E como se compara a sua performance com o armazenamento interno e até os cartuchos? Os resultados podem surpreender.

Se queres investir nas compras da eShop, mais cedo ou mais tarde precisarás de um MicroSD. Existem apenas 25.9GB disponíveis para os utilizadores, espaço que rapidamente será preenchido; um jogo como Zelda: Breath of the Wild ocupa 13GB sem actualizações, e a Nintendo oferece aos programadores da Switch cartuchos com um máximo de 32GB. A não ser que compres somente jogos físicos, precisarás de mais espaço de armazenamento.

Segundo o site Japonês, a Switch suporta cartões UHS-1, o que em teoria nos dá velocidades até 104MB/s. Para testar isso, compramos um 16GB Sandisk Ultra, um cartão UHS-1 que oferece transferências até 80MB/s. Provavelmente não é o cartão que comprarias (compramos apenas para transferir ficheiros antes da actualização com SDXC chegar), mas é um cartão SDHC barato - formato que não excede os 32GB. No entanto, dá-nos um exemplo do suporte da Switch para as velocidades UHS-1.

Do outro lado, escolhemos um SanDisk Extreme Plus de €50, um cartão 64GB SDXC, desenhado para ler e gravar vídeo 4K e avaliado como um dos MicroSDs mais rápidos do mercado. Precisas actualizar a tua Switch para se tornar compatível com estes cartões mas assim que estiver actualizada, a consola pode até aceitar cartões com 2TB, mas de momento 256GB foi o maior que conseguimos encontrar. Este Extreme Plus é de uma categoria flash UHS-3 mais rápida, com 90MB/s de leitura e 60MB/s de escrita. Esta velocidades de topo não são suportadas pela Switch mas será de esperar uma melhor prestação que um UHS1 SanDisk Ultra - pelo menos em teoria.

Jogos que utilizam muitos dados ainda são escassos, por isso The Legend of Zelda: Breath of the Wild é o principal alvo dos testes aos tempos de carregamento, e os resultados fascinam. Olha para um cartucho da Switch e verás muitos pins, sugerindo uma interface capaz de transferências muito rápidas. Com o nosso Extreme Plus MicroSD, acreditamos que seria o vencedor. No entanto, os resultados são dramaticamente conclusivos - é a memória interna de 32GB da Switch que é a interface de armazenamento mais rápida do sistema.

Hora de mostrar os nossos trabalhos: eis um vídeo com uma demonstração dos tempos de carregamento.

O primeiro teste foi perto do Templo do Tempo, uma área repleta de bens para carregar. Medimos os tempos de carregamento ao capturar o processo de carregamento no jogo, cortando cada carregamento ao fotograma exacto - onde neste caso o armazenamento interno da consola demora apenas 30 segundos até começares a jogar. É uma espera longa, mas 14% mais rápido do que o cartucho, menos 5 segundos. Até bate os 34 segundos conseguidos pelos dois MicroSDs, incluindo o modelo de 64GB. Outro ponto curioso é que ambos os MicroSDs ficam a meros segundos um do outro.

Isto acontece em mais casos. Carregamos outra área complexa, como a Aldeia Kakariko, e o armazenamento interno da Switch ficou novamente em primeiro. O MicroSD de 16GB está sempre em segundo, o MicroSD de 64GB em terceiro, e depois Zelda no cartucho sempre em último. Seja na torre gigante em Greath Plateau ou numa pequena shrine com um tempo de carregamento muito mais pequeno, o memória interna da Switch vence sempre nos tempos de carregamento.

O mesmo é válido para áreas com dados mais pequenos em termos de geometria e texturas; a Owa Daim Shrine é como muitas outras, demora perto de 10 segundos a carregar independente de onde está instalado o jogo. No entanto, o armazenamento interno vence por um segundo. Carregar um jogo gravado é uma coisa, mas e as viagens instantâneas entre torres e shrines? É uma parte crucial do design do jogo tendo em conta a sua escala, grande o suficiente para ser dividido por regiões. Abrir o mapa e viajar instantaneamente mais uma vez demora 27 segundos a partir do armazenamento interno para nos levar à torre no Great Plateau. Menos 5 segundos do que no cartucho, demora 32 segundos, e os MicroSDs, que ficam a meio das outras duas. Basicamente, na viagem instantânea tens a mesma diferença de velocidade do que ao carregar um save.

É uma vitória sólida para o armazenamento interno da Switch. Estes resultados surgem várias vezes mas não eram esperados, tendo em conta que esta partição NAND está fixa e não é expansível. Apenas tens 32GB mas pelo menos a Nintendo assegurou que a ligação com o chipset atinge velocidades decentes. Menos impressionante é o facto dos cartuchos ficarem sempre atrás. No pior temos uma diferença de 5 segundos em Zelda, ficamos a pensar como no futuro jogos com a escala de Skyrim podem ser afectados.

Zelda/Tempos de carregamento Switch Cartão Memória interna Sandisk 16GB Ultra UHS-1 Sandisk 64GB Extreme Plus UHS-3
Temple of Time (Carregamento inicial) 35.7 30.7 34.1 34.4
Kakariko Village (Carregamento inicial) 27.0 24.1 26.3 26.6
Owa Daim Shrine (Carregamento inicial) 9.5 8.7 9.3 9.3
Great Plateau Tower (Travel) 32.6 27.7 30.9 31.2
Dueling Peaks Tower (Travel) 20.5 18.8 19.8 20.1
Shrine of Resurrection (Travel) 24.2 21.8 23.0 23.8

Também temos de falar das velocidades dos cartões SD. Nenhum destes SDs Sandisk ultrapassa o armazenamento da consola o que sugere um bloqueio de velocidade. Não importa qual seja a largura de banda no SD, seja 80MB/s no modelo de 16GB ou 90MB/s no modelo de 64GB, a Switch não tira proveito de nenhum. Desde que seja um UHS-1 no mínimo, consegues os mesmos tempos de carregamento, ou ligeiramente melhores, do que os de um cartão mais rápido.

No geral, quem quiser comprar um MicroSD, aconselhamos investir num UHS-1 com a maior capacidade que conseguires. Podes comprar um de 128GB por apenas €42 e um de 200GB pelo dobro desse preço. Não é o método mais rápido mas terás melhores velocidades do que num cartucho, e com muito espaço para futuras descargas. Mas precisas ter algum cuidado na compra de um cartão.

Primeiro, se já descarregaste jogos para a memória da consola, de momento é impossível transferir esses jogos para um MicroSD - uma grande falha da Nintendo. Assim que inseres um SD, tens de descarregar novamente todos os dados para o novo destino. É estranho não existir uma função de copiar na Switch, e para dados de jogos, tudo o que podes fazer e apagar. Alternativamente, existe a opção de arquivar, que também apaga os dados, mas mantém um ícone no ecrã principal com uma ligação para o descarregares novamente. É um sistema bizarro que não faz sentido, e esperamos que a Nintendo adicione mais formas de mover os jogos entre diferentes locais.

Também vale a pena dizer que assim que instalas um MicroSD na Switch, todos os jogos serão automaticamente descarregados para esse local. Ao contrário das imagens, não podes decidir onde os jogos são instalados - outro ponto que irrita após estes resultados. Apenas quando o cartão SD fica cheio é que a Switch começa a usar o espaço interno. Imagina que queres apenas um jogo na memória NAND interna - para desfrutar dos tempos de carregamento mais rápidos. Neste caso, terás de remover primeiro o MicroSD, instalar o jogo na NAND, e inserir novamente o SD. É estranho e fica o aviso.

sd

Nintendo Switch - Recomendações MicroSD:

Felizmente, quem já usa um MicroSD mas quer adquirir um modelo com mais espaço não precisa descarregar tudo novamente. Podes transferir os dados entre os dois MicroSDs usando um PC. Os nomes dos ficheiros dos jogos são apresentados através de longos conjuntos de números e letras, mas podes ter uma ideia de qual é o jogo ao destacar a pasta, seleccionar propriedades e verificar o tamanho dos ficheiros.

Já jogámos Project CARS 2 É uma evolução para o género. Já jogámos Project CARS 2

Desta forma, podes simplesmente arrastar os conteúdos de um MicroSD para o outro, todos os jogos funcionarão no novo cartão - desde que o uses na mesma consola Switch. Também é muito útil pois isto oferece uma forma de guardar todos os teus dados da Switch; os cartões SD podem falhar algumas vezes.

Em termos de melhor performance, é pena que a interface mais rápida seja o armazenamento interno - que não pode ser melhorado. Além disso, o potencial para cortar os tempos de carregamento está limitado. Investir num MicroSD super caro não vai melhorar os tempos de carregamento, mas pelo menos não terás mais penalizações comparado com os cartuchos.

Se queres aumentar o espaço na tua Switch, a decisão é fácil. Tendo em conta a quantidade de produtos de menor qualidade e as imitações, recomendados comprar de uma marca respeitável e conhecida. No entanto, a maior conclusão destes testes é que investir o teu dinheiro na capacidade ao invés de velocidades mais rápidas é a melhor opção.

Publicidade

Comentários (22)

Criar uma nova conta

OU

  • A carregar...